quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Na chegada ao PSG, Neymar rejeita incômodo com Messi

Na chegada ao PSG, Neymar rejeita incômodo com Messi

Matéria publicada em 4 de agosto de 2017, 15:51 horas

 


Neymar treinou pela primeira vez com os novos companheiros na tarde desta sexta

Neymar treinou pela primeira vez com os novos companheiros na tarde desta sexta

Paris (França) – Neymar foi apresentado nesta sexta-feira como jogador do Paris Saint-Germain, na transação mais cara da história do futebol. Logo de cara, o atacante deixou claro que sua decisão de deixar o Barcelona não teve relação com o fato de não ser o protagonista principal da equipe, em função da presença do astro Lionel Messi.

“Não influenciou em nada (a questão do protagonismo), O meu desejo de vir ao Paris foi por querer um novo desafio, buscar algo diferente, não é porque eu me sentia incomodado, nunca busquei protagonismo na minha vida, isso é relativo. Não quero protagonismo, vim buscar títulos, é o que a torcida merece, o que o clube merece. Sou movido a desafios, querer me superar”, afirmou o brasileiro.

Com a presença de Neymar, o Paris Saint-Germain espera alcançar um novo patamar no futebol europeu e se juntar aos mais tradicionais do continente. O foco principal obviamente é ganhar o título inédito da Liga dos Campeões da Europa. Para o atacante, esse projeto é ambicioso e foi a grande razão de aceitar a oferta do clube francês.

“Estou aqui pela missão, é parecida com a minha, de querer vencer, buscar algo maior, um novo desafio, foi onde meu coração pediu para ir, com toda felicidade do mundo”, disse.

Os números da ida de Neymar causaram grande impacto no mundo. O Paris Saint-Germain pagou a multa rescisória de 222 milhões de euros (cerca de R$ 860 milhões). Além disso, o atacante terá um salário estimado em R$ 111 milhões por temporada.

Neymar fez questão de deixar claro que o dinheiro não foi o ponto principal para sua decisão de mudar de equipe.

“Nunca fui movido a dinheiro, não é a primeira coisa que pensei. Eu penso na minha felicidade e da minha família, sigo o meu coração. Se fosse por dinheiro eu estaria em outros lugares”, avisou.

Um dos outros motivos pelo qual a mídia apontou a saída de Neymar do Barcelona com destino ao PSG foi a ambição de conquistar o título de Melhor do Mundo da Fifa. O jogador brasileiro, porém, negou esta questão e garantiu que não enxerga este posto como objetivo de vida.

“Não é uma coisa que tenho como objetivo ou como meta de vida. Não vivo para ser o melhor do mundo. Eu vim para cá por objetivos que tem o clube, não vim só por um objetivo individual, vim para ajudar os companheiros. Fazer este clube ser maior do que já é. Ir atrás do que eles ainda não têm. Vim para cá pelo time, pelo clube”, disse em entrevista ao Sportv.

Além disso, a quantidade de brasileiros no Paris Saint-Germain também foi um atrativo para o jogador que fez questão de repetir inúmeras vezes que esta decisão foi a mais difícil de sua vida.

“São jogadores que, além de jogarmos juntos há algum tempo, a amizade que tenho com eles é muito grande. Isso, claro que de uma certa forma pesou um pouquinho mais, mas ali (no Barcelona) eu também tinha amigos. Eu queria esse desafio pra mim. Foi uma decisão muito difícil”, ressaltou.

Neymar pode estrear com a camisa 10 do PSG neste sábado, diante do Amiens, pela primeira rodada do Campeonato Francês, caso sua documentação seja regularizada pela Liga.

SANTOS RECEBERÁ SOLIDARIEDADE – Após a entrevista coletiva em que o jogador afirmou que foi a decisão mais difícil de sua vida, o empresário Wagner Ribeiro deu um sinal importante aos torcedores e clube que formou o futebol do brasileiro, o Santos. Segundo o agente, o Barcelona vai pagar a cláusula de solidariedade ao time da Baixada a pedido do pai do craque.

“Estava numa reunião agora há pouco no salão nobre e Neymar Pai e sua esposa Nadine estavam falando com o Nasser (dono do PSG). Neymar pediu para que o PSG pague a solidariedade ao Santos, para que não seja constatado que foi paga a cláusula, porque quando se paga a cláusula, não se paga a solidariedade. Ele vai pagar (a solidariedade) a pedido da família”, disse em entrevista ao canal Fox Sports.

O pagamento desta cláusula empaca em uma série de questões, uma vez que precisa ser provado que o jogador permaneceu por um longo tempo na base do Santos. Além disso, o Paris Saint-Germain poderia abrir mão de dirigir esta quantia ao time paulista alegando que não houve uma transação com o Barcelona, mas apenas o pagamento da multa rescisória. A questão provavelmente teria uma longa discussão jurídica. Mas, a pedido do pai do jogador, Nasser pode pagar até 4% do valor do negócio, que custou 222 milhões de euros (aproximadamente R$810 milhões) – este valor equivale ao período dos 11 aos 21 anos defendendo as cores do Alvinegro.

Com o anúncio oficial e o jogador devidamente apresentado, Neymar deve estrear com a equipe do PSG no Campeonato Francês, já neste sábado. O torneio tem início nesta sexta, com a partida entre Monaco e Toulosse, às 15h45 (de Brasília). O Paris joga no dia seguinte, ao meio dia (de Brasília), no Parque dos Príncipes, contra o Amiens.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document