segunda-feira, 24 de julho de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Mais um Encontro dos Estudantes Secundaristas de Angra é realizado no palco do Teatro Municipal

Mais um Encontro dos Estudantes Secundaristas de Angra é realizado no palco do Teatro Municipal

Matéria publicada em 12 de julho de 2017, 11:41 horas

 


wp-coluna-em-cena-joao-vitor-monteiro-novaes

Nos dias 29 e 30 de junho o Teatro Municipal de Angra dos Reis, localizado no Centro Cultural Theophilo Massad (CCTM), recebeu a segunda edição do Encontro dos Estudantes Secundaristas de Angra dos Reis, evento organizado pelos professores de Artes Cênicas da Rede Estadual de ensino Caroline Barbosa e João Vitor Novaes, eu mesmo.

Cerca de 100 alunos dos Colégios Estaduais Brigadeiro Nóbrega (Ilha Grande), Honório Lima (Centro), Antônio Dias Lima (Frade) e CELAMM (Monsuaba) se reuniram para celebrar as artes cênicas através de um evento que reuniu uma aula técnica sobre os equipamentos e estrutura do único teatro do município, com a participação do técnico do espaço Gustavo Valente, um grande aulão com jogos dramáticos e teatrais, além de assistirem o espetáculo “FALA (!) Substantivo Feminino”, do recém formado Coletivo Errante.

Ingrid Ribeiro, de 16 anos, estudante do Brigadeiro Nóbrega, revela a importância em participar do evento. “Foi um encontro incrível para todos os presentes, a percepção de quem está assistindo um espetáculo foi sentida por todos que estavam no encontro e estes mesmos puderam ver como a ‘magia’ acontece. Além de presenciar a arte do teatro, nós vivenciamos ela. Um espetáculo que mostrou uma visão social de assuntos delicados de forma em que o público pudesse se identificar, tanto homem ou mulher. O teatro modifica meu pensamento de muitas maneiras, a vontade de estar no palco performando ou no público, como espectador, aumentou muito mais. E com este dia eu pude aprender que o teatro não é só brincadeira, e sim aprendizado”.

A Vila do Abraão possui uma Casa de Cultura, mas, infelizmente, pela distância e por não ter um palco e equipamentos adequados, acaba não recebendo espetáculos e oficinas teatrais, fazendo com que os moradores tenham que fazer a travessia para usufruir de bens culturais.

Com o apoio da direção do Brigadeiro que disponibilizou o barco e apoia sempre as atividades culturais, e do Colégio Estadual Conde Pereira Carneiro, que ofertou para os vinte estudantes um almoço naquela unidade, os alunos puderam participar não só do encontro, mas também interagir com os trabalhos dos artistas plásticos da Casa 11, que estão expostos na Casa Larangeiras, no Centro de Angra.

Para Bruna Marques, de 16 anos, também aluna da Ilha Grande, foi incrível participar.

– Gostei muito, não imaginei que seria tão bom assim. Amei! Sempre achei que atuar era fácil, mas estava muito enganada, desde que comecei a ter aula de Artes, vi que era bem difícil, e que para se fazer um espetáculo depende de muitas coisas, não apenas atores e textos. Comecei a valorizar mais o trabalho de quem está no palco – disse.

A direção do Colégio Antônio Dias Lima, onde a professora Carol leciona, foi outra parceria para o sucesso do evento, cedendo um transporte para levar os alunos do Frade ao Centro.

O estudante Yuri Nascimento, de 18 anos, participou da primeira edição do evento em 2016 e retornou esse ano para aprofundar as técnicas e visões sobre o teatro.

– O Encontro dos Estudantes foi algo que me proporcionou ‘liberdade’. Participar pela segunda vez foi uma experiência melhor ainda que a primeira. Minha visão do teatro estava mais ampla e pude observar os exercícios de outra forma. Pude ver o espetáculo ‘FALA’ com outros olhos, de outros ângulos, mesclando o que aprendi nos exercícios com minha interpretação da peça, que também mudou por ser a segunda vez que assistia. Foi simplesmente encantador – falou.

Mesmo localizado no centro da cidade, muitos alunos do Honório Lima nunca foram ao Teatro Municipal, reforçando ainda mais a importância do evento que faz com que os estudantes passem a usufruir os edifícios culturais da cidade.

Novos horizontes

A estudante do Honório, Beatriz Garcia, de 16 anos, colégio cuja  direção também apoiou a execução do encontro, revela que mudou muito a sua concepção/recepção sobre o teatro.

– Foi motivador, porque a peça em si abordou temas bem fortes, uma realidade que no dia a dia se tornou normal. Foi bom ver essa realidade retratada da forma correta. Eu acho que poderia haver mais encontros assim no ano, é bom poder extravasar, fazer parte disso, eu simplesmente amei – falou.

Fiquei satisfeito com o sucesso do encontro e a oportunidade de os estudantes trocarem as experiências adquiridas em sala de aula, agora efetivamente em um palco, já que as escolas não possuem auditórios. Já começamos a planejar e levantar as ideias para o I Festival Estudantil de Teatro em Angra dos Reis.

 

JOÃO VITOR MONTEIRO NOVAES  | joao.vitor@diariodovale.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document