domingo, 20 de agosto de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Mudanças bruscas de temperatura podem causar doenças respiratórias no seu pet

Mudanças bruscas de temperatura podem causar doenças respiratórias no seu pet

Matéria publicada em 14 de junho de 2017, 09:00 horas

 


No frio as doenças respiratórias são mais comuns e de fácil transmissão; outro problema que pode ser agravado com o tempo frio são as doenças articulares crônicas

5 - wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

Nessa época do ano não são apenas os idosos e crianças que precisam de atenção redobrada quando o assunto são as mudanças de temperaturas. Apesar do inverno ainda não ter chegado, já estamos tendo baixas temperaturas, com isso o clima tem esfriado, o que aumenta a incidência de problemas respiratórios entre cães e gatos.
Assim como os seres humanos, os animais também sofrem com alguns problemas de saúde com a chegada das baixas temperaturas e tempo seco, principalmente os animais mais novos e os mais idosos, e os animais de pelagem curta.
No frio, as doenças respiratórias são mais comuns e de fácil transmissão. Como por exemplo, nos gatos a rinotraqueíte infecciosa felina (doença causada por um herpes vírus que pode levar à pneumonia, se não tratada), e nos cães a tosse dos canis (doença que tende a surgir nas épocas mais frias e poder ser evitada com medidas simples como a vacinação). Por esse motivo, é recomendável evitar mudanças bruscas de temperatura e longos períodos de permanência em locais fechados, como canis e pet shops. Além disso, a correta vacinação do animal pode evitar algumas doenças,
Além de problemas respiratórios, outro problema que pode ser agravado com o tempo frio são as doenças articulares crônicas, artrose e hérnias de disco cuja dor tende a piorar nesses períodos de clima frio.
Algumas doenças de pele podem apresentar um quadro mais crítico nos períodos mais frios, como a dermatite seborreica. Uma das formas de tratamento é realizada com banhos periódicos.
Problemas oftalmológicos também aumentam na estação fria. O tempo seco reduz a quantidade de lágrimas nos olhos, deixando-os mais vulneráveis à poluição, aos vírus e às bactérias. A dica é manter a higiene da região dos olhos sempre em dia.

Então o que fazer para que os animais
não sofram tanto nessa época do ano?

Mas uma coisa é certa, animais bem nutridos, bem cuidados, com sistema imune bem adaptado e vacinados sofrem menos possibilidade de ficarem doentes.
Mantenha os seus animais de estimação dentro de casa quando temperatura estiver baixa.
Não saia para passeios quando sentir que o frio está intenso. Certifique-se que eles têm um abrigo quente e sólido contra o vento e chuvas, uma cama adequada que o aqueça e água e comida disponível.
Como disse acima, os animais muito jovens e muito velhos são mais vulneráveis ao frio. Independentemente da sua saúde, os animais não devem ficar expostos a baixas temperaturas e condições adversas. Para as raças de animais sem pelos ou com pelo curto o ideal é vestir o pet com uma roupinha confortável, além de reservar um espaço aconchegante e protegido para a hora do sono. É bom evitar que o animal, mesmo agasalhado, durma em locais com correntes de vento.
No caso do banho, é importante evitar os horários de manhã ou à noite.
Para se aquecerem, os gatos costumam se aconchegar junto de fontes de calor para permanecer aquecidos o que inclui até os motores dos carros, fica então uma alerta, antes de ligar o motor, verifique debaixo do carro se tem gatos alojados na zona dos pneus e faça barulho como buzinar e/ou bater no capô do carro.
Se acender uma lareira ou ligar aquecedores para manter a sua casa quente o calor será tão atrativo para os animais de estimação quanto para as pessoas. Como o seu cão ou gato tende a chegar perto do calor para se aquecer, fique atento para garantir que nem a cauda, as patas ou o focinho entram em contato com chamas ou superfícies quentes de aquecedores. A atenção deve ser redobrada com fontes de calor, pois os animais podem se queimar ou derrubar uma fonte de calor e criar perigo para eles próprios e para toda a família.
Além desses cuidados, é importantíssimo prestar atenção à saúde dos animais. Reforce a qualidade da alimentação e se necessário forneça-lhe suplementos alimentares que ajudem a reforçar as suas defesas. Se notar alterações de saúde consulte o médico veterinário.
E não esqueça, nunca deixe de vaciná-los.

CANTINHO DO LEITOR

cantinho leitor - coluna animal

Este é o Pudim da Raquel Vieira de Volta Redonda. Ele tem um ano e adora comer mato

PRECISA DE UM LAR

precisa de um lar- coluna animal

Este é o Fofinho, um vira-lata, macho, de 1 ano e meio, porte pequeno, dócil e está precisando urgente de uma família

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

Untitled Document