sexta-feira, 25 de Maio de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Belos gols

Belos gols

Matéria publicada em 17 de outubro de 2015, 08:45 horas

 


A seleção brasileira, fazendo um gol aos 36 segundos de jogo, acabou não fazendo o teste do emocional dos jogadores

wp-coluna-entornando-o-papo-nelson-rodrigues-filho

O Fluminense vem se caracterizando pelos bonitos gols que seus atacantes vêm fazendo.
O gol do Marcos Júnior desta quarta-feira nos mostra que o garoto, sim é apenas um garoto ( em termos de futebol “dos grandes” está saindo das fraldas) que está amadurecendo rapidamente.
Há pouco já havia feito um golaço como também o excelente Scarpa fez. Gols lindos e que mostram um amadurecimento de veterano goleador.
O time do Fluminense vem fazendo um futebol solidário e sobretudo eficiente, graças à capacidade de marcar esses gols fundamentais.
Contra o São Paulo, o Marcos Júnior, que recebeu uma ótima enfiada do  Vinicius,  nos surpreendeu ao trocar uma jogada que indicava um cruzamento a seguir por um lance que apontava imediatamente para o gol. E chutou excelentemente bem.
Golaço.
Neste momento, o Tricolor passou a ter a tranquilidade para segurar o bom time do São Paulo.
Cavalieri esteve bem e contou com a sorte quando dois chutes do Luiz Fabiano e do Pato beijaram a trave. É bem verdade que foram duas bitocas que pegaram de raspão nesses “zagueiros” que estavam de plantão.
Mais tranquilo, o Tricolor pode pensar na Copa do Brasil e talvez, poupar algum jogador contra o Cruzeiro, em especial o Fred, que continua ser fundamental à equipe.
O Flamengo perdeu excelentíssima oportunidade de dar uma mergulhada no G4.
Todo o jogo comandando a posse de bola (chegou perto dos 70%), mas só confirmou que essa estatística, por si só, nada diz. A objetividade conta muito e, nesse quesito, o time catarinense sobrou.
O time carioca deu azar no primeiro gol do Figueirense, quando Canteros escorregou.
Porém, não se perde o gol que o Kayke perdeu cabeceando da linha da pequena para o chão.
A seleção brasileira, fazendo um gol aos 36 segundos de jogo, acabou não fazendo o teste do emocional dos jogadores.
Ficou mais fácil o jogo que, no final, após o terceiro gol, ficou gostoso de ver, com o Lucas Lima se destacando.
Bom para a seleção ter vencido. E melhor ainda poder contar com a volúpia do William de partir para a área adversária.
É o melhor da seleção.

 

NELSON RODRIGUES | nelson.filho@diariodovale.com.br

Untitled Document