segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Autismo é discutido em encontro na UFF Aterrado, em Volta Redonda

Autismo é discutido em encontro na UFF Aterrado, em Volta Redonda

Matéria publicada em 22 de outubro de 2017, 16:13 horas

 


Volta Redonda – A manhã de sábado (21) foi especial para pais de autistas, professores e terapeutas que se reuniram na UFF (Universidade Federal Fluminense), no  campus Aterrado, para participar da primeira palestra da Reunida (Rede Unificada Nacional e Internacional em Defesa dos Autistas). O objetivo foi difundir informações a respeito do autismo. O evento teve a participação da jornalista e especialista em autismo e Desenvolvimento em Autismo e Comunicação, Fátima de Kwant, responsável pelo projeto Autimates, que visa conscientizar o mundo sobre o autismo.

Na palestra o tema abordado foi “Autismo ao Longo da Vida e a Importância das Residências Assistidas”. Outro palestrante foi o editor do jornal Tribuna, Ronaldo Cruz, que falou sobre “A importância e os meios legais para a criação dos centros integrados de pessoas com TEA em todo Brasil”.

Fátima, que é mãe de autista e atualmente reside na Holanda, falou sobre o funcionamento dos serviços públicos voltados para os autistas na Holanda e que podem ser implantados em nossa região.

– O objetivo deste evento é de levar informações sobre o autismo ao longo da vida e sobre as moradias assistidas. Acredito que o Brasil está desenvolvendo um bom trabalho assistencial sobre o autismo, mas precisamos avançar ainda mais em novas políticas públicas para capacitar escolas e instituições que lidam com o autismo possibilitando um melhor tratamento. Moro na Holanda e observo que há uma grande defasagem entre o modo como se consegue tratamento gratuito de alta qualidade naquele país e os tratamentos que são frequentes de encontrar aqui. Lá na Holanda se encontra um bom tratamento com muita facilidade. Em todas as cidades sejam pequenas ou grandes se encontra ótimos tratamentos com profissionais capacitados e serviços gratuitos – destaca.

Segundo Fátima, hoje o autismo está sendo conhecido cada vez mais no Brasil, mas ela acredita que é muito importante a conscientização das pessoas sobre o problema.

– Ainda tem muita gente que não assume que seu filho tenha autismo ou não assume em determinado círculo por medo da reação de outras pessoas. Para esses pais eu recomendo participar de grupos de autismo. Em relação à inclusão, ela ainda não está sendo feita de uma forma que as crianças se desenvolvam ainda mais e os professores precisam ser capacitados mais sobre este tema. Existe uma lei, mas não existe capacitação ampla para todas as escolas. Nós, através da Reunida, estamos querendo propor junto ao Ministério da Educação que seja incluído no currículo básico acadêmico das universidades, disciplinas sobre o autismo para acadêmicos da área de saúde e educação – opina.

De acordo com uma das coordenadoras da Reunida em Volta Redonda, Cláudia Moraes, outro objetivo da palestra é informar as pessoas sobre como lidar com o autismo da melhor maneira possível “buscando superação acima de tudo”.

Ainda segundo Cláudia Moraes, este evento é o primeiro a ser realizado pela Reunida no Brasil. Em Volta Redonda, ela já conta como membros, pais e ativistas ligados à causa autista.

10 comentários

  1. Evento maravilhoso, com temas atuais (e que portanto precisam ser discutidos) e com a presença de profissionais competentes que abordaram a discussão de um modo claro e acessível tanto para os profissionais como para os familiares.
    Parabéns para a cidade de Volta Redonda e para a Uff por abrir espaço para essas discussões e para a Reunida por possibilitar esse encontro. Também deixo meus agradecimentos ao jornal por divulgar o evento e, assim, contribuir para que mais pessoas conheçam o autismo.

  2. Nossa sociedade ainda engatinha e tem muito a evoluir quando falamos sobre o Autismo…
    O Transtorno do Espectro Autista pode ser, por vezes, quase que imperceptível e pode confundir-se com timidez, falta de atenção ou excentricidade. Por isso, o diagnóstico de autismo não é simples.
    O Autismo sofre ainda desta ampla e generalizada falta de informação no seio social. Seja na família, nas Instituições de Ensino e na falta de profissionais de saúde. Falando em saúde… “O tratamento deveria ser assistido pelos Planos de Saúde. Pois o gasto é elevado”.
    Receber o diagnóstico de autismo de um filho é como embarcar rumo a um universo desconhecido.
    Tenho uma filha portadora da TEA. E, vivemos as complexidades encontradas na sociedade.

  3. Solicito corrigir no meu comentario o nome do palestrante: Ronaldo Cruz.
    Atenciosamente.

  4. Como profissional, parabenizo aos organizadores na pessoa de Claudia Morães e Lie Ribeiro pelo belo Encontro sobre Autismo realizado com pleno sucesso!!!
    A reunião de um grupo verdadeiramente engajado na causa! Estou orgulhosa da nossa cidade por ter cediado o primeiro encontro das Reunida!!!
    Agradeço pela oportunidade de ouvir aos palestrantes Fátima de Kwant e Ronaldo de Carvalho, referencias nacionais e internacionais na causa Autista!

  5. Evento maravilhoso!!! Nós pais de autistas saímos desses encontros renovados e esperançosos!!! Sem contar com as informações fornecidas a respeito de direitos e tratamentos

  6. Foi um acontecimento muitíssimo importante para nós pais de autistas, que temos essa preocupação do que vai ser com nossos filhos na idade adulta, onde essas pessoas vão ser assistidas, tendo suas necessidades atendidas e suas especificidades respeitadas. Parabéns à Cláudia Moraes e Liê Ribeiro que organizaram brilhantemente esse evento, e ao Ronaldo Cruz e Fatima de Kwant por dividirem conosco seus conhecimentos

  7. Muito obrigada pela atenção com esse evento tão importante para a cidade de Volta Redonda. Obrigada ao autor da entrevista. Grande abraço, Fátima de Kwant.

  8. Foi um evento de sucesso, com informações importantes, com a participação do secretário das pessoas com deficiência do estado do RJ senhor Geraldo Nogueira, do querido ex- prefeito Antonio Francisco Neto. Que se emocionou com Hino do autista. Fátima dando um aula e o exemplo tão bonito de como os autistas podem e devem ser tratados ao longo da vida, e também na sua velhice. Ronaldo Cruz, mostrando o quanto há de necessidades mais básicas dos autistas no Brasil entre elas a criação de centros integrados que possam ajudar no desenvolvimento dessas pessoas. Sim REUNIDA, no seu primeiro trabalho escolheu Volta Redonda – RJ. Feliz. Liê mãe do Gabriel Gustavo, autista.

  9. Terezinha M. Monteiro

    Um evento que trouxe luz e esperança para todos os envolvidos na causa Autista. Grande momento para Volta Redonda dar inicio ao maravilhoso e importante projeto das Residências Assistidas. Afinal, Volta Redonda sempre esteve a frente quando o assunto foi Autismo. Quanto conhecimento já foi proporcionado a professores de muitos municípios do Est. do Rio. Parabéns aos organizadores. Um abraço especial para a batalhadora Claudia Moraes.

  10. Grande evento em Volta Redonda, que contou com um público grande e interessado.
    Nossa cidade já foi referência em Autismo, e queremos que volte a ser oferecendo serviços de qualidade para as pessoas com TEA!

Untitled Document