segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Gatos também sentem frio?

Gatos também sentem frio?

Matéria publicada em 13 de junho de 2018, 07:16 horas

 


 

O frio já chegou e é sempre muito importante tomarmos cuidados com nossos animais de estimação, zelando assim pela saúde deles e isso inclui também os gatos.

O fato dos gatos apresentarem alguns comportamentos diferentes dos cães, principalmente aqueles que nos dão a ideia de independência, isso faz com que muitas pessoas não se preocupem tanto com eles, pois acreditam que os felinos conseguem encontrar solução para todos seus problemas. Mas diferente do que muitos pensam, os gatos precisam de cuidados sim, principalmente neste período de frio.

É importante saber que assim como todos os mamíferos de sangue quente, os gatos também sentem as temperaturas, assim como nós. E apesar deles muitas vezes não demonstrarem que estão com frio, como os cães, eles também sofrem com as baixas temperaturas.

Portanto, com a chegada do inverno, independente da pelagem do seu gatinho (curta ou longa), é preciso sim ficar atento e tomar cuidado com seu felino para que ele continue forte, saudável e aproveite cada segundo da estação mais fria do ano ao seu lado. E para isso você deve ter os seguintes cuidados:

– para os gatos que têm acesso à rua é fundamental limitar as saídas do seu gato em horários e dias mais frios. E ao deixar seu animalzinho sair, é necessário deixar um local de entrada na casa que seja de fácil acesso para que ele consiga retornar o mais rápido possível, sem ficar preso do lado de fora esperando que alguém abra a porta para ele entrar;

– crie um cantinho isolado, quentinho e aconchegante dentro de casa, evitando cômodos muito gelados, pois os felinos precisam de um lugar assim para dormir e se proteger durante os dias mais frios do ano;

– providencie uma caminha que seja realmente convidativa, colocando mais cobertas ou panos. Em lugares de muito frio, pode ser colocada uma bolsa térmica ou garrafa pet com água quente, junto à cama e envolta por panos para aquecê-los mais. Porém se preferir, no mercado pet existem camas térmicas para deixar o ambiente ainda mais aquecido para os felinos. Uma outra dica importante é colocar a cama do seu gatinho em um local mais alto, evitando que fique diretamente em contato com o chão;

– forneça alimentação de qualidade, pois uma boa alimentação mantém a imunidade do bichano, protegendo-o de doenças da época, como resfriados. Além disso, ela faz com que seu animal tenha pelos saudáveis e pele resistente, que vão lhe proteger das intempéries. Se informe com um médico veterinário qual a melhor alimentação para o seu gatinho e como fazer a troca caso necessário;

– mantenha a vacinação em dia, ela protegerá seu gatinho de diversas doenças, dentre elas a rinotraqueíte ou complexo respiratório viral felino, doença comum nessa época, pois o vírus se manifesta em baixas de imunidade, comum em períodos mais frios. Mas lembre-se, independente da estação do ano, a vacinação do seu bichano deve estar sempre em dia, garantindo-lhe proteção durante todo o ano;

– fique atento a quaisquer sintomas, como por exemplo, secreção nos olhos e nariz e espirros, que são indicativos de alguma doença e exigem atendimento médico veterinário;

– tome cuidado com roupinhas, as quais são indicadas somente para gatos acostumados, sem pelos e que fiquem dentro de casa. É bastante comum acidentes em gatos com roupinhas nas ruas. Além disso, normalmente os gatos não gostam de roupinhas e tendem a cair de lado ou ficar paralisados quando colocamos roupinhas neles, sendo assim não insita caso ele não se sinta bem;

– coloque seu gatinho para tomar sol diariamente se possível, porém tome cuidado, pois apesar de ser uma boa fonte de calor deve-se ter cuidado com a exposição excessiva, pois apesar do frio e das nuvens, os raios solares continuam causando dano à pele, sendo assim, evite os horários de pico, que são entre 10h e 15h.

– em casas com aquecedores de ambiente é preciso tomar cuidado com a umidade do ar, que fica ainda mais baixa quando esses equipamentos são ligados. Providencie bacias com água ou toalhas úmidas para melhorar a umidade e prevenir problemas respiratórios neles;

– fique atento a temperatura corporal do seu gatinho, colocando as mãos nas orelhas e patinhas; pois quando a temperatura de um gatinho está muito baixa suas extremidades ficam mais frias, pois possuem menor aporte de sangue. Isso é mais comum nos animais que têm acesso à rua, pois dentro de casa eles sempre buscam se aquecerem nas caminhas, cobertores ou nos próprios tutores. Então, se seu gato retornar da rua com as extremidades molhada e/ou frias, é recomendado secá-las e aquecê-las, seja com um secador de cabelo, lâmpada amarela ou bolsa de água quente, mas tome muito cuidado para não queimá-lo. E se a fonte de calor não for suficiente para aquecê-lo, pode ser necessário atendimento médico veterinário.

– e com relação aos banhos, eles já são poucos indicados de uma maneira geral nos gatos, pois podem causar muito estresse, exceto quando há indicação médica para o banho. Sendo assim, nesta época, é recomendado que evite lavar os gatos em casa, porque a temperatura do corpo baixa ainda mais. Sendo assim, se o banho for de extrema necessidade é imprescindível que o animal seja seco com toalha e secador de cabelo, sendo o mais recomendado levá-lo a um pet shop para isso.

E pra finalizar fica uma ótima dica para você tutor de gatos, eles são uma boa fonte de calor, por isso aproveite o friozinho para ficar agarradinho com seu bichano e ficar algumas horas aproveitando o calor do corpinho dele. Esse contato não só aquece os corpos como faz muito bem para ambos.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Gostei. É muito bom ler artigos sobre os maravilhosos gatos.

Untitled Document