quarta-feira, 19 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Professora de Rio Claro está entre as finalistas da premiação nacional

Professora de Rio Claro está entre as finalistas da premiação nacional

Matéria publicada em 10 de julho de 2018, 15:41 horas

 


Turma da escola municipalizada realizou o projeto de retextualização, transformando em textos histórias que conheceram oralmente

Rio Claro –  A professora Gleiciane Rocha, de 36 anos, é uma das 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10, a maior premiação nacional para os educadores. A premiação teve 4.100 inscrições em 2018. A turma do oitavo ano da Escola Municipalizada Francisco Teixeira de Oliveira, em Rio Claro, orientada pela professora, realizou o projeto de retextualização, transformando em textos histórias que conheceram oralmente.

A professora dá aula na escola há 10 anos e é a segunda vez que Gleiciane fica entre os finalistas, a primeira vez foi em 2011. Quando percebeu que os alunos estavam com dificuldade na escrita, escrevendo sem parágrafos ou pontuação, muitas repetições de palavras e marcas de oralidade, ela resolveu realizar um projeto com os 13 alunos da turma do oitavo ano.

A educadora fez uma roda de contação com moradores antigos e surgiram cinco contos. Os alunos transformaram os contos em histórias escritas, que foram expostas na Casa de Cultura de Rio Claro. A educadora afirma que foi muito importante para ela perceber a evolução na escrita dos alunos e fazer um resgate da cultura local. A exposição ainda está na Casa da Cultura de Rio Claro e não tem data para sair.

– Além do resultado, que valorizou a história da comunidade, o processo permitiu aos estudantes refletirem sobre as semelhanças e diferenças entre o oral e o escrito. Eles aprimoraram seus textos e, ao mesmo tempo, melhoraram a expressão oral, reconhecendo que a escrita e a fala andam juntas – esclareceu a professora.

A aluna Alice de Oliveira Dias contou que o projeto a ajudou a crescer intelectualmente e culturalmente, visto que aprimorou a escrita e contribuiu para o conhecimento da essência do lugar onde mora.

– O projeto mostrou histórias que marcaram a construção cultural, evidenciando a Fazenda da Grama, um lugar pequeno de território, porém rico em patrimônio histórico. Foi incrível participar do trabalho – agradeceu a aluna Maria Eduarda Lito, que acredita o projeto ajudou em vários aspectos, além da escrita.

Gleiciane Rocha é uma das 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10

Gleiciane Rocha é uma das 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10

Gleiciane explica que o Prêmio Educador Nota 10 é a maior premiação nacional em educação e que contém muitas práticas pedagógicas de sucesso. O Prêmio visa reconhecer o trabalho de professores da Educação Infantil ao Ensino Médio, coordenadores pedagógicos e gestores escolares de todo o país.  Educadores inscrevem seus projetos entre abril e junho. Para participar é preciso ter um planejamento do projeto, colocar em prática, relatar os detalhes dos resultados.

Uma comissão composta por profissionais da Educação analisa todos os trabalhos e escolhem os 50 finalistas. O avaliador responsável entra em contato para obter mais informações sobre o projeto. Na última etapa acontece uma avaliação coletiva e uma reunião para decidir os 50 finalistas, então, são anunciados os 10 vencedores e o prêmio “Educador do Ano”.

O Prêmio Educador Nota 10 teve mais de 4100 projetos inscritos em sua 19º edição, em 2018. Para avaliar pelo menos dois profissionais de diversas disciplinas analisam os trabalhos, que geralmente são ideias simples e corajosas que mostram a importância da aprendizagem de crianças e jovens. Através do projeto é possível perceber também a importância de manter os jovens na escola e com acesso a um ensino de qualidade e assegura que este trabalho é indispensável para a transformação deste país numa nação melhor e mais justa.

– O professor de escolas municipais e estaduais sabe como é difícil fazer o aluno acreditar nos seus sonhos, enxergar perspectivas para além do entorno. Esse prêmio fez isso. Os alunos estão em êxtase! O prêmio mostrou a eles que são capazes sim. Acreditamos que o trabalho foi de excelência – relatou a professora com alegria.

A professora expressa que estar entre os 50 finalistas já é uma grande vitória, devido ao grande numero de inscrições e, além disso, coloca em evidência a escola rural. Não perde as esperanças diante do número de finalistas, dizendo que embora sejam 50 projetos maravilhosos, torce pela vitória.

Por Gabriela Batista

Um comentário

  1. Sempre achei engraçado o uso do termo ” contação de história” mas meus parabéns pela professora que numa época de alienação infantil por equipamentos eletrônicos ainda consegue resgatar nessas crianças o gosto pela palavra escrita e contada .

Untitled Document