domingo, 21 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Nosso Congresso – A Câmara

Nosso Congresso – A Câmara

Matéria publicada em 26 de setembro de 2015, 08:10 horas

 


É importante que se pense que as medidas de contensão são fundamentais para a recuperação da economia

wp-coluna-entornando-o-papo-nelson-rodrigues-filho

Nossa valorosa Câmara voltou atrás e aceitou a maioria dos vetos da Presidente Dilma.
É importante que se pense que as medidas de contensão são fundamentais para a recuperação da economia.
Não se trata, agora, de fazer “política” para derrubar a Presidente. As matérias vetadas pelo executivo eram absolutamente nocivas ao que o Brasil necessita neste momento.
Ainda falta referendar alguns vetos, com destaque para o aumento abusivo do funcionalismo do Judiciário.
E 78% é brincadeira.
Houve um troca-troca e o PMDB vai acabar com o Ministério da Saúde. Esse movimento faz parte do enxugamento do número de ministérios, enxugamento absolutamente necessário, e a Saúde foi fundamental para “aclarar” a mente da base aliada.
Mais uma criança foi baleada. Desta vez não havia operação em curso. Moradores acusam, mais uma vez, a intervenção da polícia.
Onze anos.
A perda só é sentida, de fato, pelos familiares.
Uma criança ser atingida por mais uma bala, não perdida mas assassina, é parte de um cotidiano ingrato que precisa ser combatido de todas as maneiras possíveis, de forma que a inclusão social não seja uma balela.
Nós vivemos uma realidade pra lá surreal.
Os arrastões só podem ser fruto de nossa fértil, criativa, porém doentia imaginação.
Nem aqui e nem em nenhuma parte do mundo dá para entender aquelas imagens.
No Rio!?  Às vésperas das Olimpíadas!?
A carruagem do Vasco virou abóbora. Uma ducha gelada para quem vai enfrentar um Flamengo sequioso de embolar com os times do G4.
Os 3X0 para o São Paulo não permitem sonhar com a recuperação na Copa do Brasil. O Vasco tem que apostar todas as fichas contra o Flamengo.
O Vasco não pode perder porque sua abóbora apodrece de vez.
O Flamengo, se pretende entrar na Libertadores,  igualmente não pode vacilar. Nem o empate é bom resultado.
Vai sair faísca no clássico.
O Fluminense deu uma melhorada, mas precisa de mais para ganhar do Goiás que costuma aprontar.
O 0X0 garantiu que, com qualquer empate com gols, a vaga é do Tricolor carioca.
O Goiás, o irregular Goiás, luta para sair do Z4. Vem fechadinho e tem um contra-ataque muito veloz.
Como a defesa do Fluminense é sinônimo de pesadelo, sofrimento à vista.

 

NELSON RODRIGUES | nelson.filho@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. ÊTA POVINHO desprovido de discernimento

    Senador Randolfe Rodrigues deixa o Psol e Alessandro Molon deixa o PT. É assim esses politiqueiros no MEU BRasil.

    Ao invés de ajudarem a colocar o partido nos trilhos, de denunciarem as mutretas e defenderem a saída daqueles que não honram a ética, eles abandonam. E pior, ainda continuam a elogiar os partidos desprezados. É mole?

    Vão para outro partido e na primeira decepção trocarão novamente.

    E tem eleitor que aceita e engole isso. Depois… depois jogam a culpa no MEU BRasil, no POVO e nos POLÍTICOS.

Untitled Document