domingo, 20 de Maio de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Pesquisa do IBGE aponta que falta trabalho para 27,7 milhões de pessoas

Pesquisa do IBGE aponta que falta trabalho para 27,7 milhões de pessoas

Matéria publicada em 17 de Maio de 2018, 10:56 horas

 


Pelo menos 27,7 milhões de pessoas estão sem emprego. (crédito AB)

Brasília – A taxa de subutilização da força de trabalho no Brasil atingiu um nível recorde no primeiro trimestre de 2018, informou hoje (17), no Rio de Janeiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Acrescentou que 27,7 milhões de trabalhadores estão subutilizados, o que corresponde a 24,7% da força de trabalho no país, o maior percentual desde 2012.

São consideradas subutilizadas as pessoas que estão desempregadas, as disponíveis para trabalhar mais horas, mas não encontram essa possibilidade, as que gostariam de trabalhar, mas não procuraram emprego e as que procuraram, mas não estavam disponíveis para o trabalho.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), que também informa que o contingente de desalentados é de 4,6 milhões de pessoas. No último trimestre de 2017, esse grupo somava 4,3 milhões de pessoas.

Desistência

A população desalentada é a que desistiu de procurar emprego e é definida como a que estava fora da força de trabalho por não conseguir um emprego adequado, não ter experiência ou qualificação, ser considerada muito jovem ou idosa, ou não haver trabalho na localidade em que reside.

A taxa de desalento atinge 4,1% da força de trabalho ampliada no Brasil e é mais intensa na Região Nordeste, com 9,7%. Em Alagoas, 17% da força de trabalho desistiram de procurar emprego e, no Maranhão, 13,3%. No Rio de Janeiro e em Santa Catarina, o desalento é de 0,8%.

Taxa de desemprego é de 13,1%

O IBGE já tinha divulgado em 27 de abril que a taxa de desemprego no primeiro trimestre de 2018. Ela subiu para 13,1%. Se considerada cor ou raça da população, a taxa evidencia desigualdades. Enquanto o desemprego é de 10,5% entre os brancos, ele chega a 15,1% entre os pardos e 16% entre os pretos. A população parda corresponde a 52,6% dos desempregados no Brasil, embora  corresponda a 47,1% da população brasileira.

Os brancos, por sua vez, são 43,3% dos brasileiros e 35,2% dos desempregados. Já os pretos são 8,7% da população do país e 11,6% dos desempregados, segundo dados do IBGE

2 comentários

  1. Realmente estamos em RECESSÃO. Os TREZE anos do PT, mais dois do MDB, que foi deixado no governo pelos PETISTAS, deu nisso. Gastaram e roubaram a vontade, e o povo é quem paga o pato. Comandar um PAÍS, é como COMANDAR A SUA CASA, se você gastar além do que ganha, você dança. Emprestamos (???) dólares via BNDES, para CUBA, Venezuela, Bolívia, Equador, e uns 8 ou 10 Países Africanos, que não RECEBEREMOS jamais. Doamos para a Bolívia (Cumpanheiro EVO ) uma REFINARIA da PETROBRÁS, pertencente ao POVO BRASILEIRO , Isso sem falar na Construção e reforma de DOZE Estádios de Futebol para a COPA. Só para comparar a Alemanha País RICO, só teve OITO SEDES. Nas próximas eleições temos que dar o troco, não REELEGENDO NINGUÉM. Fazer uma LIMPEZA GERAL. Fica aí o caminho.

  2. JAIR SE ACOSTUMANDO

    VALEU LULA, VALEU DILMA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document