segunda-feira, 26 de junho de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Asfalto quente pode ser um perigo para as patinhas do seu animalzinho

Asfalto quente pode ser um perigo para as patinhas do seu animalzinho

Matéria publicada em 4 de fevereiro de 2017, 07:00 horas

 


Muitas vezes esquecemos que os cachorros também sofrem com a temperatura do chão

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

A temperatura do chão nos dias quentes pode ser muito cruel para os pés dos animais, assim como é para os nossos. E por mais que seja óbvio, ainda existem muitos donos de cães que têm o hábito de levar seus animais para passear na rua em épocas quentes e em horários extremamente exaustivos.

Imagine você andando descalço sobre o asfalto quente! Seria insuportável, não é? Pois bem, é assim que eles se sentem também.

Muitas vezes esquecemos que os cachorros, que não estão lá muito acostumados a usar sapatos, também sofrem com a temperatura do chão. Afinal, as suas patas podem ser mais protegidas naturalmente que nossos pés, mas também são tão sensíveis a altas temperaturas quanto a sola dos nossos pés, e por isso também precisam ser protegidas de altas e baixas temperaturas.

Embora os coxins (almofadinhas localizadas na parte da sola das patas) possam parecer resistentes, eles são consideravelmente frágeis e não suportam temperaturas elevadas. As consequências podem ser dolorosas e terríveis. Pois, quando as patinhas entram em contato com o chão muito quente, podem sofrer queimaduras sérias e até formar bolhas.

Mas então, como saber se a temperatura do chão está apropriada ou não para o passeio?

Para testar a temperatura, uma boa técnica é a de colocar as costas da sua mão em contato com o chão quente por volta de 5 segundos. Se for possível aguentar a temperatura em sua mão durante este tempo, o animal pode passear no chão sem problemas, caso contrário, o passeio deve ser deixado para outra hora. Lembrando que asfaltos concentram temperaturas muito mais elevadas que calçadas!

Outra dica para saber se a temperatura do chão está adequada para as patas dos animais, é colocar a sola dos seus próprios pés nos chão. As patas têm certo grau de resistência se comparada à sola dos pés, porém, a sensibilidade é bem parecida. Se você aguentar, o chão está em condições que não prejudicam a pata do seu bichinho.

Engana-se quem pensa que no inverno não precisa fazer o teste. O gelo também pode queimar as patinhas. Além disso, há dias da estação em que o sol está bem quente, por isso é aconselhável passear com os animais em horários mais frescos.

Portanto, quando for levar seu pet para passear nas ruas durante dias de sol quente, escolha horários em que o clima esteja mais fresco (antes das 10h ou depois das 16h).

No caso de ter que levar seu cão para passear quando o chão ainda estiver muito quente, é recomendado o uso de algum tipo de proteção nas patinhas, para evitar que os coxins sejam queimados pela alta temperatura do asfalto. Embora o uso de sapatinhos caninos seja condenado por muitos, eles podem ser bastante úteis nesse tipo de ocasião, já que protegem as patinhas de qualquer tipo de ferimento ou queimadura.

No entanto, evite obrigar seu cão a usar esse tipo de acessório caso ele não se adapte bem a ele, pois o incômodo de um cachorro ao usar um sapatinho também pode ser grande e, inclusive, causar acidentes, tendo em vista que o andar do animal se torna muito mais complicado com os acessórios calçados. Também existem ceras destinadas a patas sensíveis ao calor.

Fique de olho no comportamento do seu cão. Cães podem ter dificuldade em eliminar o calor e passar mal se submetidos a esforços excessivos, principalmente quando se trata de um cão de focinho curto.

Ofereça pausas para um pouco de água, levando sempre uma garrafinha com você. Também não se esqueça de protegê-lo do sol, no caso dos animais de pelos claros. Pergunte ao seu veterinário sobre os filtros solares mais indicados ao seu cão.

Atenção: nunca deixe o seu animalzinho dentro do carro nos dias quentes, mesmo se as janelas ficarem abertas. A temperatura alta pode matar o seu bichinho rapidamente!

Essas dicas parecem óbvias não é? Mas, infelizmente, muitas pessoas ainda se esquecem desses cuidados. Então pessoal, vamos ficar atentos, e zelar pelo bem estar dos nossos companheiros. Tomando esses cuidados, você vai poder passear tranquilamente com seu amiguinho e curtir momentos inesquecíveis com ele.

Passeando com seu pet: Escolha horários em que o clima esteja mais fresco (Fotos: Divulgação)

Passeando com seu pet: Escolha horários em que o clima esteja mais fresco (Fotos: Divulgação)

Cantinho do leitor

Essa coisa mais linda é o Moro. Ele ainda é um filhotinho. É o mais novo cãozinho da Dolores, é a alegria da casa.

foto 2

 

Esse é o Valente, o melhor amigo da Aline Ribeiro

foto 3

 

Preciso de um lar

O Caramelo é um machinho de dois meses, de porte médio, muito dócil e brincalhão. Vamos ajuda-lo a encontrar um lar? Interessados podem mandar e-mail para a coluna (glayce.cassaro@diariodovale.com.br)

foto 4

 

Esses filhotinhos foram abandonados no bairro Santa Rita, em Barra Mansa. Quem quiser adotar um deles é só mandar e-mail para a coluna

foto 5

 

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

 

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

2 comentários

  1. Você precisa falar sobre os donos de cachorros que gostam de passear com eles. Muitos além de correr andam de bicicleta com eles. Eu ainda não vi alguém colocar o amiguinho para passear e o dono vai de moto, mas não demora.

    Assim o amiguinho que é obeso e sedentário é obrigado a andar e até correr nos piso quente e o dono na bicicleta.

    Eu gosto é do Califa que deixa o Branco à vontade. Ainda não sabemos se o dono coleta as fezes e urina do Branco pelas ruas. rsrsr

Untitled Document