segunda-feira, 23 de outubro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Número de doadoras cresce no Banco de Leite de Volta Redonda

Número de doadoras cresce no Banco de Leite de Volta Redonda

Matéria publicada em 19 de maio de 2017, 21:37 horas

 


De 29 mães lactantes agora são 40; apesar do crescimento, cenário está longe do ideal

Voluntárias: Irmãs de Piraí fizeram o cadastro por telefone e agora são doadoras no Banco de Leite de Volta Redonda (Foto: Divulgação/Ascom PMVR)

Voluntárias: Irmãs de Piraí fizeram o cadastro por telefone e agora são doadoras no Banco de Leite de Volta Redonda (Foto: Divulgação/Ascom PMVR)

Volta Redonda – As irmãs Paula Ferreira Cappato e Caroline Ferreira Cappato tiveram uma atitude nobre essa semana. Após saberem da necessidade de novas doadoras no Banco de Leite de Volta Redonda (O DIÁRIO DO VALE divulgou a situação numa reportagem), elas resolveram ajudar e se tornaram voluntárias. Agora são 40 mães cadastradas – antes o número era de 29. Apesar do crescimento, o cenário está longe do ideal.

A mãe da Paula e da Caroline, Maria Fernanda Ferreira Bichara, comemorou a atitude das filhas. Ela lembrou que não pôde amamentar os três filhos, devido a pequenos problemas após as gestações e que se sentia frustrada por isso.

– Estou muito orgulhosa de ver minhas duas filhas colaborando com o Banco de Leite de Volta Redonda. Estou feliz por vários motivos: elas me deram meus primeiros netos quase no mesmo mês. A maternidade é um momento maravilhoso e o aleitamento materno é mais bonito ainda, a mãe poder dar o próprio leite ao filho é uma dádiva, eu fiquei muito emocionada – disse Maria Fernanda.

– Conhecemos outras mães que tiveram filhos recentemente e vamos motivá-las a se tornarem doadoras também. Não custa nada, a ordenha exige paciência e tempo, mas é só a gente dedicar um tempo com carinho para poder ajudar – disse Paula Ferreira Cappato, mãe de Dante, de cinco meses.

Já Caroline se colocou no lugar das mães que estão com seus filhos internados e precisam dessa ajuda.

– Por enquanto não penso em ter mais filhos, mas se eu tiver eu quero continuar sendo doadora de leite. Eu imagino que ter um filho na UTI Neonatal não deva ser fácil, por isso quero dar minha ajuda – disse ela que é mãe da Victoria, que completa seis meses neste sábado.

Paula e Caroline moram em Piraí e não tem nenhum trabalho para doar. Após realizar um cadastro no Banco de Leite, por telefone, uma equipe de profissionais passou a ir até a casa delas. Agora, uma vez por semana, elas recebem a visita da enfermeira Virgínia Elaine Canuto, que vai recolher os frascos cheios e deixar outros vazios.

– Sou sempre bem recebida, as mães gostam da nossa visita. A gente orienta, dá um treinamento para elas, distribui os folhetos explicativos. Por dia a gente visita uma média de 15 casas. É um trabalho muito gratificante, sei que estou ajudando a salvar vidas – comentou a enfermeira Virgínia.

Quer se tornar uma doadora de leite materno?

Para se tornar doadora basta ligar para o telefone (24) 3348-9954 e fazer um cadastro. A população de Volta Redonda também pode ligar para 0800-282-0092. O Banco de Leite funciona todos os dias, inclusive feriados, de 7h às 19h, em anexo ao Hospital São João Batista.

A rota para a coleta do leite cobre todo o Médio Paraíba, por isso todas as mães podem se cadastrar. Uma profissional treina e orienta as doadoras. Elas receberão informações sobre higiene de mãos e de mamas e o acondicionamento correto do leite.

– O Banco de Leite é o coração do Hospital São João Batista. Nós fazemos este trabalho com muito carinho, pois sabemos da importância para as mães e para os bebês. Nós ajudamos a salvar vidas e todas as mães lactantes podem contribuir com este trabalho também. Não importa a distância, pois temos o apoio da prefeitura de Volta Redonda e podemos buscar o leite em todas as residências – disse a responsável pelo Banco de Leite, Tatiane Lucio Chaves Campos.

Untitled Document