segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Pseudociese: Será que sua cadelinha tem isso?

Pseudociese: Será que sua cadelinha tem isso?

Matéria publicada em 4 de outubro de 2017, 07:00 horas

 


Sintomas muito comuns da gravidez psicológica são a agressividade e adoção de objetos como se eles fossem filhotes

wp-coluna-animal-glayce-cassaro-pereira

A pseudociese é a gravidez psicológica das cadelas. É um desequilíbrio hormonal sem causa específica, bastante comum, que afeta mais da metade das cadelas não castradas, inclusive, cachorras que nunca acasalaram, podendo causar diversas complicações.

A pseudociese faz parte do instinto natural da cadela. Antigamente quando viviam soltas, em matilha, elas desenvolviam essa falsa gravidez quando uma outra cadela com filhotes do grupo morria. Sendo assim, ela assumia o lugar dessa mãe que morreu e passava a cuidar dos filhotes dela.

Uma cadelinha com gravidez psicológica pode não apresentar sintoma nenhum e o dono nem ficar sabendo que ela teve, porém, a maioria pode apresentar barriga inchada, ausência da menstruação, seios inchados com ou sem leite, aumento no fluxo vaginal, animal quieto, ficando maior parte do tempo escondido, lambe-se muito principalmente seios e vagina, falta de apetite, depressão e carência de contato físico, entre outros.

Outros sintomas muito comuns na pseudociese são a agressividade e adoção de objetos como se eles fossem filhotes. Elas começam a organizar ninhos pela casa, adotando objetos, brinquedos ou mesmo outros animais como se fossem suas crias; sendo que os objetos passam a ser foco de toda a atenção da fêmea, que encherá de carinhos e cuidados o “filhote” de sua escolha. Porém, elas podem se tornar bastante agressivas caso alguém se aproxime do objeto dela; ela pode rosnar, avançar e até morder seus próprios donos quando se aproximam do seu “ninho”, já que, para ela, esses objetos são os seus filhotes, que ela protege a todo custo.

Em muitos casos, uma cadelinha que desenvolve a pseudociese pode passar por esse problema de maneira recorrente, apresentando sinais de gravidez psicológica todas as vezes que ocorre o cio.

Infelizmente, esse quadro bastante comum na vida das cadelas pode acarretar uma série de problemas, incluindo tumores, infertilidade, inflamações no útero, endometriose, inflamação nas glândulas mamárias, empedramento do leite (seguido de dor, febre e infecções séria da mama) e o câncer no animal.

Na maioria das vezes, esses comportamentos atípicos das fêmeas com pseudociese duram cerca de duas semanas apenas, e desaparecem naturalmente, não sendo necessário nenhum tipo de tratamento. Sendo indicado apenas que os donos deixem a fêmea o mais a vontade possível, sem tentar tirar suas crias imaginárias do ninho ou se aproximar demais, já que isso pode deixar a fêmea ainda mais agressiva e ansiosa. Em casos onde a cadela esteja estimulando a produção de leite por meio da auto sucção das mamas, aumentando tanto a gravidade como o período do problema, o uso de colar elisabetano (os famosos cones) é recomendado, evitando assim que a complicação se agrave. Além de estimular a produção do leite, o ato da auto sucção das mamas também pode causar feridas sérias na região mamária, necessitando de outros cuidados.

Em alguns casos mais graves é preciso entrar com tratamento específico, sintomáticos e para o equilíbrio hormonal. Sendo que esses tratamentos só podem ser prescritos por um médico veterinário.

E para prevenir a pseudociese, a castração das fêmeas é uma das maneiras mais eficazes, já que evita a produção dos hormônios ligados à gestação na pet e, dessa forma, diminui as chances do aparecimento do quadro. Além disso, esse tipo de procedimento também previne a cadela contra crias indesejadas e todas as alterações de humor e agressividade que ocorrem nos casos de gravidez psicológica em fêmeas caninas.

Então, lembre-se, ao aparecimento de qualquer sintoma da pseudociese em sua cadelinha, você deve procurar um médico veterinário para que ele possa lhe orientar aos procedimentos corretos, não vá por crendices do povo. E caso necessário, começar com um tratamento o quanto antes para evitar maiores complicações.

Para prevenir a pseudociese: Ccastração das fêmeas é uma das maneiras mais eficazes (Foto: Site Ouro Fino)

Para prevenir a pseudociese: Castração das fêmeas é uma das maneiras mais eficazes (Foto: Site Ouro Fino)

 

Cantinho do leitor

Esse é o Ted, do Charles. Uma graça de cachorro!

cantinho do leitor

 

Quer ver o seu bichinho de estimação aqui também? Basta enviar uma foto dele para o e-mail (glayce.cassaro@diariodovale.com.br). Sugestões e dúvidas também são bem vindas. Mais informações pelo WhatsApp (24) 98816-1583.

 

 

GLAYCE CASSARO PEREIRA | glayce.cassaro@diariodovale.com.br

Untitled Document