terça-feira, 20 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / E nós com isso? / Pela desidiotização do eleitor

Pela desidiotização do eleitor

Matéria publicada em 1 de julho de 2018, 06:04 horas

 


Estado precisa entender que não serão bonés, camisetas, chaveiros ou showmícios que decidirão uma eleição

O distinto leitor já parou para pensar que o Estado (no sentido mais amplo e nobre da palavra) trata a todos nós como se fôssemos retardados? Existe uma complexa rede de leis criada para impedir que os políticos, esses seres “do mal”, cheios de esquemas nebulosos, enganem o pobre coitado do eleitor.

Por exemplo, já há algumas eleições que os candidatos não podem promover showmícios ou oferecer canetas, bonés ou chaveiros porque isso é considerado compra de voto. Em resumo, o governo acha que você é imbecil o suficiente para votar em alguém só porque ganhou um pedaço de plástico ou de tecido com um nome e número impressos.  Nem o mais pobre dos pobres faria isso.

É claro que não é essa a mecânica por trás da famosa compra de votos. Esse método desonesto de ganhar eleições, na verdade, se baseia em mecanismos mais brutais, como a chamada “boca de urna”, quando um candidato desonesto contrata pessoas para, em tese, passarem o dia da eleição convencendo indecisos a votarem nele, pagando insignificâncias como R$ 50 ou R$ 100 para que alguém se arrisque a ser preso e indiciado por crime eleitoral.

Na verdade, o que o desonesto espera é que a pessoa pegue o dinheiro e vote nele, convencendo dois ou três familiares a acompanhá-la.

Levando em consideração o valor mais alto, um candidato a deputado que despeje R$ 1 milhão nessa mutreta garantiria entre algo entre dez mil e trinta mil votos, o que, em algumas legendas com bons “puxadores”, pode significar a eleição.

Tudo bem, isso é crime e deveria mesmo ser, considerando que a realidade socioeconômica do país faz com que, para algumas pessoas, R$ 100 sejam significativos ao ponto de alguém trocar seu voto por isso. Mas não seria mais eficiente trabalhar para que a população tenha uma renda alta o suficiente para que esse dinheiro não seja importante?

Outra coisa é o malfadado horário eleitoral, que de gratuito não tem nada, já que é pago com renúncia fiscal – e custa uns bons bilhões de reais do nosso dinheiro. Ora, quem quiser espaço na TV que pague por ele, assim como o fabricante de sabão em pó ou a operadora de telecomunicações fazem. Se político pode ter marketeiro e agência de publicidade, também deve pagar pela propaganda que faz.

Isso nos leva à questão do financiamento de campanhas. Essa é uma falácia, criada sob a pressuposição de que os corruptos são honestos. Explico: teoricamente, esse despejo do nosso dinheiro nos partidos foi criado para combater a corrupção, já que, em tese, quando um político pede propina para uma empreiteira vencer uma concorrência ou para que a lei beneficie determinado fabricante, ele estaria visando conseguir apenas recursos para a campanha.

Olha, Papai Noel, o Saci e a Fada dos Dentes juram que nenhum político desonesto pede propina pensando em colocá-la na sua conta de gastos particulares. Eles só pensam em financiar eleição.

Em resumo, pegam bilhões do nosso dinheiro para financiar campanhas políticas, sob o pretexto de evitar que os corruptos peguem bilhões das empreiteiras e indústrias, com o mesmo objetivo.

Sem desculpas: É melhor uma lei que permita doações às claras do que uma que obrigue contribuições ocultas
(Foto: Agência Brasil)

A ‘equalização’

Em um Brasil sem financiamento público de campanha ou verbas públicas para partidos, e com regras menos sufocantes para a obtenção de recursos – por exemplo, permitindo que empresas e pessoas físicas doem abertamente e punindo de modo severo as doações ocultas, tanto para quem recebe quanto para quem dá o dinheiro – não haveria necessidade de elaborados esquemas, envolvendo contas ocultas no exterior, para bancar campanhas: só isso já seria uma vantagem, uma vez que, num cenário desses, o corrupto não poderia usar a velha desculpa do “era recurso de campanha”.

“Ah, mas isso vai dar aos candidatos mais ricos uma vantagem injusta sobre os mais pobres”… só que, com o esquema como funciona hoje, a “vantagem injusta” fica com quem sabe montar os esquemas mais mirabolantes de corrupção e lavagem de dinheiro.

No mundo da vaquinha virtual, uma ideia ou proposta que realmente convença a população pode levantar milhões, dados por pessoas que estão fazendo isso conscientemente, não por consumidores que pagaram imposto de renda ou IPI na compra de fralda descartável.

Então, os mais ricos sempre vão ter a vantagem que o dinheiro lhes dá, assim como os mais inteligentes ou os de melhores habilidades interpessoais terão chance de obter recursos vindos de outros.

Afinal, os seres humanos são iguais perante a lei, não em frente ao caixa eletrônico.

 

 

 

 

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Tbm nao seria numa idiotizacao aqueles jornais do interior que vive de anuncio das prefeituasbe por isso nao criticam o prefeito ?

  2. Pela desidiotização dos jornalistas…

  3. Você está enganado ONDE que ricos vão dar dinheiro para serem e
    Eleito ,? DA dinheiro para leitores quem recebe dinheiro fácil o cara rico sabe da valor no dinheiro que ele conquistou,

  4. Em volta Redonda ESTÃO usando invasores de terra como esta acontecendo na Vila dos idosos invadir OBRA DA PREFEITURA só mesmo o prefeito e o governador para continua a obra que foram gastos com o dinheiro do povo

  5. É uma situação complicada, vejam o contexto atual onde um ex presidente presidiário lidera as pesquisas de intenção de voto, chega a ser piada, é um grave sinal de falta de educação(formal) de um povo que sofre, não consegue interpretar que o caos que está instalado foi fruto de 13 anos de uma quadrilha que ficou no poder, e que nunca tinha visto tanto dinheiro na vida, e deu no que deu, olhem onde estamos hoje.
    E digo mais, acredito que não melhore, pois a população está mais preocupada em saber se acriança vai dar ou comer, ao invés de aprender as matérias escolares.
    Sendo assim, são meras massas de manobras para políticos e imprensa parcial manipular….

  6. O Brasil, por ser um país rico, ainda permite ao “menos idiota” se destacar e ter um padrão de vida minimamente boa, o que não é verdade em muitos países desenvolvidos, como por exemplo Portugal, onde há uma espécie de teto limitando as potencialidades. Quase um terço da população portuguesa vive em outros países como expatriada, inclusive aqui no Brasil, fato que nada mais é que uma migração econômica (para ganhar mais)…

    O Brasil, tendo em vista o povo que tem, é até um país muito bom. Se fosse depender só da mentalidade da maioria das pessoas que vc vê nas ruas, isto aqui não seria muito mais do que são uma Angola, Botswana ou Moçambique da vida…

    • Sim. Mas estamos caminhando a largos passos para nos tornarmos um país como aqueles. Graças não só ao PT, como o imbecil ali de cima pensa. A incompetência política só enxerga passar rasteira na oposição e por isso vemos idiotas falando mal somente da ültima gestão. O “cidadão” se esquece que temos um ex-presidente possuidor de bens ganhos com dinheiros de aulas extras, outro cuja família jogou na miséria um estado inteiro para se apossar de recursos públicos e tem o viciado que com sua família sempre extorquiu o país. Sem contar os outros que nos deram a vergonhosa posição de subserviência. Então ao se falar da merda em que o Brasil se encontra, se falar só dos bostas vermelhas é no mínimo ordinário.

  7. kkkkk, fico imaginando esse povinho que fica enfiado nessas pseudos igrejas, verdadeiros idiotas, trabalham o mês inteiro, deixam filhos passar fome para entregar seus salários para esses pseudos porta voz de Deus, se orgulham por serem idiotas, nem precisa pagar pelos votos deles. Será o que falariam se lerem esse texto, no minimo vão falar que o Paulo é uma pessoa do mundo, colocar a mão na cabeça dele, sapatear, espernear e gritar muito, um verdadeiro ato circense para tentar converte-lo. Agora eu pergunto, será que imbecilidade tem cura?

  8. Cem Reais para votar, PEGUE E NÃO VOTE no pilantra

    Fica a dica: Se te oferecerem dinheiro, PEGUE E NÃO VOTE no candidato, pois já significa que o candidato é pilantra, e caso eleito vai tirar muito mais.

    Quem oferece já deve saber que o eleitor é um tremendo IDIOTA.

    Eu não sei pq nunca me oferecem isso. Talvez pela minha cara já percebem que terão voz de prisão.

    • É todo machão aqui, ai vai te ver na rua é uma frutinha kkk!

    • CEM Reais para votar, SEM candidatos honestos depois

      Vamos fazer pressão, uai! KKKKKKKKKKKK Como disse: até hoje não me ofereceram por imaginarem a merda que dará , para eles, claro.

Untitled Document