Funcionários dos Correios entram em greve nesta segunda-feira - Diário do Vale
quinta-feira, 16 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Funcionários dos Correios entram em greve nesta segunda-feira

Funcionários dos Correios entram em greve nesta segunda-feira

Matéria publicada em 11 de março de 2018, 17:34 horas

 


População deve ficar atenta ao movimento de greve dos Correios

População deve ficar atenta ao movimento de greve dos Correios


Rio – 
Servidores dos Correios entrarão em greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (12). De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), os trabalhadores são contra mudanças no plano de saúde da empresa, que preveem o pagamento das mensalidades pelos funcionários e a retirada de dependentes dos contratos.

– Além disso, o benefício poderá ser reajustado conforme a idade, chegando a mensalidades acima de R$ 900 – informou a Fentect, em nota, ressaltando que o salário médio dos trabalhadores dos Correios é de R$ 1,6 mil, “o pior salário entre empresas públicas e estatais”.

O início da greve coincide com o julgamento sobre o plano de saúde dos trabalhadores no Tribunal Superior do Trabalho (TST), também marcado para esta segunda, referente à última negociação salarial.

Segundo a Fentect, a mobilização nacional da categoria foi aprovada em assembleias dos sindicatos. Entre outras reivindicações, os trabalhadores são contra as alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários; a terceirização na área de tratamento; a privatização da estatal; a suspensão das férias dos trabalhadores; a extinção do diferencial de mercado e a redução do salário da área administrativa.

Além disso, entre as demandas da categoria está a contratação de novos funcionários por meio de concurso público, a segurança nos Correios e o fim dos planos de demissão.

A federação também é contra a extinção e terceirização do cargo de operador de triagem e transbordo, “importante para o movimento do fluxo postal interno”. “Para piorar a situação, a empresa também anunciou o fechamento de mais de 2.500 agências próprias, por todo o Brasil”, diz a nota da Fentect.

Para a categoria, o “desmonte” promovido pela gestão dos Correios tende a prejudicar ainda mais os serviços à população. “A Fentect esclarece que alguns argumentos repassados transmitem uma visão enganosa da realidade na estatal. Por exemplo, quanto ao monopólio dos Correios, que, hoje, corresponde apenas a cartas, malote e telegrama. O segmento de encomendas, como o Sedex, entretanto, sempre foi concorrencial”, informou.

Quanto ao reajuste dos preços dos serviços da estatal, a federação discorda de aumentos abusivos nos valores. “Já em relação ao argumento da ECT para esse reajuste, a respeito da segurança dos trabalhadores, a Fentect esclarece que não há nenhum benefício pago ao trabalhador por esse motivo, bem como nenhum adicional”.

No dia 6 deste mês, os Correios começaram a cobrar uma taxa extra de R$ 3 para encomendas com destino ao Rio de Janeiro. O motivo seria a elevação dos custos da entrega por causa da violência no município. No dia 9, entretanto, após decisão da Justiça Federal, a estatal suspendeu a cobrança.

Para a Fentect, a empresa não onera o governo federal ou o bolso do cidadão com arrecadação de impostos. “Ao contrário, é o governo quem tem retirado verbas da empresa, sem retorno, nos últimos anos, como da ordem de R$ 6 bilhões”, informou. “Com todos os erros e ingerências políticas na administração dos Correios, a direção da estatal promove essas e outras retiradas de direitos dos próprios trabalhadores, responsabilizando-os pelos danos da ECT”.

Oficialmente, a greve da categoria começa neste domingo (11) a partir das 22h, para que os funcionários que trabalham no turno da noite já possam aderir ao movimento.

14 comentários

  1. sou contra a privatizaçao mais os correios tem que melhorar muito os serviços que prestam a populaçao, o povo mereçe um serviço de melhor qualidade

  2. Tem “trocentos” anos que a agência da Vila está em obras. Sinal que essa m. não faz falta nenhuma mesmo. Só nos causa problemas. E pensar que os Correios já foram campeões na avaliação popular. Aí, ocorreu o caso dos pacotinhos de dinheiro, o começo do fio da descoberta da corrupção institucionalizada in terra Brasilis. O resto é história e o resultado está aí.

  3. Se alguém luta pelos seus direitos, ele é o errado no Brasil.
    Greve aqui é como cometer um crime.
    Esse é um dos motivos do país ser a maravilha que é. Não existe união, nunca seremos uma nação.
    É cada um por si.
    Aos trabalhadores dos correios, fica o meu apoio. Apesar de ter um monte de encomenda atrasada. Jamais serei contra greves por justiça.

  4. Intervenções de velocidade .

    Eles estavam trabalhando .? Privatizar isso logo

  5. Não faz falta alguma. Oque os correios fazem ? Faz bastante greve até privatizar é isso que a população deseja. Ou fecha as portas e deixa por conta das transportadoras. Nas transportadoras se não trabalhar é rua, nos Correios ê premio. Cambada de inúteis.

  6. Ano de eleição é sempre assim. Criam dificuldade para oferecerem facilidade. Quem será o salvador da pátria?

    Vamos contabilizar. Neste ano até agora já foi a Febre Amarela, a ocupação no Rio e agora o Correio. Qual a próxima dificuldade e o salvador da patria? Os eleitores estão levando para casa só o herói.

  7. Tem 1mes que estou esperando minhas encomendas …. imaginei q estavam de greve já.. .. desde de novembro de 2017 né…. eles querem melhoria e tals mas jogam as encomendas e o atendimento é péssimo…

  8. Pra mim já estavam desde janeiro.

  9. Não fará diferença alguma.

  10. já passou da hora dos correios ser privativo,e acabar com essa bagunça

  11. Os Correios tem que ser PRIVATIZADO URGENTEMENTE! CHEGA !

  12. Eles estão trabalhando ?

Untitled Document