terça-feira, 16 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / De volta aos tempos da Guerra Fria

De volta aos tempos da Guerra Fria

Matéria publicada em 16 de março de 2018, 07:30 horas

 


Envenenamento de espião provoca crise entre Inglaterra e Rússia; não víamos coisa igual desde os anos 80

wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife-2
Enquanto escrevo essas linhas, em uma sufocante tarde de verão, lá, na fria Britânia, o clima também está esquentando. A primeira ministra inglesa, Theresa May, deu um ultimato ao líder russo Vladimir Putin. Se ele não explicar como uma arma química russa (o agente nervoso Novichok) foi usada para envenenar um ex-espião em Londres, a Inglaterra tomará medidas drásticas. Que incluiu a expulsão de 23 diplomatas russos.
Não víamos coisa igual desde a Guerra Fria dos anos 80. Quando o presidente americano Ronald Reagan chamou a União Soviética de “Império do Mal” depois da derrubada de um Boeing coreano por caças russos. E cancelou a participação americana na Olimpíada de Moscou. O fato é que os soviéticos, e seus sucessores, os russos, sempre tiveram o costume de eliminar dissidentes que se refugiam no exterior. A começar pelo assassinato de Leon Trotski, no México, em 1940, por agentes do NKVD, o serviço secreto soviético, que receberam a missão de silenciar o antigo companheiro de Lenin por ordem do próprio Stalin.
Trotsky foi morto com um picador de gelo. De lá para cá os agentes soviéticos e russos desenvolveram modos muito mais eficientes de eliminar seus alvos. Em 1978, por exemplo, o dissidente búlgaro Georgi Markov foi atacado na ponte de Waterloo, em Londres, com um guarda-chuva envenenado. Markos sentiu uma picada na perna, foi hospitalizado e morreu três dias depois. Os médicos encontraram uma minúscula cápsula de veneno que tinha sido introduzida na sua perna com a ponta de um guarda-chuva.
No romance “Moscou Contra 007” o escritor Ian Fleming tinha imaginado uma arma semelhante. A espiã soviética Rosa Kleb quase mata James Bond com lâminas envenenadas que se projetam das pontas de seus sapatos. Kleb trabalhava para a Smersh, que quer dizer “morte aos espiões”, e foi uma organização de contra espionagem criada por Stalin durante a Segunda Guerra Mundial e depois absorvida pela NKVD.

Mortal: O guarda-chuva que matou o dissidente

Mortal: O guarda-chuva que matou o dissidente

Outro assassinato que teve ampla repercussão foi a morte do ex-agente da FSB (serviço secreto russo que substituiu o antigo KGB da União Soviética) Alexander Litvinenko. Ele morreu em 2006 depois de uma longa agonia em um hospital de Londres. Ele tomou um chá contaminado pelo elemento radioativo Polônio, mas viveu o suficiente para contar quem eram seus companheiros no chá da morte. Eram Andrei Lugovoi, ex-agente da KGB que se tornara empresário, e seu amigo de infância Dmitri Kovtun. Apesar das evidências Putin se negou a extraditar os dois.
Na semana passada houve outro ataque semelhante. O ex-agente duplo Serguei Skripal e sua filha Yulia foram envenenados em um pub britânico com um agente químico desenvolvido para o exército russo. O Novichok é um veneno oito vezes mais potente do que o gás VX, usado para matar o meio-irmão do líder coreano Kim Jong-un no ano passado. Ele provoca convulsões e dores intensas. E se a vítima sobreviver sofrerá sequelas pelo resto da vida.
Putin, como sempre, nega qualquer envolvimento. Mas o governo britânico quer saber como uma arma química do exército russo foi usada contra um dissidente em solo britânico. E os ataques citados acima podem ser apenas a ponta de um iceberg. O serviço secreto britânico está investigando 14 mortes suspeitas de dissidentes russos ocorridas na Inglaterra nos últimos anos.
Em uma recente entrevista Putin disse que “é capaz de perdoar algumas coisas, mas não todas”. E quando o repórter perguntou o que ele não perdoava o líder russo disse: “A traição”. Serguei Skripal era um ex-agente duplo, que foi preso por ceder informações para os americanos. Uma traição imperdoável.

 

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Depois ainda falam que o maluco autoritário é o Donald Trump. Os Russos a cada dia se tornam uma ameaça maior à paz mundial. Sorte do mundo que atualmente os EUA são governados por alguém com colhões, que não cede a ameaças e fala grosso na mesa de negociações.

    • Sem dúvida o Trump é um garoto mimado e um psicopata da mais alta qualidade. Isso ele já provou! Onde quero chegar é que quem pensa que os Estados Unidos da América são os salvadores do mundo, digo que estão vendo muitos filmes produzidos por eles. Entre todos os países do nosso planeta não existem os bonzinhos, pois o egoismo e a sede de poder imperá em todos os governos. O homem é um predador de depredador de sí mesmo.

    • Os EUA são a única esperança para o mundo livre. Um mundo em que a potência hegemônica for a China ou a Rússia será muito pior. É o único país democrático capaz de peitar essas ameaças.

  2. Os russos sempre foram covardes…. Todo comunista é covarde e mentiroso!
    Antes da Segunda Guerra Mundial a Inglaterra já pressionava a Alemanha contra a política beligerante contra os judeus, que era o primórdio do Holocausto, enquanto isso Stálin fazia uma aliança com Hitler para partilhar a Polônia ao meio!
    Quando Hitler resolveu romper o pacto de não-agressão com a URSS, Stálin ao invés de entrar na guerra contra Hitler, Stálin decidiu pagar em ouro dinheiro aos nazistas em troca da neutralidade, contudo o submarino russo com o ouro não chegou na Alemanha, pois afundou antes!
    Os comunistas matam os espiãos, pois não dão nenhum valor à vida humana, tanto é que em todos os países em que o comunismo tomou poder houve guerras; fome; prisão de políticos antagonistas; fechamento de rádios, jornais e televisões independentes; fechamento de instituições religosas e assassinatos de bispos, padres e pastores!
    Hoje, já não é possível mais sustentar alguém que defenda essa ideologia política, que mais se assemelha a uma seita ateística!
    Como diria o ex-Senador Mão Santa: “A ignorância é audaciosa!”….

  3. O senhor precisa se informar, mais sendo imparcial, mesmo q suas convicções política não corroborem c os fatos.
    O senhor tem conhecimento das prisões secretas da CIA ?

  4. Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

    Matou um cidadão britânico? Não? Então é melhor essa poodle se calar, sob pena de, em vez de apenas um russo, morrerem milhares, quiçá milhões de britânicos…

    • Eles não se calaram diante de Hitler…
      Além disso, um policial britânico também foi afetado com esse ataque, portanto, foi um ataque de uma nação estrangeira contra os britânicos também.

      Não acredito que os russos são loucos de arranjarem confusão com membros da OTAN. Se isso acontecer, as milhares de baixas serão do lado russo.

    • Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

      Já ouviu falar em efeito colateral? A Rússia tem o segundo maior arsenal bélico do mundo. Ainda que sucumbam num eventual conflito, as baixas no lado contrário seriam pesadíssimas…

      Aí eu volto a perguntar: compensa esse arrufo? A troco de quê?…

  5. COMO SÃO MALVADOS OS RUSSOS… COMO SÃO BONZINHOS OS AMERICANOS…

  6. Os defensores de fascistas começarão a gritaria em: 3,2,1….

Untitled Document