ÔĽŅ Os talentos m√ļltiplos de Gustavo Valente - Di√°rio do Vale
quarta-feira, 15 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Os talentos m√ļltiplos de Gustavo Valente

Os talentos m√ļltiplos de Gustavo Valente

Matéria publicada em 25 de outubro de 2017, 07:05 horas

 


wp-coluna-em-cena-joao-vitor-monteiro-novaes

 

Natural de Angra dos Reis, o artista plástico e responsável técnico do Centro Cultural Theóphilo Massad (CCTM), Gustavo Valente divide seu tempo entre o trabalho burocrático e um trabalho singular de construção de bonecos a partir da técnica de papietagem.

Antes de enveredar na confec√ß√£o de bonecos, Gustavo trabalhou como seguran√ßa do CCTM, protegendo obras de arte de outros artistas. De l√° para c√°, passou a trabalhar como t√©cnico no teatro; depois ficou a frente do Bloco dos Artistas por mais de 10 anos, onde tamb√©m ficava respons√°vel pela confec√ß√£o dos grandes bonecos que invadiam a cidade no primeiro dia de Carnaval; trabalhou no Barrac√£o de Escolas de Samba do Grupo principal do Carnaval carioca; e come√ßou a levar suas obras de arte para participar de grandes exposi√ß√Ķes.

Em 2015, o artista plástico foi desafiado a transformar os grandes bonecos que invadiam as ruas de Angra e Paraty, a confeccionar bonecos que cabiam na palma da mão. Nesse mesmo ano criou uma coleção a partir das danças da Festa do Divino Espírito Santo, festa tradicional na cidade, e após a exposição na Casa Larangeiras, Centro de Angra, recebeu uma proposta tentadora: Vender para um colecionador todas as peças, que além de fazer parte do acervo do comprador, iriam ficar expostas em uma importante galeria de Arte do Rio de Janeiro.

Nesse ano, no m√™s de julho, ao conversar com Gustavo sobre a dificuldade em trabalhar o tema Commedia Dell’Arte em sala de aula, pois n√£o possuo muitas m√°scaras no meu acervo, ele perguntou se eu n√£o gostaria de construir as personagens destaque do g√™nero teatral em formato de bonecos. Eu, ent√£o, perguntei: ‚ÄúVoc√™ topa esse desafio?‚ÄĚ. Ele prontamente respondeu: ‚ÄúS√≥ se for agora!‚ÄĚ. Ent√£o, come√ßou a estudar e a pesquisar quais eram os personagens, seus trejeitos e suas principais caracter√≠sticas. E logo depois do estudo levantado, come√ßou a confeccionar os bonecos.

Em tr√™s meses, pude √† dist√Ęncia, atrav√©s de uma conversa via WhatsApp, acompanhar todo o processo de constru√ß√£o, desde a arma√ß√£o em arame at√© a √ļltima pincelada para o acabamento final. Foram mais de 120 fotos ao longo do processo. Todas salvas em uma pasta do celular para deixar registrado todo o processo. E no final de tr√™s meses, quatro importantes personagens (Pantale√£o, Arlequim, Pierr√ī e Colombina) passaram a fazer parte do meu acervo pessoal, e eles n√£o vieram sozinho, pois o artista criou uma caixa, tamb√©m feita de papietagem, para guardar os bonecos. Por√©m, n√£o √© uma simples caixa, ao ser aberta ela se transforma em um pequeno palco itinerante, uma reprodu√ß√£o do palco onde os artistas da Commedia Dell’Arte se apresentavam.

Ap√≥s a confec√ß√£o dos bonecos inspirados na Commedia Dell’Arte, o colecionador do Rio de Janeiro solicitou a Gustavo a cole√ß√£o completa com mais de vinte personagens da Commedia Dell’Arte. Se voc√™, leitor, quiser adquirir algum boneco, ou quiser encomendar algum, procure o artista nas redes sociais e entre em contato. Uma coisa eu posso garantir: Ele √© muito bom e o trabalho √© incr√≠vel!

 

 

 

JOÃO VITOR MONTEIRO NOVAES  | joao.vitor@diariodovale.com.br

Untitled Document