terça-feira, 22 de Maio de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Porquinho-da-índia: Um roedor excelente para ter em casa

Porquinho-da-índia: Um roedor excelente para ter em casa

Matéria publicada em 10 de Janeiro de 2018, 07:00 horas

 


São animais pequenos, não demandam muito espaço para serem criados, não se alimentam muito e nem fazem bagunça

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

Hoje falarei um pouco sobre o porquinho-da-índia, um dos roedores mais meigos e conhecidos no mundo dos pets. Sua popularidade vem aumentando a cada dia mais, devido ao seu comportamento dócil e meigo.

São animais, dóceis e tranquilos, que adoram receber e dar carinho, podendo ficar no colo durante horas. Não oferecem perigo, pois não apresentam comportamento agressivo. Frente ao perigo esses animaizinhos não reagem como a maioria dos outros animais, atacando; muito pelo contrário, ele foge, por isso são pets que podem ser cuidados por crianças, desde que não muito pequenas, uma vez que as crianças menores podem machucá-los.

Diferente do que muitos pensam e até mesmo do que seu próprio nome diz, eles não são porquinhos e nem vieram da Índia. Na verdade, esse animal pertence à classe dos roedores e é originário da América do Sul. Especialistas em animais silvestres acreditam que esta confusão tenha vindo dos tempos da colonização, quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil. Ele estava tentando chegar à Índia, por isso o animal ficou conhecido como porquinho-da-índia; e a comparação com o porco veio por causa do formato da cabeça.

Os porquinhos-da-índia são mamíferos roedores naturais da América do Sul e são encontrados em diferentes raças, as quais se diferenciam, principalmente, pela pelagem, como cor e tamanho (curta, longa e sem pelagem).

Os machos medem até 25 cm e podem chegar a pesar 1 Kg, já as fêmeas são um pouco menores, medindo em torno de 20 cm e pesando entre 600 e 900 gramas. E podem viver entre cinco e oito anos se forem cuidados da maneira correta.

Por serem animais pequenos, não demandam muito espaço para serem criados, não se alimentam muito e nem fazem bagunça, ou seja, são ideais até para se ter em apartamentos.

O melhor ambiente para manter um porquinho é a gaiola, desde que o espaço seja amplo e você possa colocar o animal em lugares abertos para tomar sol e ar fresco de vez em quando, mas nada de torrar no sol, afinal, é um animal sensível ao calor. Se for soltá-lo pela casa, só o faça sob supervisão, pois como são roedores, podem destruir fios, rodapés, entre outras coisas.

A gaiola deve ter um piso sólido, não precisa ter tampa, com comedouros e bebedouro com água a vontade. Você também pode enriquecer o ambiente com tocas e objetos para fazer com que o porquinho se exercite e possa brincar, como caixas de papelão, canos de PVC e redinhas.

Cor: Porquinhos-da-índia são encontrados em diferentes raças e se diferenciam pela pelagem (Foto: Divulgação)

Cor: Porquinhos-da-índia são encontrados em diferentes raças e se diferenciam pela pelagem (Foto: Divulgação)

Cuidados

Mantendo a higiene do ambiente onde irá criar seu porquinho-da-índia, você não terá que se preocupar com odores, pois urina e fezes dos porquinhos não têm cheiro muito forte, mas é imprescindível manter a gaiola sempre limpinha.

Outro fator importante é que a natureza desses animais é estar sempre acompanhado por outro de sua espécie, por isso é indicado ter, no mínimo, uma dupla de porquinhos-da-índia do mesmo sexo, e nunca um casal. Isso porque a fêmea entra no cio logo após o parto, e tendo um macho junto com ela, com certeza eles irão acasalar novamente. E essa cruza logo em seguida não é saudável para fêmea, o que a deixa enfraquecida e pode até levá-la a morte.

O fato de ter que ter dois porquinhos-da-índia não é preciso ser visto como um problema, afinal, como vimos, eles não demandam muita atenção, cuidado ou espaço dentro de casa, o que vai mudar apenas é a quantidade de alimento, que aumentará pouca coisa a mais, mas os cuidados permanecem os mesmos.

Com relação a alimentação, o primeiro mandamento para manter um porquinho saudável é ter sempre água fresca e limpinha nos bebedouros e oferecer alimentos variados que pertençam a pirâmide alimentar dele: ração específica da espécie e feno (componente básico), vegetais frescos (como escarola e couve) e algumas frutas (por exemplo, melancia e maçã).

Como os dentes incisivos da espécie crescem continuamente, também é importante disponibilizar objetos e alimentos, como bastante verdura rugosa, tipo alfafa, pois o movimento que ele faz para mastigar as folhas ajuda no desgaste dos dentes evitando assim problemas de saúde, como doenças periodontais e formação de abscessos.

As unhas destes bichinhos também precisam de atenção e cuidado, devendo ser aparadas regularmente.

Vida: Bichinhos podem viver entre cinco e oito anos se forem cuidados da maneira correta

Vida: Bichinhos podem viver entre cinco e oito anos se forem cuidados da maneira correta

Saúde

Este roedor é um dos únicos animais que não produz vitamina C, então, ele precisa ingerir esse nutrientes de alguma forma, seja através de alimentos ou até mesmo os vendidos em agropecuárias e pet shop. Sua falta pode provocar diversas doenças.

Problemas com obesidade, dentes e patas são os mais comuns entre esses animais. Se o bichinho estiver muito obeso, a pressão sobre as patas é grande, e ele pode ter uma inflamação chamada pododermatite. Se isso atinge os ossos, o animal pode morrer. Para evitar que ele fique gordinho, não dê sementes e deixe-o sair da gaiola todos os dias para andar e fazer exercícios.

Outro fator que torna porquinhos-da-índia uma opção econômica de pet, é o fato de que eles não tomam vacinas, uma vez que a maioria de suas doenças tem origem nutricional, portanto, se você alimentar seu porquinho corretamente, sua saúde será ótima.

Enfim, os porquinhos são animais extremamente sociáveis, gostam de brincar e aprendem truques, são ótimos para aquelas pessoas que estão querendo a companhia de um bichinho de estimação, mas não tem espaço.

 

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas. Mais informações pelo WhatsApp (24) 98816-1583.

 

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

2 comentários

  1. Existe algum animal para alérgicos?
    Pois cão, gatos, aves meu filho tem alergia ao pelo,pena e pele, pois assim como nós que trocamos de pele os bichos também.

Untitled Document