quarta-feira, 23 de agosto de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Um guia de viagens para o Sistema Solar

Um guia de viagens para o Sistema Solar

Matéria publicada em 19 de junho de 2017, 11:27 horas

 


Livro revela o que há de melhor nos outros oito planetas; é o caso de Titã, a maior lua do planeta Saturno, lá existem lagos e mares feitos de gás metano liquefeito

Nos últimos anos falou-se muito em turismo no espaço. Por enquanto as viagens custam muito caro e se limitam a visitas a Estação Espacial Internacional. Que fica pertinho aqui da Terra, a 400 quilômetros de altura. Mas o céu não é o limite e uma dupla de autoras inglesas acaba de publicar um colorido guia de viagens para o Sistema Solar. Todo baseado nas mais recentes descobertas feitas pelos telescópios e sondas espaciais. Sonhar não é proibido e a escritora Olivia Koski e a astrônoma Jana Grcevich mostram como será possível esquiar em Marte, fugir do sol nascente em Mercúrio ou namorar na paisagem enluarada de Plutão.
Por enquanto o “Vacation Guide to the Solar System” ainda não tem tradução para o português. Mas já é possível apreciar as belas ilustrações, em estilo retrô, feitas para o livro pelo artista Steve Thomas. A edição em papel saiu pela famosa editora Penguim Books e pode ser adquirida nas lojas da internet. Os cenários mostrados são fantásticos, mas é tudo real, o que mostra como a realidade já superou a ficção científica. Afinal, os planetas do nosso sistema solar são mundos muito mais exóticos do que aqueles mundos fictícios que aparecem nos filmes de Jornada e Guerra nas Estrelas.
É o caso de Titã, a maior lua do planeta Saturno. Lá existem lagos e mares feitos de gás metano liquefeito. As praias têm dunas de areia preta e o céu está sempre coberto por nuvens cor de laranja. É muito frio em Titã, a temperatura fica em torno dos 160 graus negativos, mas isso não é nada que um bom traje espacial não possa resolver. A atmosfera densa permite o voo com asas delta ou com aqueles trajes com membranas.
Plutão tem geleiras imensas onde seria possível esquiar, saltando por cima de fendas e abismos graças a gravidade baixa. Com uma enorme lua marrom no céu, e outras luas menores o cenário é um convite ao romance. O sol em Plutão não passa de uma estrela brilhante e o dia lá equivale ao nosso entardecer.
Quem procura aventura pode surfar nos anéis de Saturno, vendo o imenso planeta cobrir metade do céu. Ou meditar sobre os mistérios do Universo contemplando o enigmático hexágono formado pelas nuvens no polo sul do planeta. Para quem gosta de aventura os destinos ideais são Mercúrio e Júpiter. Em Mercúrio os visitantes precisam ficar na linha do crepúsculo, entre o lado iluminado e escuro do planeta. Para fugir das temperaturas de 427 graus centigrados do dia mercuriano. Mas o planeta gira lentamente em torno de seu eixo e com um veículo aéreo seria possível fugir o tempo todo do mortífero nascer do Sol.
Júpiter tem 69 luas incluindo a infernal Io, onde vulcões em erupção lançam enxofre incandescente para o céu. Além dos vulcões Io fica dentro dos cinturões de radiação de Júpiter e qualquer visita a esta sucursal do inferno terá que ser muito breve, e usando roupas blindadas contra a radiação. Melhor ir para Europa, uma lua gelada que oculta um oceano de água salgada mais profundo do que todos os mares da Terra.
Outro esporte radical será saltar de bungee jumping nas nuvens de Urano. Como Urano é um mundo gasoso não há perigo de colidir com alguma coisa. Os turistas mais ousados também poderão velejar na atmosfera de Netuno, onde os ventos atingem velocidade de mais de mil quilômetros horários. Por enquanto só podemos imaginar essas viagens exóticas. É por isso que o ilustrador Steve Thomas adotou um visual retrô para o livro, com os turistas embarcando em naves que parecem saídas de um filme de ficção dos anos de 1950.
Para transformar esse sonho em realidade será preciso desenvolver novos tipos de naves espaciais. Como foguetes iônicos e fotônicos que possam cruzar o sistema solar em semanas no lugar de anos.
O que ainda se encontra uns cinquenta anos no nosso futuro.

Por Jorge Luiz Calife
jorge.calife@diariodovale.com.br

foto 1

Colorido: Ilustrações apelam para o estilo futurista retrô

Romance: Se apaixonando em Plutão

Romance: Se apaixonando em Plutão

Aventura: Um salto nas nuvens de Urano

Aventura: Um salto nas nuvens de Urano

Emoção: Fugindo do sol em Mercúrio

Emoção: Fugindo do sol em Mercúrio

Lembrança: Tirando um selfie na Lua

Lembrança: Tirando um selfie na Lua

Um comentário

  1. Muito legal o livro, ideia sensacional. Confesso que não gostei muito dos desenhos em visual retrô, preferia que fossem mais realistas. Um desenhista com muitos livros sobre o assunto é o Michael Carrol. Seus desenhos são muito bons. Já li o livro Living Among Giants: Exploring and Settling the Outer Solar System e é muito legal, com uma proposta bem parecida. Os romances Europa’s Lost Expedition e On the Shores of Titan’s Farthest Sea parecem ser muito legais também.

Untitled Document