quarta-feira, 24 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Ciência – Por Jorge Calife / Caçando buracos negros

Caçando buracos negros

Matéria publicada em 7 de junho de 2018, 07:27 horas

 


Galáxia explosiva M-82 pode ter vários buracos de tamanho médio

 

Galáxia: O ponto brilhante no detalhe é um buraco negro.

A descoberta dos buracos negros, estrelas tão densas que nem a luz consegue escapar delas, foi uma das grandes conquistas da astronomia. As estrelas negras tinham sido previstas pela teoria da Relatividade, mas até a década de 1970 ninguém falava nelas. Então o primeiro buraco negro, o Cisne X-1 foi detectado com a ajuda de satélites em órbita, como o telescópio de raios X Uhuru. Depois outros foram detectados, e eram todos do tipo “buraco negro estelar”, produzidos pelo colapso gravitacional de estrelas gigantes.
À medida que os telescópios espaciais ficavam mais sofisticados e sensíveis, surgiram evidências da existência de super buracos negros, no centro das galáxias. São buracos negros enormes, com massas de milhões ou até bilhões de sóis. Uma descoberta que levantou outra questão. Como é que eles se formam? Uma teoria é de que esses monstros galácticos surgiriam da fusão de buracos negros de massa intermediaria. Agora evidencias da existência desses buracos negros médios foi detectada na galáxia M-82. Uma galáxia explosiva que parece estar lançando parte de sua matéria no espaço sideral.
Galáxias explosivas sempre chamaram a atenção dos astrofísicos. Há duas semanas comentei aqui o caso da M-82, que lança um feixe de energia no espaço, ela contêm um buraco negro gigante, com a massa de 3,5 bilhões de sóis. A M-82 é bem menor e seu núcleo parece estar explodindo. Observações feitas com o telescópio de raios X Chandra, que é bem mais sensível do que o antigo Uhuru, e com o telescópio espacial Spizer permitiram detectar um buraco negro de massa intermediaria, o M-82 X-1 que aparece como um ponto brilhante no detalhe da foto aí ao lado.
Mas se os buracos negros não emitem luz, como é que eles aparecem como pontos brilhantes? Na verdade a luz captada pela foto vem do disco de acreção, um redemoinho de matéria incandescente que envolve o buraco negro. Matéria do espaço e de outras estrelas é capturada pela gravidade do buraco negro e gira ao seu redor em velocidades relativísticas. Essa matéria é aquecida a altas temperaturas e como está quente demais para emitir luz visível emite raios X.
Uma teoria sobre a formação desses buracos negros de tamanho médio diz que eles se formam devido à colisão de estrelas no centro de aglomerados globulares. Esses aglomerados são enxames de estrelas que orbitam em torno do núcleo da maioria das galáxias. Segundo o site Space.com, a pesquisa desses buracos negros é liderada pelo astrofísico russo Igor Chilingarian, que conseguiu a proeza de trabalhar, ao mesmo tempo, no Observatório Smithsoniano dos Estados Unidos e na Universidade de Moscou.
Ele espera que a nova geração de telescópios espaciais, que inclui o eRosita, que será lançado ao espaço no ano que vem permita confirmar essas hipóteses. A pesquisa de buracos negros ajuda os astrônomos a entenderem melhor a evolução do universo e das galáxias.
Até agora a Pesquisa Celeste Sloan 305 objetos, que podem ser buracos negros de tamanho médio, localizados no núcleo de galáxias próximas. Até mesmo a nossa galáxia, a Via Lactea, parece ter um buraco negro em seu núcleo, mas deve ser um buraco de tamanho grande. Esses astros são chamados de “buracos” porque eles sugam tudo o que se aproxima deles e consomem estrelas inteiras. E tudo o que cai no buraco negro desaparece para sempre. Pelo menos no que se refere ao nosso universo.
Uma teoria, não comprovada, diz que dentro dos buracos negros podem existir passagens para outros universos, mas essa hipótese deve ficar para sempre no campo da teoria. Os buracos negros estão muito longe, além do alcance das nossas naves e sondas espaciais. E mesmo que uma sonda robô pudesse entrar num deles, ela não conseguiria mais se comunicar com o universo exterior.

Por: Jorge Luiz Calife – jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Abril confirma, em comunicado a assinantes, o fim dos quadrinhos Disney na editora.
    O buraco negro os sugou.

  2. Tudo o que cai no buraco negro desaparece para sempre…
    Meu filho de 12 quando perde material na escola, diz que caiu no buraco negro…

Untitled Document