domingo, 23 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Vasco bate Botafogo e ambos avançam à semi da Taça Rio

Vasco bate Botafogo e ambos avançam à semi da Taça Rio

Matéria publicada em 18 de março de 2018, 20:56 horas

 


Vasco dominou a etapa inicial e abriu vantagem no intervalo após gols de Riascos de letra, e Andrés Rios

Campeonato: Na semifinal da Taça Rio, as duas equipes vão se reencontrar

Campeonato: Na semifinal da Taça Rio, as duas equipes vão se reencontrar

Rio – Em clássico movimentado, o Vasco venceu por 3 a 2 o Botafogo, ontem (18), no Nilton Santos. Com o resultado, os cruzmaltinos terminaram a fase de classificação da Taça Rio na liderança do grupo B, com 13 pontos. Já o Botafogo, com dez, terminou em segundo no grupo C graças a goleada do Flamengo sobre a Portuguesa.

O Vasco dominou a etapa inicial e abriu vantagem no intervalo após gols de Riascos de letra, e Andrés Rios. No segundo tempo, o Botafogo buscou o empate com gols de Rodrigo Lindoso e Brenner. No entanto, os cruzmaltinos tiveram força para chegar ao terceiro, com Paulinho, para decretar a vitória.

Na semifinal da Taça Rio, as duas equipes vão se reencontrar por um lugar na final da Taça Rio. Além disso, o resultado no clássico garantiu Vasco e Botafogo nas semifinais do Campeonato Carioca.

O jogo

O clássico ficou tenso logo no início após dividida dura entre Rildo e Joao Paulo. O cruzmaltino acertou a perna do alvinegro, que precisou ser substituído com fratura na tíbia e fíbula. Os botafoguenses queriam a expulsão do atacante vascaíno, que recebeu o cartão amarelo.

Aos poucos, o nervosismo foi diminuindo e o Botafogo criou a primeira boa chance da partida, aos dez minutos. Após cobrança de falta na área, a zaga cortou mal, Marcelo Benevenuto chutou e viu a bola bater em Brenner antes de ir pela linha de fundo.

O Vasco respondeu quatro minutos depois. Em outra cobrança de falta na área, a bola sobrou para Rildo, que colocou na pequena área. Riascos cabeceou, mas pela linha de fundo.

Com as duas equipes mais calmas, o que se viu foi o Vasco adiantando a marcação e o Botafogo com dificuldade em avançar para o ataque. No entanto, ambos erravam muito e os lances de perigo pararam de acontecer.

Somente aos 37 minutos, o Vasco abriu o placar no Nilton Santos. Após boa troca de passes dos cruzmaltinos, Rios cruzou rasteiro para a área e viu Riascos, de letra, colocar para a rede.

Nos minutos finais, o Botafogo esboçou uma pressão e quase empatou aos 41 minutos. Após cobrança de falta na área, Igor Rabello desviou e obrigou Martin Silva a fazer grande defesa. No entanto, quem marcou foi o Vasco, já nos acréscimos. Henrique tocou para Andrés Rios na área. O argentino dominou e chutou sem chance para Gatito Fernández para deixar os vascaínos com boa vantagem no intervalo.

No segundo tempo, o Botafogo voltou com outra postura e pressionou o Vasco desde os primeiros minutos. Os alvinegros foram recompensados logo aos cinco minutos. Marcos Vinícius foi derrubado por Wellington na área e o árbitro marcou pênalti. Rodrigo Lindoso cobrou com categoria para recolocar os botafoguenses na partida.

O Vasco não demonstrou ter sentido o revés e quase ampliou aos sete minutos, com Riascos. O colombiano aproveitou cruzamento de Rios, mas chutou prensado com a zaga.

A partir daí, o clássico ficou aberto, com as duas equipes voltadas para o ataque. O Botafogo buscava os cruzamentos, sem sucesso. Já o Vasco pecava no último passe. Os cruzmaltinos conseguiram assustar aos 20 minutos, em chute de Paulinho que parou em Gatito Fernández.

A resposta do Botafogo veio em grande estilo aos 22 minutos. Após cruzamento, Brenner subiu mais que a zaga para cabecear para a rede. O goleiro Martín Silva ainda tentou a defesa, mas viu a bola ir para o gol.

Depois do empate, o Vasco melhorou e passou a dominar o confronto. Aos 31 minutos, os cruzmaltinos desperdiçaram chance incrível. Paulinho fez boa jogada e chutou para boa defesa de Gatito Fernández, que deu rebote. Wagner tentou a finalização, mas a zaga fez o corte. A bola sobrou para Andrés Rios, que chutou, mas em cima de Evander.

A persistência dos vascaínos foi recompensada aos 38 minutos. Em boa troca de passes do ataque, Yago Pikachu cruzou rasteiro para Paulinho, livre, apenas empurrar para a rede.

Nos minutos finais, foi a vez do Botafogo se lançar o ataque. Os alvinegros tiveram dificuldade em criar boas chances, mas aproveitaram erro na saída de bola só Vasco para assustar em chute de Rodrigo Pimpão. O Vasco tratou de tocar a bola para manter a vantagem até o apito final.

 

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2 X 3 VASCO

 

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 18 de março de 2018 (domingo)

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro (RJ)

Assistentes: Silbert Faria Sisquim (RJ) e Daniel do Espírito Santo Parro (RJ)

Renda: R$ 194.320,00

Público: 10.971 pagantes

Cartões amarelos: Brenner (Botafogo); Rildo, Martín Silva, Henrique e Wellington (Vasco)

GOLS

BOTAFOGO: Rodrigo Lindoso aos 5min do segundo tempo; Brenner, aos 22min do segundo tempo

VASCO: Riascos, aos 37min do primeiro tempo; Andrés Rios, aos 46min do primeiro tempo; Paulinho, aos 38min do segundo tempo

 

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, João Paulo (Marcelo), Marcos Vinícius (Rodrigo Pimpão), Leonardo Valencia e Ezequiel (Luiz Fernando); Brenner

Técnico: Alberto Valentim

 

VASCO: Martín Silva, Yago Pikachu, Paulão, Frikson Erazo e Henrique (Fabrício); Wellington, Leandro Desábato e Evander; Rildo (Paulinho), Andrés Rios e Duvier Riascos (Wagner)

Técnico: Zé Ricardo

2 comentários

  1. Os jogadores sabem que a maioria dos juízes de futebol no Brasil e até alguns pelo mundo, não têm coragem de expulsar logo no início do jogo. Aí o Vasco reclama que é prejudicado em finais de campeonato, mas ninguém vê que ele nem chegaria lá se não fossem as falhas de arbitragem a favor do time da Cruz de Malta durante as fases anteriores.

  2. Se tivesse árbitro em campo, RILDO seria expulso por sua entrada criminosa e desleal a um companheiro de profissão. Espero que o Tribunal faça justiça ao João Paulo.

Untitled Document