sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Agenda da Ceivap está ‘cheia’ de ações para ajudar o Rio Paraíba

Agenda da Ceivap está ‘cheia’ de ações para ajudar o Rio Paraíba

Matéria publicada em 14 de janeiro de 2018, 09:00 horas

 


Sul Fluminense – Uma agenda repleta de atividades. É assim que promete ser o ano dos integrantes do Comitê da Bacia da Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul (CBH-MPS). A entidade, que visa, entre outros objetivos, promover ações destinadas ao uso sustentável das águas do Paraíba, completa dez anos em outubro, com ações mensais. Todas destinadas a chamar atenção da população, sobre a importância deste rio que corta três estados: Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

O Passeio Ciclístico, com participação das 19 cidades de atuação do Comitê, será um dos primeiros eventos. A data visa comemorar o Dia Mundial da Água, lembrado em 22 de Março, e deverá ser realizado, no dia 24 do mesmo mês, simultaneamente, nos municípios. O passeio terá como percurso às margens do Rio Paraíba. Nas cidades que não são banhadas pelo rio, como Rio Claro, Valença, entre outras, o passeio ciclístico terá rotas alternativas, visando as principais ruas, atraindo as atenções da população.

Outro evento que promete atrair as atenções do público é o primeiro concurso de fotografia que terá o tema “Água: avanços e desafios”. As inscrições para este evento estão abertas e poderão ser feitas através do site da entidade. Cada participante poderá inscrever duas fotografias: uma delas, positiva, mostrando as belezas naturais em torno do Paraíba. A outra deverá ser negativa, com relatos sobre os maus tratos das águas desse rio.

Esta exposição, que ainda não tem data, deverá acontecer em diversas cidades, com locais ainda avaliados pelos integrantes do Comitê. “Estamos avaliando alternativas de locais para que possamos levar esta exposição, revelando a nossa população a real situação do nosso rio, além é claro, de fomentar debates sobre esse assunto”, completou o presidente da entidade José Arimathéa Oliveira.

E as atrações não param. Até junho, o Comitê deverá editar a terceira edição do concurso “Boas Práticas Ambientais”, que consiste na premiação dos melhores projetos destinados à preservação do meio ambiente. No ano passado, pelo menos duas ações ganharam destaque. Uma delas foi o projeto de Educação Ambiental de Jovens e Adultos, desenvolvido por Paty do Alferes.

Outro destaque desse evento, ocorrido no ano passado, ficou para uma empresa de viveiro florestal que, substituiu os recipientes vendidos para reprodução de mudas, que são potes de plásticos, por caixas de papelão, destinadas ao transporte de bebidas. A iniciativa ganhou destaque por permitir a reutilização de material reciclável, além de representar baixo custo, em relação ao material de origem.

– Este projeto ganhou nossa atenção, uma vez que as mudas para reflorestamento, geralmente são plantadas em potes de plástico, o que acaba se tornando um fator preocupante para o meio ambiente, já que este material, ou seja o plástico, tem tempo longo de vida no solo – completou o presidente do órgão.

Rio Paraíba do Sul: Ações são destinadas a chamarem atenção da população sobre a importância deste rio que corta três estados (Foto: Arquivo)

Rio Paraíba do Sul: Ações são destinadas a chamarem atenção da população sobre a importância deste rio que corta três estados (Foto: Arquivo)

Metas ambiciosas

E para fechar o ano, o Comitê tem ainda um grande desafio: por em prática os Planos Municipais de Saneamento Básico, conforme exigência de lei. Este projeto, responsável, entre outros itens, por planejar políticas para o esgotamento sanitário dos municípios para os próximos 20 anos, é considerado de extrema importância para a sobrevivência do Rio Paraíba do Sul.

Apesar disso, em diversas localidades, a lei não saiu do papel. “Os prefeitos elaboraram as leis, mas a maioria não colocou em prática e não estamos aqui para punir ninguém, pelo contrário, queremos contribuir para que as propostas se tornem realidade”, completou o presidente do Comitê.

Para garantir o andamento do Plano, a partir deste mês, a entidade realiza parcerias com universidades em busca de alunos que deverão auxiliar, os municípios, na implementação das medidas previstas para o saneamento básico. A meta a ser atingida, por cada localidade, dependerá do que já vem sendo posto em prática pelos municípios em relação a este tema.

– A realidade de cada um precisa ser observada e queremos que o tema avance garantindo melhor qualidade de vida para o nosso rio – completou Arimathéa, lembrando que o Plano de Saneamento Básico tem que receber apoio da população.

Avanços destacados

Apesar das dificuldades econômicas, o Comitê avaliou o ano passado como produtivo. A entidade se reuniu com prefeitos de 19 municípios, que agregam a área de atuação, e encerrou o ano com o lançamento do Atlas da Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul, trabalho que rendeu ao grupo o Prêmio CREA-RJ de Meio Ambiente 2017, na categoria Instituição/Organização Social. O Comitê atuou ainda em prol das melhorias das águas e da preservação dos principais mananciais que abastecem a região Sul Fluminense e Metropolitana do Rio de Janeiro.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. É muito blá blá blá, e o Rio continua sendo sufocado por esgoto doméstico!!!

Untitled Document