quinta-feira, 24 de Maio de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Poliana retorna em edição da Nova Fronteira

Poliana retorna em edição da Nova Fronteira

Matéria publicada em 14 de Maio de 2018, 08:00 horas

 


Romance virou filme da Disney e novela da TV brasileira

Retorno: Poliana em nova tradução da Nova Fronteira

Jorge Luiz Calife

Já não se fazem mocinhas como antigamente. É a conclusão que se tira ao reler o clássico “Poliana”, de Eleanor H.Porter, que acaba de ser reeditado pela Nova Fronteira. Poliana é a heroína perfeita, jovem, bonita, educada, gentil com todo mundo e eternamente otimista. Não importa a quantidade de desgraças que desabem em cima da loirinha, ela sempre encontra um motivo para continuar feliz e confiando no mundo e nas pessoas.
O livro foi escrito em 1913, no início do século passado e virou um sucesso mundial. Foi traduzido para quase todos os idiomas do planeta. Virou peça de teatro e filme de cinema. A versão mais famosa foi a da Disney, com a estrelinha Hayley Mills, exibida em 1960. Antes já existira uma novela da extinta tv Tupi. E dizem que o SBT vai produzir uma nova versão, ainda este ano, com a Sophia Valverde no papel principal.
Mas vamos a história. Poliana é uma jovem, de uns 12 anos de idade que perde a mãe e depois o pai a quem ela amava. É enviada para morar com uma tia distante, em uma cidade do interior. Onde todo mundo, a começar pela tia, vive de mal com a vida. Poliana não se deixa abater e começa a ensinar para as pessoas o “jogo do contente”, que aprendeu com o pai. Que consiste em procurar alguma coisa positiva em todas as situações, mesmo as mais desagradáveis.
Com seu otimismo e sua gentileza Poliana vai quebrando o gelo das pessoas que a cercam. Ela consegue conquistar até mesmo um velho solitário, que vive sozinho e amargurado em uma mansão e persegue as crianças que tentam entrar lá.
O livro fez tanto sucesso que teve duas sequencias. “Poliana adolescente” e “Poliana mulher”. Que contam a trajetória da heroína ao longo de sua vida. Por enquanto a Nova Fronteira se restringiu apenas ao primeiro livro, o mais famoso. Acho que as gerações modernas vão achar a Poliana boa demais para ser verdade. Afinal as meninas de hoje em dia são anti-polianas. Elas vivem de mau humor, falam palavrão, não respeitam os mais velhos e tem todo o tipo de maus hábitos. Até a heroínas dos filmes e das novelas precisam ter algum tipo de defeito ou o público não se identifica com elas. Mas é isso que torna Poliana imortal.

Um comentário

  1. Se a Poliana morasse no Brasil ela diria que foi bom o PT governar o país durante quatorze anos e destruir o país, através de tenebrosas transações, como a compra da refinaria de Pasadena nos EUA por uma negociação bilionária, enquanto ela não valia nada!
    Poliana diria que foi bom ter ocorrido a Maior Crise Econômica que o Brasil já teve com o PT, pois a partir das eleições de 2018 ninguém mais votará no PT e naqueles partidos que o apoiaram e o Brasil vai melhorar!
    Ela diria como o ex-Senador Mão Santa: “Na vida a gente faz apenas uma vez: nascer, morrer e votar no PT!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document