sexta-feira, 21 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / A verdade é apenas um detalhe

A verdade é apenas um detalhe

Matéria publicada em 4 de fevereiro de 2018, 07:00 horas

 


No vale-tudo para defender ideias nas redes sociais, militantes virtuais publicam e compartilham notícias falsas


Em ano eleitoral, a mentira corre solta no Facebook, no WhatsApp e em outras redes sociais, a serviço da defesa das ideias de militantes de esquerda e de direita que se acham no direito de inventar ou de compartilhar notícias falsas apenas porque elas servem aos princípios que eles defendem.  Na cabeça dessas pessoas, pouco importa estar dizendo uma mentira se isso contribuir para a suposta promoção de seu líder político. A verdade é apenas um detalhe.
Essa prática tem lá sua eficiência: no ambiente das redes sociais, o internauta está geralmente conectado a pessoas que têm alguma ligação com ele e com suas ideias, portanto é grande a possibilidade de essas postagens serem compartilhadas “na base da confiança”, sem que ninguém verifique se ela é ou não real.
Assim, a “mentirinha branca” criada para defender um ponto de vista vai sendo compartilhada… até que aparece alguém que dá algum valor à verdade e, com meia dúzia de cliques em sites de pesquisa, descobre a notícia falsa.
Aí, a falsidade é exposta, o autor ou compartilhador da mentira se sente ofendido e, entre os que não são militantes, se acende a luz amarela, diminuindo a credibilidade não só de quem postou “fake news” mas da corrente ideológica beneficiada por elas.

Como se criam notícias falsas

Para criar uma notícia mentirosa, geralmente o autor começa por inventar uma situação possível de ocorrer e atribuir a alguma pessoa ou instituição conhecida a autoria da história. A partir daí, alguém publica isso numa rede social – em casos de militantes virtuais organizados, vários deles  podem publicar a mesma mentira ao mesmo tempo ou com intervalos de minutos entre uma publicação e outra.
Às vezes, um evento real pode ser usado como pano de fundo para a mentira. Isso ajuda a dar credibilidade à notícia falsa.
Outra forma de dar aparência de verdade a notícias mentirosas é evitar a exatidão: usam-se termos genéricos como “um deputado federal disse”, ou “o assessor do presidente do partido tal fez aquilo”, sem dizer quem é o deputado nem mencionar o nome do assessor.
O passado também é ótima fonte de notícias falsas: pegue um fato noticiado por algum veículo de mídia tradicional, há dois ou três anos – ou até mais – e compartilhe-o como se tivesse acabado de acontecer, sem dizer o que ocorreu. Isso funciona muito bem para acusações a políticos em evidência: fulano pode ter sido acusado de desvio de dinheiro em 2012 e esclarecido a acusação meses depois. Como a internet guarda tudo, basta o mal-intencionado “ressuscitar” a notícia da acusação e o fulano volta a ser visto como acusado.

Alguns exemplos

Há alguns dias, circulou pelo Facebook um texto atribuído a Marieta Severo, atriz conhecida nacionalmente e ex-mulher do consagrado compositor Chico Buarque, um texto com severas críticas ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Dias depois, começaram a circular os esclarecimentos: Marieta Severo nunca escreveu o tal texto, nem concorda com ele. Tratava-se de uma notícia mentirosa. As críticas feitas a Lula no texto, como opinião, até mereceriam ser discutidas, mas toda a credibilidade delas se perde quando se percebe que alguém se valeu de uma mentira para divulgá-las.
Também recentemente, circulou pelas redes sociais uma suposta declaração de uma jornalista – que realmente existe – dizendo que recebia dinheiro para divulgar num telejornal notícias  contrárias ao ex-presidente Lula. O objetivo era dar realidade a uma suposta conspiração da mídia contra o ex-presidente e seu partido.
Nesse caso, qualquer pessoa com um mínimo de informação percebe se tratar de uma notícia falsa. Primeiro, porque uma simples busca confirma que a tal jornalista nunca foi, como a notícia falsa afirma, âncora de telejornal; segundo, porque o blog da própria jornalista não tem nenhuma menção às declarações atribuídas a ela.

Experiência pessoal

Há alguns anos, este colunista apurou, para o DIÁRIO DO VALE, uma reportagem em que era comprovada a falsidade de dois boatos espalhados via redes sociais contra dois candidatos que disputavam uma prefeitura.
As mentiras deslavadas foram desmontadas com fatos, mas os autores não desistiram: foram reclamar que o jornal deveria ter “deixado pra lá” e permitido a circulação de inverdades apenas porque era época de campanha eleitoral.
Então tá.

Sem desculpa: Notícias falsas que defendem ideias válidas continuam a ser mentira. (Ilustração: Reprodução)

Sem desculpa: Notícias falsas que defendem ideias válidas continuam a ser mentira. (Ilustração: Reprodução)

17 comentários

  1. Como dizia o Arquivo X : A verdade está lá fora…

  2. Pesquisadores americanos descobriram que duas das duas extremidades do espectro político consumiram e compartilharam as chamadas notícias lixo no período entre outubro de 2017 e janeiro deste ano… Há gente que é paga para desacreditar inclusive os jornalistas profissionais que fazem seus comentários porque agredim as posições políticas de cada um deles!
    Como diria Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”….

  3. Cada um mais genial q o outro. Estão se superando nas missivas, inclusive o autor……………………kkkkkkkkkkkkk

  4. É cada um mais genial q o outro. Estão se superando.

  5. Ontem li num blog que Lula fez um dircurso dizendo que se for eleito em 2018 iria “democratizar os meios de comunicação”… Eu pensei que o blog estava mentindo, fazendo propaganda para desmoralizar o Lula, como se ainda fosse possível desmoralizá-lo ainda mais! Pois, como um condenado de segunda instância vai decidir o que eu ou você devemos ler nos jornais ou escutar nas rádios… Eu pensei que fosse mentira a notícia divulgada no blog, contudo, fiz minha pesquisa, chequei a informação entrando no site de 3 jornais da mídia clássica e 2 revistas tradicionais, e fiquei horrorizado ao saber, realmente, que o criminoso tinha mesmo dito o que disse!
    Como diria Boris Casoy:”Isso é uma vergonha!”…

  6. Política, religião, não se discute, apenas trocasse ideias.
    Pois cada um tem o seu ou sua.
    E vai achar o seu melhor.
    A verdade é que tem lama em tudo.Ha os bem intencionados e também os pilantras.
    Separar o joio do trigo é difícil.
    Enganasse por muito tempo, mas não pela vida toda.

  7. Estou com 84 anos e por este motivo não sou obrigado a votar. Porém faço questão de analisar os candidatos e comparecer as urnas. Democracia é isso. Embora muitos votem por interesse pessoal ( problema deles ), é votando que aprenderemos. Já comecei a analisar os possíveis candidatos a Presidente, Senador e Deputado Federal, e se os meus escolhidos não se elegerem, paciência.

    • Caso o partido que for votar estiver ALIADO ao PMDB, o seu voto ajudará muito o PMDB mesmo que o seu candidato não se eleja.

  8. Roberto Carlos foi entrevistado sobre o momento que o país está passando e ele disse: “Olha, eu acho que nós estamos vivendo um momento realmente muito importante, e eu quero aproveitar para dizer que muita coisa tem sido dita que eu disse e não disse, muito apoio que dizem que tô dando e não tô dando. Enfim…. Então é muito bom saber que eu nunca me manifestei em relação se esse ou aquele deveria ficar ou sair, ou isso, ou aquilo. Isso me aborrece muito e aborreceu ao Gil também, que foi envolvido nessa estória mentirosa, enfim. Alguém que por trás da Internet, faz coisas que não devia fazer…. Eu quero dizer o seguinte: EU NÃO SOU A FAVOR DESSE OU DAQUELE, EU SOU A FAVOR DA JUSTIÇA E SENDO A FAVOR DA JUSTIÇA EU SOU A FAVOR DO SÉRGIO MORO!” Ele terminou o discurso e foi aplaudido de pé durante 6 minutos pelo povo!

  9. A substância da moral política é a hipocrisia… isso inclui a todos, inclusive os eleitores reclamões.

    • Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

      Pode crer. Por isso essa choradeira não me comove, muito pelo contrário… Assista, quando tiver oportunidade, a uma sessão do tribunal do júri. Se vc não conhecer todo o enredo previamente, vai se emocionar com a cara de pobre coitado sofredor do meliante e com a historinha triste do assistente de defesa…

  10. É o mesmo caso do VOTO NULO que anula uma eleição se mais da metade dos eleitores participar. Uma notícia falsa. Coisa de assessores que querem abaixar os votos válidos para seus bandidos se elegerem. Este ano de eleições vai aparecer muitos por aqui. Na verdade eu estou até sentindo a falta deles. Já estamos em fevereiro e nada de assessor de bandidos. rsrs

    Tem os outros e as outras tbm que através das redes sociais é fácil ver o perfil de quem compartilha. Não que seja gente falsa, mas percebe-se que a pessoa é papagaio de pirata por não entender nada de política. Eu costumo verificar que são gente que adora uma praia, adora bebederias, adora um futebol, adora aparecer em viagens, VAI VENDO adora uma novela, etc, e nada de postagem sobre política.

Untitled Document