domingo, 18 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Leite de saquinho

Leite de saquinho

Matéria publicada em 23 de janeiro de 2018, 11:46 horas

 


wp-coluna-contos-e-cronicas-alexandre-correa-lima

Eu admito que sou um saudosista. Volta e meia recordo das músicas da minha adolescência, dos filmes e tudo que povoava minha imaginação naqueles tempos longínquos.

É pouco provável que o mundo de antigamente fosse melhor que o de hoje. É que a gente vai ficando velho e o caminho no retrovisor às vezes parece maior e mais interessante que o caminho à frente. Talvez não seja nada disso também.

Mas tinha uma coisa que eu odiava na minha infância. Era o raio do leite de saquinho. Eu ia na padaria, comprava seis pães e um saquinho de leite. Era um estorvo carregar aquele treco de barriga mole, um saquinho todo troncho, pesado, molhado, e que você tinha que manter afastado do saco do pão que estava seco e quentinho.

E tinha que ferver (porque a mãe dizia que o bicho tava cheio de micróbio e bactéria da fazenda), e o diacho do leite sempre fervia naquele único segundo que você se distraia, e sua mãe zunia com você porque tinha que limpar o fogão de novo.

Mas tinha uma coisa pior: o desgramado do leite durava apenas 24 horas!

Depois inventaram o leite de caixinha. Não sei o que os caras fizeram, mas o treco agora dura a vida toda. Nem olho mais a data de validade, pego a caixinha e pronto.

Esse negócio de data de validade agora é coisa séria. Tem em tudo quanto é produto, até em vassoura. Mas ainda acho um bocado difícil compreender a lógica das datas de validade.

Você compra um iogurte e o bichano dura 45 dias. Se você toma no quadragésimo quinto dia ele vai te nutrir com cálcio, vitaminas e potássio. E se você toma no dia seguinte vai morrer envenenado por uma bactéria bizarra?

Que horas que acontece essa transição maligna afinal? Na virada do relógio, a meia noite?. O produto passa a ser venenoso no minuto seguinte? Se eu estiver em Manaus o produto dura uma hora a mais? E se eu estiver em Fernando de Noronha vence uma hora antes?

E remédio vencido, mata ao invés de curar?

E veneno vencido, cura ao invés de matar?

Alimento com fungo é perigoso, bem sabemos. Mas queijo gorgonzola só é considerado bom se estiver com fungos. Queijo gorgonzola sem fungos, faz mal pra saúde?

Mas nada disso é fichinha perto do maior de todos os mistérios das datas de validade: O enigma dos panetones. Porque todos os panetones do Brasil vencem sempre no dia 31 de março? Será que toda a produção do Brasil é feita num mesmo dia? Tipo um mutirão dos panetones. Porque se forem fabricados em dias diferentes deveriam vencer em dias diferentes.

Ou então será que existe algum fenômeno cabalístico na atmosfera terrestre que faz com que todos os panetones se estraguem no dia primeiro de abril?

Primeiro de abril? Hmmmm… E se isso for uma tremenda mentira na qual até hoje acreditamos?

Deixamos de comer porque acreditamos numa mentira ou deixamos de morrer porque acreditamos na fatídica data de 31 de março?

Ninguém sabe. Mas na dúvida, melhor comer o panetone antes do primeiro de abril.

Dia desses apresentei um projeto para uma cooperativa de laticínios, que só vendia leite de saquinho, e o Presidente da Cooperativa me fez um alerta (que soou mais como uma praga): você vai se arrepender de ficar tomando leite de caixinha. Porque você acha que dura tanto tempo? Ponha dois pires de leite, um com leite de saquinho e outro com leite de caixinha, e veja qual o gato vai tomar.

Xiiiiiiiiiii… agora nem leite de caixinha eu vou poder beber em paz?

Quando era criança minha mãe dizia pra tomar cuidado com o leite de saquinho que tava cheio de bactéria e agora ele me diz que o leite de caixinha está cheio de conservante químico sinistro?

Fiquei com a pulga atrás da orelha, mas já era tarde demais pra chorar sob o leite encaixotado.

Seja como for, de agora em diante, no meu café da manhã, só café preto.

E agora com licença que vou comer meu panetone, antes que o trinta e um de março chegue.

 

 

ALEXANDRE CORREA LIMA| alexandre.lima@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Gostei, bela crônica !!! Bem realista e saudosista ao mesmo tempo !

  2. Concordo com vc amigo. Tenho conhecidos que comparecem em determinado super mercado, na geladeira de produtos ” próximos do vencimento ” onde os preços costumam ser a metade”. Compram e levam para casa, e consomem. Nunca aconteceu nada de errado com eles. Como fica isso ? Fazem uma tremenda economia com esse procedimento.

  3. kkkkk…era bem assim esse “sanhaço” pra buscar o leite e o pão na nossa infância!!!

Untitled Document