segunda-feira, 20 de novembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Atenção Básica de Saúde intensifica ações de prevenção à sífilis

Atenção Básica de Saúde intensifica ações de prevenção à sífilis

Matéria publicada em 11 de novembro de 2017, 17:00 horas

 


Objetivo é alertar sobre o crescente aumento da doença; testes rápidos estão disponíveis em todas as unidades de saúde e PSFs

Barra Mansa – Desde o primeiro semestre o Ministério da Saúde vem alertando a sociedade para o aumento alarmante dos casos de sífilis no país, onde o problema já é considerado uma epidemia. Como forma de alertar sobre a doença, que é adquirida através da relação sexual, a Secretaria de Saúde de Barra Mansa vem intensificando as ações de prevenção no município, onde o teste rápido para detectar a sífilis pode ser feito em todos 39 PSFs (Programas de Saúde da Família), nas sete Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e nas três Policlínicas: Nove de Abril, Boa Sorte e Vila Nova.

De acordo com a gerente da Atenção Primária, Mariana Sobreira, o movimento Outubro Rosa foi encerrado no município no dia 28, com um Dia D de Prevenção Contra o Câncer de Mama e o Colo do Útero, além da coleta de exame preventivo do colo do útero, exame clínico das mamas e teste rápido para sífilis. No mês de novembro, as ações serão voltados para a campanha Novembro Azul, voltada para o público masculino e, segundo Mariana, as informações e testes rápidos para sífilis também serão mantidos.

– Desde o início do ano, com a nova gestão, nós estamos orientando nossos agentes de saúde para que possam chamar atenção da população sobre a importância do teste para sífilis, que foi descentralizado para melhor atender a população. Notamos, no início do ano, um aumento elevado da sífilis congênita, que pode ser transmitida da gestante para o bebê, e isso muito nos preocupa, porque esse é o pior tipo da doença e pode provocar sérias complicações na saúde do bebê, inclusive problemas neurológicos – ressaltou a gerente, ao acrescentar que a doença e seus riscos vêm ganhando destaque em todos os pré-natais feitos na rede municipal de saúde.

Conforme destaca Mariana, o aumento da sífilis não está diretamente associado a falta de conhecimento sobre a doença, mas sim da negligência de muitas pessoas em não se prevenir. Por ser silenciosa, a população acaba se negligenciando e não busca formas de descobri-la, o que consequentemente dificulta o tratamento. “Por isso estamos dando ênfase ao teste rápido, mas, além dele, a doença também pode ser detectada por exame de sangue disponível em toda a rede”, disse a gerente, ao acrescentar que a melhor forma de prevenir a doença é fazendo uso do preservativo durante as relações sexuais.

Hoje, todas as unidades de saúde possuem preservativos que podem ser adquiridos gratuitamente, inclusive os femininos. “As camisinhas femininas estão disponíveis em todas as unidades e postos, mas infelizmente ela ainda não é tão aceita conforme o preservativo masculino”, completa Mariana.

Informação como prevenção

Gerente do Posto de Saúde da Família do bairro Roselândia, a enfermeira Jussara Venâncio explica que informar a população sobre a sífilis tem sido a melhor saída como forma de prevenir a doença. De acordo com ela, os testes rápidos estão sendo muito bem aceitos e, na maioria dos casos, os pacientes mostram satisfação em saber da oportunidade. “Nós explicamos para os pacientes, principalmente as gestantes, sobre o que é a doença, seus estágios, os danos que causa como paralisia, cegueira e até o óbito e, a partir do momento que são orientadas, elas já aceitam fazer”, comenta a gerente.

De acordo com Jussara, uma informação importante para os pacientes diagnosticados com a doença é que o tratamento precisa ser feito junto com seu parceiro ou parceira. “Não adianta tratar só a pessoa que vem aqui, porque como é uma doença sexualmente transmissível, o casal precisa se cuidar junto”, comenta a gerente, ao acrescentar que uma vez feito o tratamento, o paciente precisa rotineiramente investigar se houve o retorno da doença.

Diagnóstico precoce

De acordo com o médico Alberto Aldet, coordenador do Programa SDT/Aids, os casos de sífilis não param de crescer e Barra Mansa vem acompanhando o cenário nacional. Ele alerta para a importância do diagnóstico precoce e ressalta que a falta de tratamento pode causar cegueira, demência e más formações no caso de fetos. Embora seja uma doença preocupante, principalmente por estar associada ao não uso de preservativos, a sífilis tem um diagnóstico laboratorial simples e que pode ser realizado através de exames de sangue e também do teste rápido.

– As gestantes preocupam muito as autoridades da área de saúde devido aos danos que a doença pode provocar nos bebês, caso não seja tratada precocemente. Por isso a importância do pré-natal e de se fazer todos os exames no início da gestação. Quanto antes se descobre, mais chances de cura esse bebê vai ter – comenta o coordenador, ao informar que o diagnóstico pode ser feito com um teste de resultado em 20 minutos.

De acordo com Aldet, assim como a Aids, o aumento no número de casos de sífilis assusta pelo fato de os pacientes não terem se preocupado com a prática do sexo seguro, por meio do uso de camisinha. Segundo ele, por não terem vivenciado a epidemia de Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, na década de 90, muitos jovens ignoram o uso do preservativo.

– A população mais jovem está se descuidando e, com isso, temos aí a explosão dessas doenças, que poderiam ter sido evitadas. No caso da sífilis, ainda é possível curar, mas é importante ressaltar que para a Aids ainda não há a cura – alertou o médico, ao chamar atenção para a fase terciária da doença, que pode comprometer seriamente o sistema nervoso central, levando a doenças neurológicas, como quadros de demência, manifestações auditivas, oculares, e ainda manifestações cardíacas e ósseas.

Saúde: Informar a população sobre a sífilis tem sido a melhor saída como forma de prevenir a doença (Foto: Divulgação)

Saúde: Informar a população sobre a sífilis tem sido a melhor saída como forma de prevenir a doença (Foto: Divulgação)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document