segunda-feira, 26 de junho de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Maykon Renan e Danúbia Rosa apresentam o espetáculo ‘Fios de Ouro’ no Centro Cultural Theóphilo Massad

Maykon Renan e Danúbia Rosa apresentam o espetáculo ‘Fios de Ouro’ no Centro Cultural Theóphilo Massad

Matéria publicada em 9 de novembro de 2016, 13:18 horas

 


wp-coluna-em-cena-joao-vitor-monteiro-novaes

 

Nos dias 17 e 18 de novembro será apresentado em sessão dupla, às 10h e 15h, no Teatro Municipal de Angra dos Reis, localizado no Centro Cultural Theóphilo Massad, centro de Angra dos Reis, o espetáculo infantil “Fios de Ouro”, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia e antecipado).

O espetáculo, que no início do ano realizou pelo Edital MicroProjetos Favela Criativa, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, uma circulação por escolas do município de Angra, volta aos palcos da cidade com nova direção e com novos integrantes.

Um grupo de atores de Angra estando no Rio de Janeiro decide se encontrar para realizar o primeiro trabalho em conjunto. O texto, que foi adaptado por Richard Marx, ganhou uma nova leitura pela diretora Camila Rocha, que também musicalizou partes do texto e criou composições originais para a montagem.

O espetáculo conta com a participação de Maykon Renan, que deu vida a personagem Madrasta Má, Danúbia Rosa – que já foi vocalista da banda “Xandy de Dentro” -, Richard Marx, um dos integrantes da extinta Trupe do Descoco e um dos fundadores do ChãoDeEstrela que ganhou o edital Microprojetos. Além do músico João Gomes e da diretora Camila Rocha que fez parte do grupo Angra das Rainhas, além de dirigir espetáculos da Fábrika do Entretenimento, Grupo Arteros e outros.

– O público pode esperar um espetáculo feito com o maior carinho e cuidado para atender a todas as idades – diz Camila. “Quando Richard me chamou para dirigir a peça, eu aceitei de cara o desafio, pois tinha visto uma apresentação da peça antes e tinha gostado muito da forma de contação de história que o texto empregava. Então, comecei a viajar nesse sentido, e essa montagem que vamos realizar, está muito empregada no poder do conto, fazendo com que as crianças entrem nessa história, e possam aguçar a imaginação, despertar sua curiosidade e se divertir com esse conto”, acrescenta.

 

Artista angrense participa de curso de Papai Noel no Rio de Janeiro

No ano em que completa 21 anos trabalhando profissionalmente como o “Bom Velhinho” em shoppings, escolas e hotéis, Glauter Barros, ator, palhaço e contador de histórias, participou na cidade do Rio de Janeiro do curso de Papai Noel, oferecido pela Escola de Papai Noel do Brasil que, há 23 anos, realiza esta ação, oferecendo ao mercado várias pessoas aptas a vestir a tradicional roupa vermelha e branca e que sabem muito bem dizer “Ho! Ho! Ho! Feliz Natal!”.

– Eu sempre tentei participar deste curso, iniciado pelo ator, palhaço, diretor teatral e produtor cultural Limachem Cherem, da Tapume Produções Artísticas, mas somente este ano consegui. Mas muito do que sei fazer como Papai Noel aprendi lendo as reportagens em jornais impressos ou pela internet. Sou “um seguidor antigo” do que ele diz e faz com relação à figura do Papai Noel – diz o angrense.

No curso foram dadas aulas de postura, musicalização, interpretação e improvisação, ginástica laboral, maquiagem e figurino. Glauber afirma que gosta muito de criança e tem paciência para ouvir com calma os pedidos. E até mesmo para contornar situações em que a criança está com muito medo, chorando, mas os pais insistem para ela tirar foto no colo do Papai Noel.

– Isso pode criar um trauma para o resto da vida. Esta questão até consigo resolver com mais facilidade, porque sou palhaço e algumas crianças também têm medo, mas já tenho uma certa “manha” para lidar com esses momentos – conta.

Esperamos que o Papai Noel Glauter possa encantar as crianças e os adultos que desejam coisas positivas para o ano novo.

 

 Desde 1995: Glauter Barros no curso com outros bons velhinhos

Desde 1995: Glauter Barros no curso com outros bons velhinhos (Fotos: Divulgação)

 

Oficina ‘A Arte de Dizer’ é realizada em Angra dos Reis

No último sábado, dia 5, em Angra dos Reis, foi ministrada a oficina “A Arte de Dizer”. Uma realização do Ateneu Angrense de Letras e Artes (AALA), atualmente sobre a presidência da professora e poeta Maria Helena Ururahy da Fonseca.

A oficineira Marly Prates que é acadêmica na Classe de Belas Artes da Academia Fluminense de Letras, além de formada em declamação e dicções pelo Curso Olavo Bilac no Rio de Janeiro, já é conhecida na cidade, pois já foi premiada como poetisa e como intérprete do Concurso de Poesia Brasil dos Reis promovido pelo AALA.

Ainda este ano e em janeiro de 2017, ocorrerão outras oficinas, direcionadas ao público em geral, não somente aos associados do AALA. Para mais informações, basta ligar para 3365-4965 ou enviar mensagem para (ateneuangrense@gmail.com).

 ‘A Arte de Dizer’: Oficina foi uma realização do Ateneu Angrense de Letras e Artes


‘A Arte de Dizer’: Oficina foi uma realização do Ateneu Angrense de Letras e Artes

 

JOÃO VITOR MONTEIRO NOVAES  | joao.vitor@diariodovale.com.br

Untitled Document