sexta-feira, 19 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Turistas cancelam reservas em pousadas na região de Mauá

Turistas cancelam reservas em pousadas na região de Mauá

Matéria publicada em 10 de março de 2018, 15:00 horas

 


Decisão da interdição partiu do governo do estado; prefeitura de Resende liberou acesso pela RJ-161

Resende e Itatiaia – Os danos causados pelas quedas de barreiras na RJ-163, principal via de acesso à região de Visconde de Mauá, Maromba e Maringá, chegaram até as pousadas e restaurantes. A estrada completa uma semana interditada e, por determinação de engenheiros e geólogos do estado, deve ficar assim por período ainda indeterminado. A alternativa é pegar a RJ-161, que também foi afetada e está em estado precário, mas foi parcialmente aberta.
Com isso, proprietários de pousadas lamentam o cancelamento de reservas e a redução dos turistas na região. De acordo com André Armondi, que trabalha com a empresária Maria Margarida de Paiva, proprietária de uma pousada em Visconde de Mauá, as desistências já estão em andamento.
– Como a maioria dos turistas desconhece o acesso pela Serra do M (RJ-161), que passa por Vargem Grande e segue até Mauá, muitos estão cancelando as reservas. Até agora, já tivemos quatro reservas canceladas para o final de semana, mas já sabemos que outras reservas também serão canceladas. Mesmo avisando que a interrupção da RJ-163 por Penedo pode ser contornada pela RJ-161, os turistas ficam receosos – lamenta.
A interrupção da RJ-163 também causa outros transtornos, como o desabastecimento em alguns locais da região. Com isso, o posto ficou sem combustível e alguns supermercados também ficaram sem alguns produtos. Até alguns açougues perderam seus produtos por falta de energia elétrica. “Durante a semana, só estávamos com um casal como hóspede e que foram embora na quinta”, comenta.
Donos de outra pousada em Visconde de Mauá, Avanil dos Santos Diniz e Anercino Diniz também andam preocupados com a queda de movimento, que começou depois do incidente na RJ-163.
– Estamos ligando para os hóspedes para explicar que o acesso já é possível pela RJ-161, mas infelizmente pouca gente conhece. As pessoas estão ligando para pedir informações e nós explicamos que o acesso só é possível por Vargem Grande, através da RJ-161. Apesar de serem 60 km a mais, é um trajeto bem bonito. Normalmente, estaríamos com hóspedes durante a semana, mas devido à queda de barreiras não estamos no momento com nenhum dos oito chalés que possuímos ocupados – disse Avanil.
Anercino disse que o estrago provocado pela chuva na região levará a uma redução de até 90% do faturamento normal. Já o gerente de uma pousada localizada na Vila de Maringá, Yan Carvalho, confirmou que a preocupação com a segurança está fazendo com que alguns hóspedes transfiram a data de suas reservas.
– Até esta quinta-feira, três reservas já foram transferidas. Muita gente está ligando ou enviando e-mail para pedir informações sobre as condições da estrada e sobre o melhor acesso para a pousada. Com isso, nós estamos enviando um mapa indicando a passagem pela Serra do M – diz.
Yan esclarece que com a liberação do acesso pela RJ-161 as coisas estão normalizando aos poucos. “Tudo já está funcionando normalmente como cachoeiras, bares e restaurante”.

Estado precário: Estrada que tem um trecho conhecido como ‘Serra do M’ dá acesso à região, mas motoristas precisam ter muito cuidado (Foto: Divulgação)

Estado precário: Estrada que tem um trecho conhecido como ‘Serra do M’ dá acesso à região, mas motoristas precisam ter muito cuidado (Foto: Divulgação)

Acesso garantido pela Serra do M

Em nota, a Prefeitura de Resende informou que a interrupção da RJ-163, principal via de acesso a Região de Visconde de Mauá, infelizmente prejudica o turismo no local. Para minimizar este fato, o governo municipal vem trabalhando com afinco na liberação da RJ-163, lembrando, no entanto que a liberação da Estrada depende exclusivamente do Governo do Estado via DER (Departamento de Estrada de Rodagens).
Enquanto não ocorre a liberação, a prefeitura retirou os deslizamentos de terra que interditavam a RJ-161 (conhecida como Serra do M) para que a estrada funcione como rota alternativa para a região de Visconde de Mauá.
A Secretaria de Turismo irá sinalizar a RJ-161 (Serra do M) com placas informando o turista como chegar a Visconde de Mauá pela estrada.

Itatiaia

A Prefeitura de Itatiaia estima que, devido à interrupção da RJ-163, cerca de 1.500 turistas deixaram de visitar Maromba e Maringá desde domingo, dia 4. Para reestabelecer o turismo na região a secretaria pretende promover eventos para atrair turistas para o local, mesmo em baixa temporada.

Por Julio Amaral
(jamaral@diariodovale.com.br)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Em toda matéria envolvendo as notícias de Mauá como sempre falta um mapinha com as estradas destacadas. É tão simples fazer um print screen do google que eu não entendo como nenhum veículo de comunicação não pensou em fazer essa utilidade pública.

  2. Pelas informações passadas se os turistas forem apenas nesta RJ 161, NUNCA, irão chegar em Mauá, é bom complementar de forma correta a informação, pois irá apenas levar aos que ainda insistem em ir e desconhecem a rodovia a chegar em Bocaina de Minas. Se atentem a veracidade das informações, utilizem o mapa que irão perceber que a informação está sendo passada de modo errado.

    • Liberdade e propriedade

      Errado. No trevo, seguindo reto no vai para Mauá, dobrando 90° à direita vai para Bocaina, então é o contrário, se o cara estiver indo para Bocaina é que corre o risco de ir parar em Mauá. De todo modo, nesse local há placas antigas.

    • É cara não sabe de nada, abre o google maps e verá que a minha informação é a correta. Só provou que é mais um que não conhece a região.

  3. Que me desculpem os empresários da Região de Visconde de Mauá, passar pela tal Serra do M, só se esse “m” é de maluco. Com tanta chuva até abril tem ser de motocross e outros veículos fora de estrada, eventualmente Fusca, Brasília ou Variant, assim mesmo com tratores de plantão para possíveis resgates. Resumindo, outro local turístico vai receber o pessoal que tem veículo que não tem condições de subir por essa RJ 161. Infelizmente essa é a verdade.

    • Liberdade e propriedade

      Tem razão. Uma sugestão aos hoteleiros, é oferecer estacionamento aos hóspedes em Vargem Grande ou na Rodoviária Graal, e buscar os hóspedes de pick up 4×4. Similar ao que ocorre na ilha Grande, onde o carro fica em terra e embarca numa lancha.

Untitled Document