segunda-feira, 20 de novembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Sinduscon revela preocupação com construções de paredes de concreto

Sinduscon revela preocupação com construções de paredes de concreto

Matéria publicada em 11 de novembro de 2017, 17:40 horas

 


Tecnologia estaria sendo utilizada na região com especificações inferiores às adotadas na Europa

Volta Redonda – O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil e do Mobiliário do Sul Fluminense, o empresário e engenheiro civil Mauro Campos, afirmou que vê com preocupação as informações de que pelo menos uma construtora estaria usando o sistema construtivo de paredes de concreto, sem observar os cuidados que devem, segundo ele, acompanhar esse tipo de procedimento.

De acordo com Mauro, a vantagem oferecida por esse sistema, que é a construção mais rápida, pode ser superada pelos problemas que são gerados quando não são respeitadas as especificações e tomados alguns cuidados básicos.

— Temos informação de que estão construindo edifícios residenciais com paredes de concreto com apenas 10 centímetros de espessura na parte externa, quando o correto seria pelo menos o dobro disso, o que já cria um sério risco para as pessoas que comprarem os apartamentos. Também fomos informados de que a obra está sendo feita sem os devidos isolamentos térmicos nas paredes externas. Com isso, os imóveis vão ser fornos no verão e freezers no inverno — disse Mauro.

As informações recebidas pelo engenheiro dão conta, ainda, de que, para reduzir o custo aos valores pagos pelo programa Minha Casa Minha Vida, os revestimentos em argamassa nas faces de fora das paredes externas e em gesso nas partes internas das mesmas paredes  foi deixado de lado e substituído por uma pintura simples.

— Em três a quatro anos, essas pinturas vão estar danificadas e a estrutura da edificação estará exposta a condições da poluição local e às intempéries climáticas, além de piorarem bastante o acabamento das obras — afirma Mauro.

Outro problema levantado pelo engenheiro é que, com ou sem revestimento, em obras feitas pelo sistema de parede de concreto, a manutenção e os futuros reparos exigem a contratação de mão de obra especializada e bem mais cara do que a habilitada para atuar em construções feitas com alvenaria estruturada.

— Um dos motivos para isso é que as instalações elétricas e hidráulicas ficam por dentro de uma parede que, no caso da parede de concreto, é uma peça única. No caso de um reparo, se quem for recompor a parede não for especialista nesse tipo de parede, poderá causar danos irrecuperáveis. Já na alvenaria estrutural, basta substituir os blocos afetados, sem mexer nos demais. O que se ganha em custo e velocidade para o construtor, se perde depois no custo de manutenção, que é pago pela pessoa que adquiriu o imóvel — disse Mauro.

Mauro Campos: ‘Os imóveis feitos com parede de concreto sem proteção térmica vão ser fornos no verão e freezers no inverno’ (Foto: Arquivo)

Mauro Campos: ‘Os imóveis feitos com parede de concreto sem proteção térmica vão ser fornos no verão e freezers no inverno’ (Foto: Arquivo)

 

11 comentários

  1. Marcia Ogum fala a verdade

    Como presidente tem a obrigação de apurar as denúncias. Ele ser empresário do ramo, isso nao efeta em nada. Ninguém pode ser culpado por ter muito dinheiro. Que seja apurado os fatos.
    O cara trabalha ,diferente de muitos que vivem só de fofoquinha e dando tombo nos outros. Pulando de cidade em cidade. De galho em galho.

  2. Essa “preocupação” não é de graça, claro. Pelo menos fiz o meu comercial.

    • Ah, só mais uma coisinha: no mundo da concorrência, não existe bonzinho.

    • Exatamente… Duvido que não está defendendo o seu… Só para os que não sabem, a MRV já adquiriu terrenos em VR, logo logo teremos lançamentos dos apartamentos, neguim já está tentando fazer sua defesa. Rs…

  3. الفتح - الوغد

    Parece papo de fofoqueiro, ainda mais por levantar uma lebre, criar celeuma e não dar nome aos bois (obviamente para evitar problemas com a justiça)… No fundo, jogada de marketing: todos são suspeitos, exceto ele próprio e sua construtora. O cara é esperto…

  4. Caros, acho que o anúncio precisa mais informação técnica sobre o sistema de construção. Acho deben estar falando do sistema chamado tipo túnel ou similar. Na Venezuela e Colômbia fazem muito estas construções, elas têm outros problemas de carácter sísmicos. As paredes estão entre 10 e 20 centímetros de espessura depende da altura. Eu fui engenheiro na construção de um edifício de 12 andares com um sistema com mais segurança que o tipo túnel. Na região da gram Caracas temos mais de 6000 edificações tipo túnel ( paredes de concreto). Eu estou no Brasil agora mais estou disposto para responder qualquer pregunta, que possa, para vocês soubre estas edificações de acordo com nossa experiência na Venezuela.
    https://www.linkedin.com/in/jorge-rafael-nuñez-newton-09858a64/

  5. Quanta bobagem dita em tão poucas linhas. O leitor desse jornal se supera a cada minuto.

  6. Seria o tal “sistema inédito de construção em Volta Redonda” que o marketing de uma construtora anda alardeando por ai? Rsrsrsr

  7. Maurinho constrói edificios de 4 pavimentos sem uma coluna sequer, lajes com 8cm. de espessura e ninguém fala nada.
    No primeiro abalo vem tudo abaixo.

    • Pois é… O que acham do SINDUSCON realizar uma auditoria minuciosa no sistema sistema construtivo alvenaria estrutural ? Será que os traços de argamassas são confiáveis ? Tem laudos de arracamento ? Controle técnico na obra ? Certificação das matérias primas ? Selo de qualidade ( Aqua / Leed ) ? kkkkkkk
      Simples assim, pimenta nos olhos dos outros é refresco… Vem MRV !!!

  8. Igual a esses balancinhos que são construídos aproveitando o terreno para construir 3 coladinhos uns nos outros. E para os diferenciar o se faz hein??!! Pinta as fachadas com cores diferentes, que sacada mestre!! E claro, é cobrado preço de mansão! Pombal da bananolândia!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document