terça-feira, 26 de setembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Quatis promove festival de férias

Quatis promove festival de férias

Matéria publicada em 16 de julho de 2017, 21:12 horas

 


Projeto “Brincando com o Quati” vai reviver brincadeiras antigas da infância

Brincando: Crianças de Quatis se divertem e entram em contato com a natureza

Brincando: Crianças de Quatis se divertem e entram em contato com a natureza

Quatis – Brincadeiras antigas da infância, mas que hoje em dia quase não acontecem mais, principalmente em razão da propagação dos brinquedos eletrônicos e de outros avanços tecnológicos, poderão ser revividos em Quatis neste mês de julho, durante o Festival de Férias Brincando com o Quati, cuja realização é da prefeitura. O festival será realizado no Centro da cidade e nos dois distritos rurais do Município.
A programação é aberta a toda e qualquer criança e adolescente. Haverá ainda atividades voltadas especialmente aos pais ou responsáveis. Iniciado no Centro de Quatis, o festival de férias será realizado a partir desta segunda feira, 17 e vai se estender até o dia 28, de 8 às 11 horas, na Praça Getúlio Vargas, onde se localiza a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Já nos dias 19 e 24, de 8h30m às 11 horas, as atividades do evento vão ser promovidas no distrito de Falcão, próximo à Igreja de São Sebastião. E nos dias 21 e 26, no mesmo horário, ou seja, de 8h30m às 11 horas, o evento está marcado para o campo de futebol do distrito de São Joaquim.
A organização do Brincando com o Quati está sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, com o apoio de outras duas secretarias municipais (Cultura e Turismo, além da pasta de Assistência Social e Direitos Humanos).
Entre as brincadeiras previstas pela organização do evento estarão as seguintes: modelagem com massinha, pintura de desenho, peteca, boliche, corrida do saco, música, desenho, bambolê, varetas, jogos de dominós, oficinas para a confecção de pipas, “futebolzinho”, dança das cadeiras e pega-pega, além da oficina de bordado destinada às mães das crianças.
O prefeito Bruno de Souza declarou que entre 15 e 20 profissionais das três secretarias municipais envolvidas na organização estarão mobilizados para o desenvolvimento das atividades junto às crianças e aos seus responsáveis.
– O projeto Brincando com Quati é uma proposta da nossa administração com o objetivo de proporcionar às nossas crianças o acesso às brincadeiras antigas da infância. Neste mês de julho, resolvemos incluí-lo na programação do festival de férias promovido anualmente pela Prefeitura de Quatis, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, mas estamos analisando a possibilidade de o projeto continuar sendo realizado de forma itinerante, após as férias escolares, sempre aos sábados pela manhã, nas comunidades do nosso Município, incluindo as que ficam na zona rural – disse o prefeito.

Tecnologia substitui brincadeiras infantis tradicionais

Brincando: Crianças podem se divertir juntas usando brinquedos convencionais

Brincando: Crianças podem se divertir juntas usando brinquedos convencionais

Volta Redonda – Brinquedos que gerações inteiras se divertiram quando eram crianças estão sendo esquecidos no século XXI.  Rodar pião, jogar bola, andar de bicicleta, bonecas, bambolê, carrinhos, dominó, ioiô e até ‘amarelinha’, brinquedos antes considerados exemplos de alegria e diversão, hoje estão se tornando esquecidos ante as novidades tecnológicas deste novo século.
Em uma pesquisa realizada pela Duracell, constatou-se que a maior parte das crianças prefere ganhar celulares a brinquedos. Esta pesquisa foi realizada com 2.138 crianças e comprova que 54% dos entrevistados tem preferência por produtos de alta tecnologia como presente.
Na opinião do gerente José, que trabalha em uma loja de artigos infantis na Vila Santa Cecília, o desinteresse das crianças por brinquedos tem aumentado a cada ano, e com certeza já a partir dos três anos de idade elas começam a optar por presentes tecnológicos no lugar de brinquedos.
– Os brinquedos hoje saem mais para crianças abaixo dos três anos e geralmente são aqueles brinquedos de encaixes e bonecas. Até os jogos educativos que há alguns anos tinham uma boa vendagem, hoje são sugestões dos pais e não das crianças, que pouco se interessam por eles. Acredito que os pais deveriam motivar mais os seus filhos a brincar com brinquedos normais – informa o gerente.
Já a proprietária de uma loja de utilidades, papelaria e brinquedos localizada na Avenida Paulo de Frontin, Marlene Resende, afirma que as vendas de brinquedos em sua loja ainda é bem forte, mesmo admitindo que as crianças estejam se interessando cada vez mais por tecnologia no lugar de brinquedos.
– Penso que os pais estão ficando mais preocupados com os seus filhos e estão incentivando eles a optarem por brinquedos no lugar de presentes tecnológicos como os celulares. Em minha loja, por exemplo, as vendas de brinquedos são direcionadas mais para crianças na faixa etária dos oito anos. Para esse tipo de público vendemos muitos jogos educativos, bonecas, bonecos de super-heróis para os meninos, carinhos elétricos e quebra cabeças. Já para os pequenos até dois anos vendemos muitos brinquedos didáticos – explica.
Segundo a psicopedagoga Alexandra Custodio Silveira, de Volta Redonda, as questões que envolvem a formação e o desenvolvimento da criança contemplam aspectos que vão da concepção ao momento em que conseguem compreender e entender o que a rodeia e a capacidade de comunicação com o contexto social onde esta inserida.
– A criança, como ainda não conhece as coisas do mundo, vai se familiarizando com o seu entorno como se fosse um grande parque de diversões, já que a sua curiosidade a faz buscar e tocar tudo o que lhe chama a atenção. Aprende, portanto, desde cedo a brincar, e ter brinquedos apropriados para o seu desenvolvimento é essencial, pois contribuem para sua aprendizagem. Brincando a criança não se sentirá entediada, mas sim, estimulada a se aventurar e aprender, mesmo sem intenção, e a conhecer o mundo ao seu redor. Mas a cada dia que passa, é mais comum o uso de tecnologias digitais e das mídias pelas crianças, que iniciam cada vez mais cedo a utilização desses recursos – destaca.
Ao observar as crianças brincando, afirma Alexandra, percebe-se que os brinquedos atuais, que estão cada vez mais modernos e atrativos, vêm tomando o espaço dos antigos, deixando as crianças fissuradas e dominadas por eles. O que preocupa é que as crianças entram no mundo imaginário e virtual sem muito contato físico com amigos e colegas.
– Nesse contexto, o que não deve ser esquecido é que, embora a tecnologia esteja presente na sociedade atual, o uso dos brinquedos e brincadeiras tradicionais pelas crianças não deve ser abandonado, pois o ato de brincar propicia à criança classificar, ordenar, estruturar e resolver pequenos conflitos entre elas. Além disso, sabe-se que, enquanto brinca, a criança está criando e desenvolvendo, inclusive o pensamento crítico em relação a si e ao que lhe rodeia – diz.

Untitled Document