sábado, 27 de maio de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Alergia ou dermatite alérgica em cães

Alergia ou dermatite alérgica em cães

Matéria publicada em 18 de março de 2017, 07:00 horas

 


Atualmente elas correspondem a cerca de 70% dos casos dermatológicos e, muitas vezes, o diagnóstico é trabalhoso

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

Os cães, assim como nós humanos, também apresentam alergias, sendo as causas bem parecidas, porém, os sintomas são bastante diferentes.

Nos humanos os principais sintomas são de natureza respiratória ou nasal, enquanto nos animais, principalmente os cães, as alergias estão mais relacionadas à pele.

Atualmente elas correspondem a cerca de 70% dos casos dermatológicos e, muitas vezes, o diagnóstico é trabalhoso.

A alergia ou dermatite alérgica é uma doença de pele muito comum tanto em cães que moram em casas, quanto em cães que moram em apartamento. A alergia é uma reação do sistema imunológico do cachorro contra alguma substância. Qualquer coisa que cause alergia no animal é chamada de alérgeno. Alérgeno é aquilo que desencadeia a alergia, seja qual for a substância.

Quando o corpo do cão reconhece a substância como algo estranho, ele reage provocando uma reação alérgica. Isso varia de cão para cão, assim como as alergias variam de pessoa para pessoa. Quanto mais o cachorro tiver contato com o alérgeno, maior a intensidade da alergia, muitas vezes podendo levar o animal à morte. Na maioria das vezes as alergias são manifestadas por dermatites: coceira, vermelhidão na pele, bolinhas vermelhas que parecem espinhas e falhas no pelo.

O animal que apresenta alergia se coça tanto que, na maioria das vezes, esta coceira leva ao aparecimento de inúmeras outras doenças de pele. Esse fator dificulta o diagnóstico, tornando o tratamento ainda mais difícil e demorado.

É bem difícil diagnosticar a alergia de forma confiável através de um exame laboratorial, como os veterinários fazem com tantas outras doenças dermatológicas, tais como as dermatites parasitárias (sarnas), as dermatites fúngicas (micoses), as neoplasias, as doenças autoimunes e tantas outras.

Atualmente, foi desenvolvido um teste bastante sensível que consegue diagnosticar as causas da alergia através de um exame de sangue. Este teste é muito sofisticado, porém, de valor elevado e ainda pouco usado aqui no Brasil.

A dificuldade no diagnóstico, na maioria das vezes, faz com que muitos tutores saiam frustrados da consulta com o especialista em dermatologia, comentando: “Mais um que não sabe o que meu cachorro tem”.

Para o sucesso do diagnóstico é preciso realizar a exclusão de demais dermatopatias pruriginosas (doenças que causam coceira) e, uma vez confirmado a alergia, deverão ser excluídas as diversas causas alérgicas. Isto, na maioria das vezes, gera frustração tanto ao tutor do cão quanto ao médico veterinário. Às vezes o tutor já consultou inúmeros profissionais da medicina veterinária antes de chegar a um especialista, e quer uma resposta simples e objetiva que resolva o problema do seu animalzinho. Por outro lado, os especialistas também se frustram ao perceber o semblante desanimador do responsável pelo animal, pois o mesmo terá que passar por várias etapas antes de descobrir o tipo de alergia que se desenvolve em seu cachorro e, em certos casos, ele terá que lidar com algo incurável por toda a vida.

As causas mais comuns de alergia são ingestão de leite, rações, grãos que contêm na ração, picadas de pulga, atopia canina (alergia de causa não determinada), plantas, grama, pílulas hormonais (quando usadas para evitar o cio em cadelas), detergentes, sabão em pó e produtos de limpeza, lã, poliéster e outros tecidos, vermes, carrapatos e medicamentos.

O melhor tratamento para as doenças alérgicas é simplesmente evitar as causas da alergia. Na maioria dos casos, retirar do ambiente todas as possíveis causas da alergia se torna uma tarefa praticamente impossível. O tratamento com medicamento, na maioria das vezes se faz necessário, sendo que o uso prolongado de algumas substâncias, principalmente aquelas aplicadas por via injetável, pode causar sérios problemas colaterais tanto a médio como a longo prazo. Uma ótima alternativa que vem sendo cada vez mais utilizada para controlar estes sintomas, são as vacinas (hiposensibilização ou imunoterapia) preparadas individualmente de acordo com os resultados dos testes para o diagnóstico da alergia. Nunca podemos esquecer que as doenças alérgicas na maioria das vezes estão associadas a várias outras doenças de pele, e o tratamento destas outras enfermidades são fundamentais para o sucesso da imunoterapia.

Cuidados: Melhor tratamento para as doenças alérgicas é simplesmente evitar as causas da alergia (Fotos: Divulgação)

Cuidados: Melhor tratamento para as doenças alérgicas é simplesmente evitar as causas da alergia (Fotos: Divulgação)

Preciso de um lar

Esse é o Tico, um machinho de um ano, porte pequeno, vira-lata. Ele é super dócil, bom guardião e protetor. Vamos ajudá-lo a encontrar um lar?!

foto 2

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

Um comentário

  1. Porque não fazem uma matéria sobre alergias à animais o médico do meu filho disse que ele não pode ter, passarinho, gato , cachorro…

Untitled Document