quarta-feira, 19 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Os chatos anti-Copa

Os chatos anti-Copa

Matéria publicada em 17 de junho de 2018, 08:00 horas

 


Querendo fazer papel de engajados, inimigos do esporte mais popular do mundo tentam estragar o prazer dos outros

A realidade: A Copa começou, as pessoas vão assistir e os chatos vão reclamar

Começou a Copa do Mundo e também o mimimi, não só nas redes sociais, mas também nas conversas nas ruas, nos bares e nos locais de trabalho. O esquadrão dos engajados que classificam o futebol como mais um “ópio do povo” já começa a criticar o sujeito (ou a mulher) que tira algumas horas de seu dia para ver e conversar sobre partidas de futebol durante o maior evento esportivo do mundo.
Com certeza, eles acham que é prova de preparo intelectual reclamar de um evento cuja final mais recente reuniu 700 milhões de pessoas (três Brasis e meio) em frente à TV.
Há algumas semanas, este colunista escreveu sobre a falta daquele frenesi que tomava o Brasil antes das Copas, com gente pintando as ruas, as fachadas das casas, colocando bandeirinhas verde-amarelas nos carros. Isso é verdade. De modo geral, a Copa deixou de ser a preocupação principal do brasileiro.
As pessoas estão mais preocupadas, e conversam mais, sobre o Brasil que vai sair das eleições de outubro, o que é correto. O voto de cada um vai mexer muito mais com o destino do país do que a torcida por Tite e seus pupilos.
Mas isso não quer dizer que seja errado ou antipatriótico parar, no domingo à tarde, para ver a partida entre Brasil e Suíça.
Ver o jogo, vibrar com a vitória ou sofrer com a derrota, xingar o juiz, fazer um churrasco e juntar os vizinhos e amigos pra torcer junto não vai tornar ninguém um alienado.
Se o Brasil for campeão, ninguém vai achar que os problemas do país estão solucionados, nem que a eleição deixou de ter importância. Esses tempos ficaram definitivamente para trás.
Se algo ainda está errado, não é o jeito passional como nós, brasileiros, torcemos. É a forma como discutimos política, com cada um defendendo suas ideias como se estivesse discutindo se foi pênalti ou não, ou se o atacante estava impedido quando fez o gol.
Futebol é paixão, enquanto política é raciocínio e argumento. Candidato não é craque nem ídolo, para ter torcedores fanáticos. É muito mais útil gente que argumenta do que quem destila seu ódio em xingamentos.

Mimimi número 1: ‘a Copa atrapalha a discussão política’

Existem uns chatos que acham que “us pulítico” vão se juntar para tramoias inenarráveis enquanto Neymar e seu cortejo trocam passes e chutam a gol. A grafia errada entre aspas é para destacar que se trata de pessoas de intelecto tosco.
Eles partem, em primeiro lugar, do pressuposto de que a população acompanha passo a passo, todos os dias, as ações dos políticos.
Não é verdade.
A grande maioria da população não tem ideia do que os parlamentos votaram, os executivos decretaram ou os magistrados julgaram.
Só que, quando algo afronta claramente os interesses do povo, o Brasil já mostrou que os tempos de “deixa estar” ficaram pra trás.
Além disso, brasileiro acompanha e discute futebol quase onze meses por ano, com paradas nas férias dos jogadores, entre dezembro e janeiro, e no Carnaval. Isso todos os anos, o tempo todo. E sem que a incipiente conscientização política que temos demonstrado se perca.
Então, de quatro em quatro anos, não tem nada demais se juntarem flamenguistas e vascaínos, corintianos e palmeirenses, atleticanos e cruzeirenses, para torcerem pelo mesmo time. Aliás, é até divertido.

Mimimi número 2: ‘a Copa é gasto inútil de dinheiro público’

Uma das besteiras mais imbecis que se pode falar. A Copa 2014, feita no Brasil, gerou um monte de gastos de dinheiro público, sim: não na construção de estádios, que em tese precisa ser feita com dinheiro privado, já que se houve financiamento pelo BNDES, por exemplo, ele será pago, mas na execução de um monte de obras – várias delas incompletas.
Se não fosse a roubalheira e a incompetência, porém, esses gastos teriam retornado em forma de estradas, sistemas de transporte etc.
Mas a CBF, que é quem banca os gastos da Seleção Brasileira, é uma instituição privada. Nem um centavo de impostos está sendo usado para pagar os salários dos jogadores nem as despesas de viagem e acomodação da comissão técnica.
Então, se os brasileiros reclamam de que gastaram dinheiro erradamente na Copa de 2014, quem pode ter o que reclamar da de 2018 são os russos. Aliás, o colunista já andou lendo sobre gastos acima do previsto na construção de estádios por lá…

Para concluir

A expressão é livre, e os chatos anti-Copa têm todo o direito de falar mal do evento e escrever frases de efeito nas redes sociais. Mas, justamente porque a expressão é livre, o colunista tem o direito de dizer que se trata apenas de um bando de gente sem ter mais o que fazer, ou talvez carente de atenção.
O colunista admite: não acompanha futebol porque acha o esporte chato. A Copa é um evento especial, quando ver uma partida de futebol é normal para o colunista, assim como, para o leitor, é normal ver salto à distância ou 100 metros rasos nas Olimpíadas.
Mas não é por não gostar de futebol que se deve tentar estragar o prazer de quem gosta.
Até porque, com certeza, muitos dos que estão por aí criticando quem está curtindo a Copa estão fazendo isso por vontade de parecerem diferentes ou de bancarem os intelectuais.
Então, não tripudiem sobre os coitadinhos. Ou, como dizem nas redes sociais, “não alimente os trolls”.

40 comentários

  1. É direito de cada um, torcer ou não, criticar ou não, gostar ou não. O interessante é que o colunista acha o futebol um esporte chato, mas achou em defender quem torce pelo futebol. E criticar quem não gosta, quem não participa ou quem vem com discursos políticos e como ele disse disfarçados de intelectuais.
    Então, se visse o futebol que não tanto gosta, senhor comentarista, veria que o Brasil precisa melhorar para não passar a vergonha de 7 a 1, o que eu particularmente acho que nem chega à final. Neymar está nitidamente assustado de ser quebrado de novo. E se pegarem no mesmo lugar que ainda está se recuperando….O Brasil ficou no jogo 1 a 1 contra Suíça, no sufoco. Ficou no sufoco de novo fazendo dois gols no segundo tempo. Bem, o México já está nas oitavas de final, só dando goleada. Um time bem preparado e vindo como leão. Caso o Brasil continue com Neymar preocupado se mantém o mesmo corte, se cai ou não, se casa ou não, mostrando insegurança ficará difícil passar para final. Há bons jogadores como Marcelo, Felipe que tem sido um espetáculo em campo, Douglas Silva, agora contundido também para próximo jogo. Mas vou dizer, esse favoritismo para Neymar também derruba os outros, sabiam? Ou acha que eles não são afetados em sua auto estima? Ai, ai, ai. Sr. comentarista, se realmente gostasse de futebol, se estivesse assistindo veria que não é apenas o fato de engajamento político ou a mesmice dos intelectuais de plantão. Ver jogo do Brasil dá desespero mesmo! Dá medo! Então, antes de inflamar essa questão, assista o jogo. Eu assisto, torço, acho sim que é uma forma de alienação cultural e ao mesmo tempo um lazer, acho sim que não ajuda o Brasil em nada na esfera política e social, acho sim que é um instrumento ideológico para as massas. No entanto, a partir de que as massas se reunam animadamente assim também de forma nacional para votar corretamente, aí sim, eu irei dizer, que somos um povo que gosta de futebol e que ser patriota não se resumiu ao futebol ou ao carnaval brasileiro. No entanto, é nossa cultura, nossa conquista e glória, por quê não? O que não podemos é sermos apenas isso! Apenas termos Neymar como um semideus (que para mim passaria longe disso), e sim cuidarmos melhor do nosso povo! Acredito que a união entre as pessoas no momento de futebol é válida sim, é menos estresse no dia a dia, mais felicidade, isso traz boas energias. O que eu digo é que devemos ter essa energia em outras áreas. Até parece Natal, onde as pessoas só ficam boas em uma semana e na Copa todos são patriotas. Depois, ninguém lembra!

  2. Eu não torço para nenhum time em particular, nem futebol assisto, mas sempre adoro assistir o Brasil na Copa, vejo todos os jogos, acabo sabendo depois até os nomes dos jogadores adversários e o time brasileiro, quem foi bem, quem não foi etc e tal. Curto mesmo! No entanto, o que me deixa abismada é ver tanta animação para pintar ruas de verde e amarelo, enfeitar lojas, fechar comércio e tudo isso, o que é logicamente normal em época de Copa do Mundo, se não fosse uma visão que tenho em relação a somente um aspecto, não somente político, mas social e humano. Imagine se todas essas pessoas se unissem para fazer uma passeata quando a greve dos caminhoneiros parou o Brasil. Não houve isso. As pessoas ficaram quietinhas, em seus lares, caladinhas. Muitos falaram na internet, mas como vozes não são rostos, bem, ficou meio no ar…E quando a gasolina voltou mais cara ainda do que era antes da greve, também não houve nenhuma passeata. Bem, o que quero dizer, que fica um pouco assustada observando as pessoas se unirem com tanto alvoroço, o que digo que é bem interessante, e não vejo nada errado o povo ter esse lazer e alegria. O que assusta é o comodismo em que se aceita que somos patriotas somente quando estamos de frente a uma televisão no Dia da Copa e quem critica é chamado de Chato. Ou quem não curte também. Fico assustada se o pensamento do brasileiro é de se reunir para grandes festas, alguns diriam que são o ópio do povo, outros engajados ou não diriam que é uma forma de alienar o povo. Apenas o futebol é um esporte nacional, e não é tendo esse esporte ou não é que as coisas mudariam. O Brasil ganhando ou não, afeta a economia em quê? No entanto, uma greve de caminhoneiros, essa sim, afetou estrondosamente a economia brasileira. Tenho o direito de dizer, ainda que me achem chata, que este ano realmente me faltou ânimo torcer pelo Brasil, apesar de estar grudada na tela. E isso não é porque é chatice, política ou engajamento. É pura e simplesmente porque vi Neymar sem mostrar seu talento e com quedas apelativas que envergonharam o futebol brasileiro. Coitado, sei que ele está muito marcado, que ele quase foi quebrado na outra Copa, que ficou nítido um trauma psicológico. No entanto, tem tanto brasileiro que pega trem cheio, que sofre assalto, pressão, que fica sem ônibus para voltar para casa e nem por isso se entrega. Eu só queria ter mais orgulho de ver um Brasil jogando, um Brasil na Copa como os brasileiros em sua maioria são: guerreiros! No entanto, eu vejo um time que ficou no 1 a 1 contra a Suíça no sufoco, que fez 2 a 0 no sufoco e no segundo tempo….e vi o comentarista falar: pode deixar, isso é início de Copa, afinal o Brasil chegou até a final. E levou 7 a 1 da Alemanha em uma vergonha histórica. Apenas digo que também tratar Neymar e o time de coitadinhos, ah isso não, as críticas são para construir e devem ser respeitadas. O cara ganha em milhões. Cadê Brasil, sua força? A força da lavadeira que cria os filhos sozinhos? A força do servente que ganha pouco, mas cria os filhos em uma casa que mal cabem dois? Então criticar é ser anti-copa. Pois é, fiquem com otimismo exagerado, passando muito a mão na cabeça do Neymar e companhia e o Brasil não chega nem na final. Sim, somos humanos, mas quando o cara faz festas estrondosas, fotos exuberantes, aí não vemos o rapaz frágil! Acorda Brasil! Apenas acho que se tínhamos heróis como Tiradentes, Jesus Cristo, Aleijadinho etc, sinto tanto que um herói brasileiro agora seja um garoto endeusado e um time que ultimamente se tornou a maior vergonha do futebol brasileiro nas últimas copas! E continuando torcendo para o Brasil assim mesmo, somente não de forma alienada!

  3. Engraçado, não vi nenhum “CHATO ANTI-COPA”, escrever artigo algum, sobre os BABACAS PRO-COPA.
    Ah dever ser porque ele não se importam com COPA e respeitam a opinião alheia.

  4. Tenho um aniversário para ir amanhã. Vestido com casaco pesado fica feio?

  5. BONDE DOS SABE TUDO KKKKKKKK GERAÇAO MOVIDO A FACE

  6. E que a a Alemanha ou Argentina conquistem essa copa!! vou comprar muitos fogos!!

    • kkkkkk se liga mane!

      Torça para quem vc quiser, comprando fogos e assistindo os jogos vc tbm ajuda a economia, da audiência a emissora, gera emprego ao vendedor de fogos,e ate mesmo gera emprego aqui no site quando vc fica de mimimi resmungando contra a copa, pq tem que existir alguém para moderar o que se escreve aqui, alguém para editar o site.
      Resumindo não importa se vc e contra ou a favor, vc também esta ajudando a copa acontecer seu mane! kkkkk

  7. Esse colunista mostra bem a qualidade do jornal.

  8. Totalmente desnecessária essa matéria. Realmente o espaço poderia ser aproveitado com algo mais útil!

  9. O Brasil vai mudar,na hora brasileiro largar de ser povo malandro e metido a esperto.Famoso como vocês dizem aí…povo jeitinho,que chega a vender voto em troca de vantagens.

  10. MINHA COPA É EM OUTUBRO.

    Vivemos na Belíndia, uma mistura de Bélgica e Índia. Esse do artigo vive na Bélgica e quer que os do lado indiano sejam como ele, não no social mas no esportivo. Essa gente desempregada também deve ser muito chata, o pessoalzinho que vive de escolas e hospitais públicos devem ser muito chatos também. Ficam querendo atrapalhar a alegria do belga por causa de pouca coisa ou nada. É só gente vivendo mal na Índia enquanto a Bélgica quer se divertir.

  11. Artigos como esse, fomentam intolerância. Completamente desnecessário.
    O espaço poderia ser mais bem aproveitado

    • O autor do artigo apenas revela a situação e o tipo de pessoas que se colocam contra a copa e que até xingam quem torce pela seleção, e o intolerante é o autor? Sério?

      Como comentei anteriormente mais abaixo, e endosso aqui, eu estou ainda buscando por algum desses que se dizem anti-copa que se informam minimamente sobre política, que já tenham acompanhado ao menos uma sessão na Câmara/Senado ou que tenha acompanhado o andamento de alguma comissão, ou que tenha lido um PL inteiro ou que tenha pelo menos ligado ou enviado um e-mail para algum político nos últimos anos.

    • Não têm que necessariamente saber de política, apenas não gostar de futebol, só isso. Há que ter respeito dos dois lados. Nao gosto de futebol mas respeito quem gosta. Minha família viu o jogo e eu fiquei assistindo séries da Netflix e ninguém se incomodou, nem eu nem minha família. Mas não é por isso que posso aceitar que me chamem de chato. E esse senhor já tem idade o suficiente pra respeitar as diferenças. Mas o que se viu foi um texto que parece ter sido escrito por um adolescente. Faltou respeito e educação.

    • “Leitor”, eu também não gosto de futebol, o único momento em que assisto são os jogos do Brasil e na copa. Também não gosto de novelas, sempre estou vendo ou fazendo outra coisa enquanto minha esposa assiste as novelas dela.

      A questão não é essa, acho que nem você e nem outros aqui entenderam. O que o autor do artigo e o que eu tenho comentado aqui é que há uma parcela de pessoas que insistem em dizer que o problema do Brasil estar assim é por causa da copa, principalmente em ano de eleições. É disso que se trata toda a argumentação. E não se gosta ou não de futebol.

      Por isso minha insistente associação sobre, por exemplo, política nessa questão. Já que aquele que xinga quem torce pelo Brasil na copa estaria corroborando por estarmos e continuarmos nessa situação. Eu vi um amigo no Facebook mandando aqueles que estavam dando audiência para uma emissora multimilionária e corrupta (palavras dele) para “aquele lugar”, com diversas ofensas. Demonstrando ali naquele comentário um total desconhecimento sobre tudo mas (achando que estava) com uma autoridade de conhecimento que não possuía, ou seja, totalmente equivocado nas ideias e ainda ofendendo os outros.

    • Ok Paulo Elias, nisso eu concordo com você. Mas ele não disse nada de política, só disse que os anti copa são chatos e não tem o que fazer, o que eu acho uma grosseria. Ele não está escrevendo da sua conta do Facebook, mas para um jornal. No mais, cada um tem o direito de se divertir com o que achar melhor, quem sou eu pra criticar quem gosta de futebol.

    • O que o autor quer dizer é que a “chatisse” não está em não gostar de copa, novelas da Globo ou novelas da Netflix, está em criticar quem gosta ou se achar melhor porque diz não gostar e faz questão de se exibir dizendo isso.

      São aqueles que acham que na vida tudo é binário, se não é de um jeito só pode ser de outro. A vida é muito complexa e entre o branco e o preto existem milhares de tons de cinza e nem por isso uma tonalidade é melhor ou pior.

      Existem apenas 7 notas musicais. Não tem nota melhor ou pior e a música é feita da combinação entre elas.

    • Tem que ter respeito. Não pode usar um espaço do jornal pra dizer que são chatos e que não têm o que fazer. Que use a conta do Facebook ou do Instagram.

    • Estou vendo que os comentários é mais inteligente que o Artigo, colunista de jornal local que ofende os leitores, devia voltar pro século XIX, onde a intolerância era boa, pra quem acha que é intelectual só por escrever na imprensa escrita. Não gosto de futebol, e torço para a seleção, Quem gosta, Quem não gosta, cada um o meu respeito e consideração, enquanto não respeitamos os diferentes ao meu ” EU” seremos sempre o terceiro mundo . Vamos respeitar os diferentes.

  12. Falar que são chatos e que não tem o que fazer mostra o nível da pessoa.

    • Copa de outro mundo

      Verdade, o jornal deveria ser mais seletivo e oferecer ao leitores melhor qualidade…

    • O que o autor quer dizer é que a “chatisse” não está em não gostar de copa, novelas da Globo ou novelas da Netflix, está em criticar quem gosta ou se achar melhor porque diz não gostar e faz questão de se exibir dizendo isso.

      São aqueles que acham que na vida tudo é binário, se não é de um jeito só pode ser de outro. A vida é muito complexa e entre o branco e o preto existem milhares de tons de cinza e nem por isso uma tonalidade é melhor ou pior.

      Existem apenas 7 notas musicais. Não tem nota melhor ou pior e a música é feita da combinação entre elas.

  13. ENGRAÇADO É QUEM DIZ QUE NÃO GOSTA DE FUTEBOL OU MELHOR DA COPA DO MUNDO, É QUEM SABE DE TODOS OS LANCES , DE TODOS RESULTADOS, DE TUDO EM RELAÇAO A COPA DO MUNDO.
    FICAM SABENDO COMO? ALGUEM PODE ME DIZER?
    ESPORTE É UNIVERSAL, FAZ BEM E NÃO IMPORTA SE É FUTEBOL , ATLETISMO OU OUTRA MODALIDADE QUALQUER.
    PENSEM…

  14. Não sei o que é pior. Se é aturar os anti-copa ou aturar o Tiago Leifer, Escobar, Casagrande, Galvão, Neto e o jornalismo esportivo que virou folhetim de fofoca.

    • Fora o endeusamento absurdo do pipoqueiro mor (Neymidia), tanto q esse tal Escobar promoveu uma rodinha de samba com um “samba” , intitulado Vai Neymar, em q no tal sambinha fazia reverência tbm a sua namorada Maria chuteira Marquezine, está no YouTube.

  15. Façam um experimento, perguntem para qualquer um desses que estão contra quem torce pela seleção quais livros esse cara leu nos últimos 4 anos, qual engajamento ele tem na política (cobrando nossos políticos), o quanto ele sabe da ideologia na qual defende (pois o que mais tem é direitista/esquerdista que se informa na base de memes e de Alxandre Frota ou Quebrando o Tabu), quantas vezes ele ajudou um amigo ou parente, etc. Ou seja, o cara é um zero à esquerda e quer dar pitaco.

    Lamentável ver gente criticando algo e nada faz pelo país, o cara é incapaz de denunciar a boca de fumo da rua dele, incapaz de arrumar a própria casa. Não é por conta da copa que o Brasil está assim. Arregassem as mangas e comecem a fazer algo por esse país.

    “Não pergunte o que esse país pode fazer por você, se pergunte o que você pode fazer por esse país”.

    • Hummm imagino o que vc faz pela tua cidade….

    • Leitor: Eu tbm. Meu pai sempre me disse: Não acredite em bons cobradores, esses, são os piores pagadores.
      Cuidado com os q só apontam p equívoco alheio ………….

    • Leitor, se apenas 10%, eu disse 10%! da população tivesse a atitude e tomasse as ações que eu realizo, esse país seria MUITO diferente do que é hoje. Ainda que seja apenas “uma andorinha”, eu ainda creio que minhas ações valem mais como exemplo do que em resultado efetivo, pois ainda que eu dedique 24h do meu tempo e todos meus recursos eu jamais chegaria nem perto de resolver, mas, como diz o ditado: “A palavra convence, mas o exemplo arrasta!”.

    • Nada tão desprezível como a soberba e a validade.

  16. Interessante é que quem comenta sobre as pessoas que não gostam de futebol ou de COPA do MUNDO,
    São as pessoas que gostam.
    Vamos respeitar as pessoas que não gostam!
    A pouco temos todos eram #somostodoscaminhoneiros, agora que os trabalhadores viram que os dias deverão ser pagos, ficaram nervosos. E assim irá acontecer com a COPA do mundo, o BRASIL, ganhando ou não esses dias deverão ser pagos pelo trabalhador de alguma maneira.
    Somos obrigados a seguir a DITADURA da MAIORIA.
    Para quem gosta, boa COPA divirtam-se.
    RESPEITEM QUEM NÃO GOSTA DE FUTEBOL OU COPA DO MUNDO!!

  17. Parabéns, falou muito bem desse povo chato, insignificante e trouxa.

  18. Renato Costa, o alíenado

    Não entendi p#rr@ nenhuma! Nem do artigo, nem dos comentários! Afff!!!

  19. E vocês discutindo copa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. É questão de gosto pessoal. Tem quem goste de futebol, tem quem não curte… O certo é que ele é mais que um esporte, faz parte da identidade nacional, consolidada durante o século XX, somando-se à ideologia cristã, ao desprestígio do trabalho braçal e ao apego ao “jeitinho”, de tentar se dar bem com o mínimo esforço próprio possível…

  21. Mi mi mi número 3: O SEU!

Untitled Document