segunda-feira, 23 de outubro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / É preciso atenção com os fogos de artifício

É preciso atenção com os fogos de artifício

Matéria publicada em 31 de dezembro de 2016, 07:30 horas

 


Animais não estão habituados ao barulho ou sons intensos e geralmente reagem mal

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

As festas de final de ano são a pior época para os animais, isso porque é nessa época que as pessoas costumam soltar muitos fogos de artifício, e o barulho ensurdecedor causa pânico neles.

Os animais não estão habituados ao barulho ou sons intensos e geralmente reagem mal aos fogos de artifício. Alguns cães se mostram apenas incomodados, mas outros chegam ao ponto de desenvolver fobias e entrar em pânico.

Eles reagem assim, isso no caso dos cães, pois possuem a audição quatro vezes mais potente do que a dos humanos, então, imagina o quanto esse som é assustador para eles! Daí a importância de ficarmos atentos nessa época do ano.

Os fogos são responsáveis por acidentes dos mais variados tipos, principalmente com cães. Quando se solta fogos e rojões, os animais se assustam facilmente, e o pânico desorienta o animal, fazendo com que muitos deles fujam apavorados e acabem perdidos e/ou atropelados; outros na ânsia de se livrarem do intenso barulho terminam enforcados em suas próprias correntes/coleiras; alguns animais chegam a pular das janelas de apartamentos de andares altos. Há ainda muitos animais que sofrem paradas cardiorrespiratórias, convulsões, entre outros problemas que podem levar à morte. O pior de tudo é que nessas épocas, dificilmente se encontrará veterinários disponíveis para um atendimento emergencial, daí, o mais acertado é prevenir.

Prevenção

Para evitar esses acidentes, garanta condições mínimas de segurança e evite ambientes conturbados e barulhentos. O ideal é criar um ambiente adequado para esses momentos. Veja como:

– Prepare um ambiente dentro de casa, um cômodo tranquilo, aconchegante e seguro;

– Tire tudo que possa ser perigoso, que possa quebrar e machucar o animalzinho;

– Nesse ambiente, prepare um abrigo, uma espécie de toca, onde o animal possa se esconder e se sentir protegido; é importante que essa toca fique longe da janela;

– Feche portas e janelas, certifique-se de que ele não tem como fugir do local onde se encontra, evitando assim fugas e acidentes fatais;

– Feche também as persianas e as cortinas para isolar o som e a luz, se possível coloque cobertores pesados nas janelas, isso ajuda a isolar o som dos fogos;

– Deixe nesse ambiente, uma iluminação suave e o som de uma TV ou rádio ligado. Aumente aos poucos o volume de tal forma que ele se distraia e se acostume com um som alto. Assim não ficará tão assustado com o barulho intenso e inesperado dos fogos;

– Coloque o animalzinho nesse ambiente um tempo antes e deixe junto com ele, um brinquedo que ele possa se distrair, de preferência recheado com alguma comidinha ou petisco;

– Se possível não o deixe sozinho, mas se não tiver como, que tenha alguém para dar uma olhada nele de tempo em tempo;

– Não deixe muitos animais juntos, pois, excitados pelo barulho, brigam até a morte. Tente deixá-los em quartos separados.

– Alimente-o uma hora antes dos fogos de artifício começarem, para que esteja com sono na hora dos fogos;

– Forneça alimentos leves, pois distúrbios digestivos provocados pelo pânico podem matar (torção de estômago, por exemplo).

chamada

Para evitar acidentes, garanta condições mínimas de segurança (Foto: Divulgação)

Atenção

– Nunca leve o animalzinho a um espetáculo de fogos de artifício.

– Se você teve experiências negativas da última vez, ou se sabe que seu animalzinho entra em pânico com os fogos, procure um médico veterinário, talvez um calmante ou até mesmo a sedação será a melhor solução pra ele.

– Alguns médicos veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos, o que também pode ser uma boa solução, porém, deve se ter muito cuidado, e colocá-los minutos antes e tirados logo após os fogos. Não esqueça de tirar.

– Jamais deixe o animal acorrentado, pois ele acaba se enforcando em função do pânico.

– Piscinas também podem oferecer risco de morte ao seu animal. Deixe a piscina protegida e os animais bem longe dela.

– Deixe o seu animalzinho com uma plaquinha de identificação, contendo nome e telefone para contato. Na maioria das fugas os donos nem imaginam como eles conseguiram fugir, por isso, se isso acontecer, você terá a chance de ser contatado caso alguém o encontre.

Enfim, fique atento a seu bichinho, tome todos os cuidados que falamos acima, e tenha uma ótima virada de ano, sem nenhum susto com seu amiguinho.

Cantinho do leitor

Essa é uma foto muito especial, para fechar o ano com chave de ouro. Essa mãezinha é a Dourada, ela entrou em trabalho de parto e não teve passagem, devido a um atropelamento. E a bebezinha, veio ao mundo muito cansadinha, estava desacreditada. Mas com todo o carinho, cuidado e dedicação da mãezona, ela sobreviveu, e hoje temos essa foto linda, de uma nova vida.

foto-1

 

Esses são a Meg e o Jordão, os filhos queridos da Bruna de Almeida e do Phillipe Leite

foto-2

 

Preciso de um lar

Essa é a Chica, uma fêmea castrada, com aproximadamente dois anos, de temperamento dócil e muito carinhosa.

foto-3

 

Essa é a Negresco, uma fêmea muito dócil e carinhosa, de porte médio com aproximadamente 90 dias. Interessados em adotá-la podem entrar em contato comigo, através do e-mail da coluna.

foto-4

 

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

Untitled Document