sexta-feira, 21 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Aniversario Volta Redonda / Uma história de amor que desafia o Alzheimer em Volta Redonda

Uma história de amor que desafia o Alzheimer em Volta Redonda

Matéria publicada em 17 de julho de 2015, 00:21 horas

 


Desde 1999, o dentista Jorge Pantaleão luta para dar qualidade de vida à esposa, Maria

CABECA 61 anos

Lado a lado: Jorge Pantaleão supera todos os dias as consequências do Alzheimer da mulher, Maria Botelho  (Foto: Paulo Dimas)

Lado a lado: Jorge Pantaleão supera todos os dias as consequências do Alzheimer da mulher, Maria Botelho
(Foto: Paulo Dimas)

A cidade de Volta Redonda inaugurou em março do ano passado o primeiro centro especializado no atendimento a pessoas portadoras de Alzheimer da América Latina. Trata-se do Centro de Atendimento para Pessoa Idosa com Alzheimer e Familiares – Centro Dia Synval Santos. O local atende pacientes na fase intermediária da doença – com oficinas terapêuticas de artes, música, terapia ocupacional – além de auxiliar os seus familiares para lidar com o dia a dia do usuário. O que muita gente pode não saber é que a ideia do espaço surgiu da dedicação de um marido que desafia esta doença desde 1999. Essa é a história do dentista Jorge Pantaleão Alves, de 85 anos.
O contato com o Alzheimer começou quando a mulher de Jorge Pantaleão, Maria Botelho Alves, de 85 anos, começou a ter os primeiros indícios da doença em 1999. Ele conta que na época não existia o conhecimento que há hoje e o diagnóstico só veio cinco anos mais tarde, em 2004.
– Ninguém sabia de nada, nem eu. Foi em 2004 que o doutor José Roberto Barroso fez o diagnóstico de Alzheimer. Na época a gente achava que era algo ligado aos movimentos, como Mal de Parkinson. Eu tomei um susto, não sabia direito o que era mas tinha noção de que era algo terrível – lembrou.
Para cuidar da mulher, o dentista então passou a frequentar grupos de apoio coordenados pelo médico geriatra José Roberto Barroso Arantes e teve mais informação sobre a doença.
– O paciente de Alzheimer é especial, tem que ter uma rotina, um carinho. Precisa de um cuidador e não um enfermeiro como muitos pensam. Eu tive um sofrimento muito grande para lidar com a Maria, então em 2008 eu tive a ideia de criar uma cartilha, levando informações às famílias de pacientes a como lidar com essa situação – pontuou, dizendo que no mesmo ano se candidatou a vereador, sem a intenção de vencer, somente para divulgar a ideia da construção de um centro de atendimento municipal aos portadores da doença.
– Eu pensei: Vou entrar como candidato para divulgar a ideia. Depois procurei os candidatos a prefeito para falar sobre a construção desse local que atenderia tanto os pacientes, quanto as famílias deles. E quando o (Antônio Francisco) Neto ganhou a gente conversou e ele se comprometeu a construir e essa obra que foi inaugurada no ano passado – disse, se referindo ao Centro Dia Synval Santos.
Pela dedicação a mulher, Jorge Pantaleão acabou adquirindo uma experiência sobre a doença e hoje atua como orientador social, levando informação às famílias através de palestras educativas no Centro Dia Synval Santos, nos Cras (Centro de Referência de Assistência Social), centros de convivência e como ele mesmo diz “vou aonde me chamarem”.
Paralelo a esse trabalho, o dentista também fundou em 2011 a Associação de Parentes e Amigos de Pessoas com Alzheimer de Volta Redonda (APAZ-VR) e já lançou a quarta edição da cartilha com orientações para famílias com pacientes com Alzheimer e também DVDs que mostram como é a rotina de cuidados com a mulher.
– A cartilha já está na quarta edição e nós lançamos também dois DVDs. O primeiro é o “Um dia com Maria”, onde eu mostro como é a rotina da Maria, do acordar até o adormecer. E o segundo é o “Cuidando de Maria”, que mostra como é o cuidar e se dedicar a uma pessoa com Alzheimer, fala sobre como é o atendimento no Centro Dia (Synval Santos), então é bem completo – afirmou.
Ao ser questionado sobre o que ele acredita ser o melhor remédio para a doença neurológica que ainda não há uma cura, Jorge Pantaleão destacou: “Eu defendo três itens: compreensão da doença, para entender o paciente; socialização, incluí-lo em passeios, idas a clubes, festas, andar na rua; e como eu digo: tratar como majestade, sem atender a ansiedade deles, e como criança, despistando, brincando, por exemplo: ‘Vamos tomar banho para ficar cheirosinha, querida?’. Mas o melhor remédio é o cuidado, com amor, carinho e estímulos”.
Atualmente o DVD “Cuidando de Maria” está disponível por um valor simbólico de R$ 10 e pode ser encontrado nas livrarias Veredas e Pioneira em Volta Redonda.

Serviço:
Quem tiver interesse nas palestras sobre Alzheimer do dentista Jorge Pantaleão, pode entrar em contato com ele através do telefone: (24) 33421491 ou (24)9-99881764. A palestra é gratuita.

O Centro de Alzheimer

O Centro Dia Synval Santos fica na Rua 548, número 101, no bairro Jardim Paraíba. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, com três salas de atividades, duas salas de repouso, sala da diretoria e equipe, cozinha, refeitório, área de convivência coberta, área para caminhada, área externa, banheiros masculino e feminino adaptados, auditório para 60 pessoas e recepção.
A coordenadora do centro, a psicóloga Danielle da Silva Freire, explicou que a porta de entrada para o atendimento é a Policlínica da Melhor Idade, que fica ao lado do espaço.
– Primeiro a pessoa deve passar por um atendimento na Policlínica da Melhor Idade, onde um médico faz o diagnóstico do paciente, porque nós só atendemos a doença em nível intermediário, nem muito no início e também nem nas fases finais. Depois disso, a nossa equipe faz um trabalho de inserção, com atividades coletivas, envolvendo professores de educação física, ecologia, fisioterapeutas, enfim toda uma equipe qualificada – disse Danielle, lembrando que as atividades são promovidas de duas a três vezes por semana em período integral.
Paralelamente às atividades no centro, a coordenadora lembrou que uma vez por mês há um encontro com os familiares dos pacientes.
– Não é só para orientar, mas sim para acolher a demanda emocional dessas famílias. Além disso, nós fazemos palestras nos bairros onde informamos os sintomas para haver uma ampliação do conhecimento sobre a doença – disse a psicóloga, que finalizou dizendo que o espaço está abrindo visitação para alunos de cursos de cuidador de idosos de outras cidades que queiram vivenciar esta experiência.
– Já tivemos alunos de Valença, Barra do Piraí, então nós estamos começando a abrir para as outras cidades da região para esses alunos conhecerem como é o dia a dia nos cuidados com um idoso com Alzheimer – disse.

Veja Nesta Edição:

quadrado-vermelho-5Uma cidade sempre pronta para se reinventar
quadrado-vermelho-5Neto: ‘Volta Redonda vai crescer mesmo na crise’
quadrado-vermelho-5Batalhão de VR alcança primeiro lugar em redução de violência em todo Estado
quadrado-vermelho-5EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Volta Redonda, ensino de qualidade para todos
quadrado-vermelho-5Confira algumas imagens da Cidade
quadrado-vermelho-561 ANOS: Programação cultural comemora aniversário
quadrado-vermelho-5Uma história de amor que desafia o Alzheimer em Volta Redonda
quadrado-vermelho-5Criando cidadãos através do esporte
quadrado-vermelho-5Maçonaria teria deixado símbolos por Volta Redonda
quadrado-vermelho-5‘VOLTA REDONDA, CIDADE DA MÚSICA’: Casa nova dá ‘fôlego’ a projeto

Untitled Document