sábado, 25 de novembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Desidratação em cães e gatos pode ser grave

Desidratação em cães e gatos pode ser grave

Matéria publicada em 23 de agosto de 2017, 07:00 horas

 


Dependendo da causa, problema pode gerar perda excessiva de líquidos, agravando rapidamente a saúde do animalzinho e levando ele à morte

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

Desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo, o que interfere nas funções normais do organismo, por isso é considerada uma doença grave.

Muitas pessoas acham que a desidratação ocorre apenas pela falta de ingestão de líquidos, mas, além disso, outros fatores também são desencadeadores do problema, como a exposição por muito tempo ao sol, febre, doenças renais, diabetes, vômito persistente e diarreia. Esses dois últimos são os principais motivos que levam os animais à clínica veterinária.

Dependendo da causa, a desidratação nos cães e gatos pode gerar perda excessiva de líquidos, agravando rapidamente a saúde do animalzinho, levando ele à morte.

Para saber se o animal está com desidratação, o proprietário pode ficar atento há alguns sinais, como gengivas e língua secas, olhos secos ou saltados, respiração ofegante, perda de peso, apatia, falta de apetite, batimentos cardíacos acelerados e falta de elasticidade da pele.

Testar a elasticidade da pele é uma forma bem fácil para o tutor observar se o seu animalzinho está desidratado, basta puxar a pele dele, em qualquer parte do corpo, e observar o tempo que ela demora para voltar à posição normal. O retorno, em animais saudáveis, bem hidratados, deve ser imediato, se isso não acontecer, é indicativo de desidratação.

Conforme vimos, a desidratação em animais é grave, sendo assim exige certa rapidez no tratamento. Tentar tratar o animal em casa não é a melhor escolha, pois isso pode levar a outras complicações, principalmente porque é preciso identificar a causa da desidratação, e somente o médico veterinário é preparado para isso.

As pessoas precisam entender que para tratar uma desidratação não basta apenas oferecer líquidos em excesso e de qualquer maneira para curá-los. O fornecimento da quantidade errada de líquidos para o organismo do animal pode agravar o quadro. Para isso existe a fluidoterapia, que é um procedimento utilizado pelos médicos veterinários para acabar com a desidratação dos cães e gatos, que é feita através da administração de soro de forma oral, intravenosa, subcutânea ou intra-óssea. A via de administração vai depender do caso e do grau de desidratação de cada indivíduo, sendo avaliado e eleito pelo médico veterinário.

Cuide do seu pet: Forneça água em recipientes limpos, à vontade e sempre fresca (Fotos: Divulgação)

Cuide do seu pet: Forneça água em recipientes limpos, à vontade e sempre fresca (Fotos: Divulgação)

Para prevenir a desidratação é preciso:

– que o animal não fique muito tempo exposto ao sol quente, mesmo se for para atividade física; faça isso em horários frescos

– forneça água em recipientes limpos, à vontade e sempre fresca, para isso troque a água várias vezes ao dia

– tome cuidado com alimentos estragados ou impróprios para consumo, eles podem causar vômito e diarreia nos animais, e como consequência a desidratação

– mantenha as vacinas do seu animalzinho sempre em dia. A vacina previne doenças graves que tem como sintomas o vômito e diarreia, difíceis de ser tratados, acarretando assim desidratação gravíssima nos animais. Caso seu cão ou gato não esteja com as vacinas em dia, deixe-o afastado de outros animais, até que consiga colocar as vacinas todas em dia

– evite mudanças bruscas de alimentação, por exemplo, a troca de ração não deve ser feita de uma só vez, ela precisa ser gradual. Devemos entrar com parte da nova e parte da antiga, até que ocorra completamente a troca. Mas a pessoa correta para indicar como fazer a troca de ração de forma correta é o médico veterinário, então, informe-se com um profissional de confiança antes de fazer a troca

– mantenha sempre seu animalzinho em locais protegido do sol, fresco e ventilado nos dias quentes

– evite locais com pouca higiene ou que estejam contaminados com muitas bactérias, vermes ou parasitas

– esteja sempre em dia com o controle da verminose do seu animalzinho.

Tomando esses cuidados, fazendo sempre o teste da desidratação, as chances de você perder seu amiguinho para a doença é bem pequena. Então, fique atento!

 

Cantinho do leitor

Essa fofura é a Pitutinha, filha de Thóthy e Polly. Os donos são João Victor e Edilberto Venturelli. Ela está com três meses.

cantinho do leitor

 

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

 

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

Untitled Document