sábado, 25 de novembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Trem barrinha: Comissão apresentará à ANTT estudo de viabilidade econômica

Trem barrinha: Comissão apresentará à ANTT estudo de viabilidade econômica

Matéria publicada em 28 de agosto de 2017, 17:31 horas

 


Rio – A Comissão Especial em Defesa do Transporte Ferroviário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) irá enviar à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e ao governador Luiz Fernando Pezão um estudo de viabilidade econômica da retomada do trem de passageiros da linha conhecida como “Barrinha”, que liga Japeri à Barra do Piraí.

Nesta segunda-feira (28), em reunião conjunta com a Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados, os parlamentares receberam representantes da ANTTT, do Tribunal de Contas da União (TCU), do Movimento em Defesa dos Trens (MDT) e da MRS Logística, atual concessionária do trecho.

Presidente da comissão, o deputado André Ceciliano (PT) explicou que, de acordo com o atual contrato de concessão do trajeto, existe a possibilidade da operação de quatro trens de passageiros diariamente. “Nós queremos levar o estudo de viabilidade para a ANTT e buscar um operador. Queremos também sensibilizar o governador da importância da ligação entre Região Metropolitana, Baixada Fluminense e Sul Fluminense”, declarou, citando o crescimento do setor metalúrgico na região.

De acordo com Sérgio Paixão, integrante do MDT, o levantamento foi feito em parceria entre o Movimento e a Universidade Federal do Rio de Janeiro entre 2002 e 2005, mas já vem sendo complementado com dados recentes. “Mesmo em atualização, ele já mostra ser viável economicamente. Além disso, é importante dizer que o transporte de passageiros vai além disso, pois ele interfere na estrutura geopolítica e econômica de uma determinada região”, explicou.

A Concessão

Apesar da obrigação da permissão de uso do trajeto para transporte de passageiros, o contrato de concessão, feito em 1996, não determina que a MRS Logística, atual concessionária, seja a responsável pela operação do serviço, como explicou a Gerente Geral de Relações Institucionais da empresa, Rosa Cassar. “A MRS tem como objeto de concessão apenas o transporte de carga e só poderá disponibilizar faixas de domínio para que seja construída uma linha segregada de passageiros ”, esclareceu.
Durante o encontro, o presidente da Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados, deputado Altineu Cortes (PMDB), criticou a influência das concessionárias na elaboração da renovação de contrato. “Esse contrato tem que atender a sociedade e faremos audiências em Brasília sobre o tema. As pessoas estão interessadas e vão ter a força da Comissão da Câmara”, declarou.

A linha

O trem da linha Barrinha, de 46 km de extensão, foi extinto em 1996, após um acidente gravíssimo envolvendo um trem de carga e outro de passageiro, que aconteceu meses antes da assinatura do contrato de concessão. Vinte anos após o ocorrido, o MDT e seus parceiros ainda reivindicam a volta do serviço por ser de extrema importância para a região. “Ele traz a possibilidade de alavancar o processo de desenvolvimento do Vale do Paraíba e a integração com a Região Metropolitana do Rio de Janeiro”, comentou o professor aposentado Raul de Bonis, que participou da elaboração do estudo de viabilidade econômica junto ao Movimento.

25 comentários

  1. Num momento que se discute de forma intensa a chamada Mobilidade Urbana, porque não inclui nesta discursão a volta dos trens de passageiros, que foi é sempre será um meio de transporte seguro espaçoso além de ser muito mais muito superiores aos enlatados e desconfortáveis ônibus; que o digam as mulheres grávidas, que tem que se submeterem a esse sofrimento, por não oferecerem outra alternativa de transporte, simplesmente por acomodação e desprezo das nossas “autoridades” essas sim tem carros oficiais além de helicópteros para serem transportadas.

  2. Francisco Lacerda, excelente e oportuno seu comentário feito aqui sobre o Trem de Passageiros, o exemplo da Vale desmente qualquer comentário contrário a volta do Trem de Passageiros; olha a Europa continente desenvolvido toda ligada por trens de passageiros, EUA etc…, o que seria do nosso parceiro nos Brics chamado India, sem os trens de passageiros. quando nós teremos um Congreso voltado pelos interesses do nosso povo?; se continuar a ser manipulado por empresários nunca sairemos do 3º mundo.

    • Eu avisei e fiz campanha para não votarem no PMDB e partidos ALIADOS. Agora temos de continuar no 3º mundo porque os eleitores de bandidos do PMDB querem continuar no 3º mundo.

      Não adianta perguntar o que eles têm a dizer pq não falam nada mesmo. São uns merdas e covardes.

  3. o trem funcionou até 1996 parou por causa de um acidente (aproveitaram a desculpa) .A MRS só poderá disponibilizar faixas de domínio para que seja construída uma linha segregada de passageiros POXA A LINHA TA LA!! fazer outra duvido que saia do papel ESSE E O BEM , O LEGADO E O DESENVOLVIMENTO QUE TRAZEM AS PRIVATIZAÇÕES E CONCESSOES O LUCRO PARA O EMPRESÁRIO E O PREJUÍZO PARA O POVO E TEM 57 A CAMINHO ,RSRSRSRRSRSRRS

    • الفتح - الوغد

      Só não se esqueça que o compartilhamento de linha entre trens de passageiros e cargueiros é altamente arriscado em qualquer lugar do mundo, ainda mais em trechos de serra e com tráfego pesado de composições…

    • FranciscoJFLacerda

      A companhia VALE possui em seu trecho trens de passageiros e de carga desde antes à sua privatização, em Minas, no Pará e no estado do Espírito Santo aliás lá no caso de Vitória a Belo Horizonte a bitola é mais estreita, a métrica e além disso ela nos últimos anos até modernizou com novas tecnologias todo o atendimento inclusive com novos vagões, mais confortáveis. Qual é o problema que eles enfrentaram ou enfrentam hoje em dia, NENHUM! Isto é conversa fiada, uma grande besteira o estudo de viabilidade está pronto, é viável sim o edital de concessão permite só não obriga a MRS que poderia parar de mexer os pauzinhos contra, deixar algum consórcio ou outro grupo a parte de passageiros. E só quem compactua com o atraso ou com a corrupção de mafiosos deste país diz uma coisa destas.

  4. Eles, podem fazer um estudo para viabilizar o transporte ferroviário entre a Cidade de Itatiaia até Três Rios.
    Pois interligará as cidades do interior, com menos custos das passagens para seus usuários. Cesar você foi mais explícito na brangência do retorno dos Trens – parabèns- boa tarde!

  5. José Carlos Landeiro

    Caro Querosene, respeito sua opinião; mas não esqueças das torturas, assassinatos etc… deste período, acho que progresso com violência não combinam bem, a liberdade de falar, de se locomover, se filiar a partidos políticos nunca deve ser obstruida, pois sem isso todo progresso é falso.

    • só foram perseguidos os subversivos comunas, matou pouco comparado com outros países; Cuba, Chile, Uruguai

  6. No dominio da MRS.é ruim de acontecer.
    Porque não começar de Resende a Japeri.Rio

    • CORRETO SERIA UMA BOA VEM DE RESENDE A JAPERI , ISSO SEMPRE PENSEI E ACHEI EXTRAORDINARIO , MAS ESSAS POLITICAS Q FAZEM OQ N QUEREMOS É CRUEL !!

    • الفتح - الوغد

      É exatamente o mesmo trecho, apenas estendido. O domínio é da MRS do Rio até SP, onde aliás já há litígio com os trens da CPTM…

  7. Eles, podem fazer um estudo para viabilizar o transporte ferroviário entre a Cidade de Itatiaia até Três Rios.
    Pois interligará as cidades do interior, com menos custos das passagens para seus usuários.

  8. BABACOES, TODOS VOCÊS!!!!

  9. José Carlos Landeiro

    Deveriam aproveitar essa discursão e incluir também o trecho entre Três Rios e Barra do Piraí, pois a região cresceu muito nas útimas décadas e não foi oferecido nenhuma alternativa de transporte público a não ser estas verdadeiras latas de sardinha chamadas de “Ônibus”. Precisamos recuperar aquilo que nos foi surrupiado pela Ditadura de 64.

    • José Carlos Landeiro, fala asneira não!!! Viva o regime militar, o crescimento que nunca teve antes nos 21 anos desse governo fantástico.

      Bolsonaro 2018

    • O Brasil cresceu a custa de empréstimos fartos e baratos no exterior. Foi quando o Brasil construiu obras faraônicas.

      Agora engulamos essa: OS JUROS ERAM FLUTUANTES.

      Na primeira crise mundial, pimba! Nossa dívida externa cresceu a ponto de deixarmos como escravos do exterior.

      Alguém me responda se for capaz. Você vai num bando pegar empréstimo e aceita pagar com juros FLUTUANTES?

      Penso que até o maior ignorante, um analfabeto funcional ou analfabeto político, aqui não aceitará, não é mesmo?

  10. Esse trem de Barra faz parte das lendas da nossa região? Tem a conclusão e liberação da Rodovia do Contorno, a anexação da Califórnia, a conclusão da reforma do prédio dos Correios e Rodoviária para linhas interestaduais, todos de ou para V. Redonda, as obras complementares da retirada do pátio de manobras de trem de B. Mansa e equipar e colocar para funcionar o prédio vazio do futuro Hospital Regional. Faculdade de medicina da UERJ (promessa do PMDB na eleição de 2012) e aeroporto regional (desde 2004) não entra na lista porque nem mesmo capinaram os terrenos.

  11. الفتح - الوغد

    Sempre pensei que a Baixada Fluminense fizesse parte da região metropolitana da capital. Percebo que me iludiram esse tempo todo…

  12. FranciscoJFLacerda

    Ah tempo bom que a gente ia para Japerí no elétrico barrinha com pouco mais de 10 reais …!

    • Pois é Francisco, tempo que amarrava cachorro com linguiça, da tv preto e branco, do toca disco. Chega de saudosismo.

Untitled Document