quinta-feira, 23 de novembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Musicoterapia para animais, você já ouviu falar?

Musicoterapia para animais, você já ouviu falar?

Matéria publicada em 21 de novembro de 2016, 12:56 horas

 


Canção calma e harmônica determina efeitos positivos, já o oposto ocorre com sons estridentes, muito fortes

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

Hoje em dia já se sabe que, cientificamente, os sons produzem efeitos benéficos e maléficos, seja nos humanos ou nos animais. Baseada nessa afirmação foi criada o que chamamos de musicoterapia, que é a utilização da música ou de seus elementos (melodia, som, ritmo e harmonia), com o objetivo de promover mudanças positivas físicas, mentais, sociais e cognitivas em seres com problemas de saúde ou de comportamento.

A musicoterapia é uma terapia alternativa, pois não tem seus efeitos confirmados pela medicina convencional, porém, é utilizada por milhares de pessoas no mundo inteiro, que adotam o tratamento através da música para ajudar em uma variada gama de problemas.

Hoje já se sabe que a música não é boa apenas para os humanos, mas também para os animais. E a prova disso é uma pesquisa realizada na Universidade do Canadá, onde estudaram os benefícios da musicoterapia para animais, cujo resultado constatou que cães e gatos submetidos a sessões de música, são mais dóceis e alegres do que os demais.

Pesquisadores descobriram também que 70% dos cães em canis e 85% dos cães domiciliares mostraram uma redução no comportamento estressado ao ouvir determinado tipo de música, incluindo diminuição do medo de trovões, a emoção com os visitantes e ansiedade de separação. Já, algumas músicas como rock, samba, sons de alarmes de carros e de computadores podem promover comportamentos negativos, e até mesmo agressivos.

Há experiências que demonstram que determinadas músicas aumentam a produção de leite em vacas, acalmam aves, ajudam a tratar depressão em cães, gatos e animais de zoológicos.

Segundo estudiosos, a música age da seguinte forma, as ondas sonoras são captadas pelo pavilhão auricular e chegam até o conduto auditivo e ao tímpano, onde as vibrações atingem o ouvido médio, sendo convertidas em impulsos nervosos. Esses impulsos chegam ao cérebro através do nervo óptico onde são interpretados. Dependendo do tipo de som, os efeitos produzidos podem ser positivos ou negativos, benéficos ou não ao animal. A música calma, harmônica, determina efeitos positivos, já o oposto ocorre com sons estridentes, muito fortes, desarmônicos, que criam hiperestimulação das células nervosas e estresse nos neurônios.

Desta forma, a música harmônica pode resolver uma série de problemas nos animais, trazendo efeitos benéficos, como calmante, relaxante, antidepressivo, antiestress, antineurótico, sonífero, tranquilizante, regulador psicossomático, analgésico e/ou anestésico e equilibrador do metabolismo e sistema cardiorrespiratório. Além disso, fornece uma influência calmante para quando o proprietário estiver ausente, diminuindo a ansiedade de separação; no carro ou na ida ao veterinário, acalma o cão, proporcionando um comportamento mais tranquilo ao chegar; acelera a recuperação de cães convalescentes; sua utilização após procedimentos cirúrgicos permite que o cão relaxe; eleva os níveis de endorfina, melhorando o humor do animal; aumenta a função imunitária, o que diminui a chance de o cão adoecer; entre outros.

Alguns autores recomendam sons como xilindró, pau de chuva, caxixi, sino, pandeiro, maraca e reco-reco; assim como músicas barroca e renascentista, além de músicos como Mozart, Beethoven, Bach e Vivaldi. Sons da natureza (chuva, vento, mar, rio) também são terapêuticos, pois, tendo uma vibração constante, proporcionam bem-estar e relaxamento.

Portanto, cuidado ao escolher a música que você e seu pet vão ouvir! É importante lembrar que os animais escutam muito mais do que os seres humanos, sendo assim, deixe sempre em um volume baixinho, para que ele possa usufruir desse momento com muita tranquilidade. A exposição constante à música caótica e confusa altera a estrutura do cérebro de humanos e animais.

Um detalhe é importante, nem sempre as músicas serão as mesmas para todos os animais. Isso varia de acordo com o estilo de vida do animal e até mesmo dos gostos dos proprietários, já que o estilo de vida do cão sempre acaba se confundindo muito com o estilo de vida dos humanos que estão ao redor. E, para lhe ajudar na escolha do som ideal para o seu bichinho, já existem em lojas especializadas, CDs com músicas indicadas e orientadas para os animais, além de médicos veterinários musicoterapeuta qualificado para isso. Então, o que você tá esperando para colocar uma musiquinha relaxante para o seu amigo?

 Benefícios: Música harmônica pode resolver uma série de problemas nos animais

Benefícios: Música harmônica pode resolver uma série de problemas nos animais (Fotos: Divulgação)

 

Preciso de um lar

Esse é o Bidu, um machinho de quatro meses, muito dócil e carinhoso. Ele está a procura de um lar, vamos ajuda-lo?

foto-2

 

Cantinho do leitor

Essa semana o Cantinho do Leitor é especial. Essa fofinha na foto é a Flora, a cadelinha da Marcela, da Ana Beatriz e da Maryana. Ela faleceu no último final de semana e estará eternamente no coração das donas, que a amavam muito.

foto-3

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas.

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

Untitled Document