sábado, 20 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Intenção de compras para a Copa diminui, segundo CNC

Intenção de compras para a Copa diminui, segundo CNC

Matéria publicada em 11 de junho de 2018, 16:57 horas

 


Enquanto na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, 50,1% das famílias do país demonstraram interesse em comprar itens relacionados com o Mundial de futebol, este ano, com os jogos marcados para a Rússia e o Brasil passando por dificuldades políticas e econômicas, o percentual caiu para 24%,quase a metade.

O levantamento de dados foi feito através da pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada hoje (11).Os produtos mais procurados serão alimentos e bebidas, de acordo com o indicado pelos 18 mil consumidores das as capitais do país, com 9,9% de intenção de compra.

A CNC lembra que, no trimestre encerrado em abril de 2014, a taxa de desemprego no Brasil era de 7,1% da população economicamente ativa, contra os 12,9% de agora. E a taxa média de juros cobrada dos consumidores está em 55% ao ano, quando era de 47,9% antes do Mundial no Brasil

Vendas de aparelhos de TV caíram, se comparadas com a Copa anterior (foto: Paulo Dimas)

Este ano pretendem comprar peças de vestuário masculino, feminino e infantil, 7,5% do total. Devem adquirir aparelhos de televisão 4,3% dos consumidores. Em 2014, esses mesmos itens tiveram intenção de compra de 21,5%, 14,3% e 13,3%, respectivamente.

– Como a Copa é no exterior e as condições de consumo são menos favoráveis este ano, isso é decisivo para influenciar negativamente na intenção de compra das famílias. – disse o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes.

Fabio completa afirmando que as condições de consumo em 2018 ainda se encontram menos favoráveis do que há quatro anos, “a recuperação da economia e do consumo segue lenta e sujeita a oscilações”, comentou.

Alimentos e bebidas

No comércio popular do Rio de Janeiro, apesar do esforço da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara) em enfeitar as ruas e lojas com produtos em verde e amarelo, as vendas ainda não empolgaram o consumidor.

A esperança dos lojistas é que o desempenho da Seleção Brasileira alavanque as vendas com o desenrolar da competição, que começa nesta quinta-feira (14), com o jogo Rússia x Arábia Saudita. O primeiro jogo do Brasil é no domingo (17), às 15h, contra a Suíça. A Copa terminará no dia 15 de julho.

Entre as capitais, São Luís apresentou as maiores intenções de consumo de alimentos e bebidas, com 30,7%, enquanto em Boa Vista 23,3% dos consumidores pretendem comprar vestuário e em Manaus 12,6% devem adquirir televisores.

O gasto médio para 51,6% deve ficar em torno de R$ 200 e 39,2% declararam intenções de consumir mais de R$ 300 com produtos relacionados à Copa do Mundo 2018.

A maior parte dos consumidores pretende comprar em lojas físicas (83,8%) e pagar à vista (63,6%). Quanto ao local de consumo de alimentos e bebidas, 53,2% pretendem ficar em casa e 18,8% farão o consumo em bares e restaurantes.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Torcedor desanimado

    Comerciante que investir na copa é burro. Supérfluo.

Untitled Document