quinta-feira, 19 de outubro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Qual a cor da felicidade?

Qual a cor da felicidade?

Matéria publicada em 29 de setembro de 2017, 07:05 horas

 


wp-coluna-cultura-geral-artur-rodrigues

 

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”. Mahatma Gandhi

Quais são as cores que nos levam a felicidade, ao amor, a paz e tantas outras sensações? O que as cores promovem de bom em nossa vida?

Em nosso cérebro, as cores podem despertar inúmeras sensações e por isso elas têm significados diferentes. Além das sensações que as cores provocam, elas são divididas pela forma como se relacionam entre elas e, a partir daí, provocam em nós as suas influências, assim afiançam os especialistas em análise cromática.

As cores primárias são as chamadas cores puras, que não têm origem a partir da combinação de outras, são elas: o amarelo, o vermelho e o azul. Já as secundárias são o resultado da mistura de duas cores primárias, do amarelo e o vermelho criando o laranja; o vermelho e o azul, o violeta; e do azul e o amarelo, nasce o verde.

Já as cores terciárias são derivadas a partir da união de uma cor primária e outra secundária. Há ainda as cores neutras, compreendidas entre os tons de marrom e cinza.

Diz-se que as cores têm traduções, elas influenciam em nossa forma de viver. A cor azul está relacionada a harmonia, tranquilidade e serenidade. Alguns a associam a monotonia podendo inclusive provocar depressão. O verde está associado à natureza, a esperança e ainda a saúde, ao dinheiro, a vitalidade e a juventude. Muitas vezes ela é usada em ambientes para se promover a calma.

Já o amarelo nos passa a sensação de luz e calor, estimulando o raciocínio e a criatividade, além da alegria, otimismo e a jovialidade. O vermelho é uma cor quente, costuma transmitir a energia, simbolizar a paixão e o amor. Também é associada ao poder e até a violência. É conhecida por estimular a circulação e melhorar a autoestima.

O marrom é criado a partir da mistura do vermelho e do amarelo, transmitindo alegria e vitalidade. Significa sucesso e prosperidade, mas quando usado em exagero pode causar ansiedade e desgosto.

O roxo está ligado a espiritualidade, mistério e misticismo. Já a cor rosa está ligada ao romantismo e delicadeza, sendo mais associada ao mundo feminino. Normalmente esta cor é usada para se referir ao amor e à inocência.

O laranja é criado quando se mistura o vermelho e o amarelo, transmitindo a alegria e a vitalidade. Também pode significar sucesso e prosperidade. Quando usado em exagero pode causar ansiedade e até desgosto. Representa a paz, a purificação, inocência e a clareza.

A cor preta é obtida quando ocorre a absorção de todas as radiações do espectro solar. Está muitas vezes relacionada à morte, solidão e ao isolamento. Além disso, também é considerada uma cor sofisticada e elegante.

O cinza por ser um misto de preto e branco, simboliza equilíbrio, mas se usado em demasia mostra indecisão e até falta de vigor.

Influência

Para muitos tudo isso é pura bobagem, perda de tempo. Há quem seja descrente de tudo isso, não acreditando na menor influência das cores sobre nós e nossas ações. Pintar uma parede de azul ou amarelo, usar uma roupa vermelha ou verde, comprar um carro preto ou branco é mero gosto e ponto final, nada além disso. Existe uma corrente que teima em dizer que cromoterapeutas são charlatões com excessos de invencionices.

Querendo ou não, não se pode negar a forte influência da cromoterapia que é a prática pseudocientífica de utilizar as cores na cura de doenças, algo que vem sendo utilizado pelo homem desde os primórdios, como o Egito antigo, a Grécia e a Índia. Objetivando promover a harmonia entre mente e corpo.

Os cromoterapeutas, conhecedores dessa matéria, entendem que cada cor possui uma vibração específica e uma capacidade terapêutica.

Diante algumas certezas e muitas dúvidas, busca-se mudar cromoterapia para fotobiologia, que é o termo para o estudo científico contemporâneo do efeito da luz sobre os humanos, querendo desassociá-la de suas raízes que são muitas vezes vistas como mera mágica ou um misticismo tolo, do que como algo que exista para realmente nos curar de problemas reais.

A cromoterapia consta da relação das principais terapias alternativas ou complementares reconhecidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), desde 1976, mas a terapia não é reconhecida pela comunidade científica.

Diante de tantas cores e nomes, penso que a verdadeira definição do que para nós é felicidade, é algo que nem sempre se consegue ter uma certeza e aí apelamos para o desconhecido, aqui neste caso, as cores.

Felicidade

Mas acredito que o primeiro passo para se encontrar a verdadeira felicidade é se perguntar o que nos faz feliz, sabendo para isso que com tal pergunta já estamos a meio caminho de reconhecê-la e por fim conquistá-la.

Com isso iremos perceber que ela pode estar nas pequenas coisas e até nas grandes, por que não? Ela pode estar ao bebermos um copo d’água, no beijo, no gesto de gentileza, na comida bem preparada, no carro novo ou usado, na casa recém comprada, na blusa, no relógio, em uma noite bem dormida, em um abraço ou ainda em um olhar, em uma joia, em uma recordação e em muito mais. Mas para que possamos vivê-la o nosso coração tem que estar aberto, disponível e pronto para sentir todas as sensações que fazem nascer o amor.

 

 

ARTUR RODRIGUES | artur.rodrigues@diariodovale.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document