segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Prefeitura desocupa terreno da Edimetal

Prefeitura desocupa terreno da Edimetal

Matéria publicada em 6 de janeiro de 2017, 21:01 horas

 


Uma ação conjunta da Secretaria de Ordem Pública (Guarda Municipal, Defesa Civil, Guarda Ambiental), Secretaria de Promoção Social e Susesp, com o apoio da Polícia Militar, retirou, nesta sexta-feira, dia 6, os ocupantes do terreno da antiga Edimetal, localizado entre o bairro Vila Maria e a via Dutra.

***

No início da semana, a equipe esteve no local e os ocupantes se comprometeram a desocupar a área e removerem as demarcações dos lotes, mas não cumpriram o acordo.

***

Com o retorno da equipe da prefeitura, e após nova negociação, as famílias saíram pacificamente.

***

De acordo com o Comandante da Guarda Municipal Joel Valcir, o grupo concordou em desocupar a área depois de marcar uma reunião com o prefeito Rodrigo Drable para a próxima semana, quando tentarão resolver a situação das famílias.

***

A Secretária de Promoção Social, Ruth Coutinho, acompanhou a ação para garantir que os direitos das famílias fossem respeitados. Psicólogos e assistentes sociais deram suporte e realizaram cadastros dos ocupantes.

***

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico informou que a área será usada para fomentar a economia do município e gerar empregos. A prefeitura realizará limpeza e patrulhamento de rotina pela Guarda Municipal na localidade.

Ouvidoria
Volta Redonda ganhou uma Ouvidoria Geral, que une as diversas ouvidorias já existentes nas secretarias municipais. Atualmente, existe o serviço de ouvidoria em funcionamento no Hospital São João Batista, Hospital do Retiro, Serviço SUS na secretaria municipal de Saúde, e na Guarda Municipal de Volta Redonda.  “Essas ouvidorias não se comunicam entre si, mas guardam informações interessantes para o poder público avaliar a qualidade do atendimento”, explicou o ouvidor, Luiz Sérgio Teixeira Loques.

Função
A Ouvidoria será uma integradora da rede junto às secretarias e ajudará a buscar soluções definitivas para todos os setores da administração pública. Ela vai ajudar os secretários nessas definições. “Toda reclamação tem que gerar um protocolo na unidade com prazo para a resposta ao cidadão. E dentro do Regimento Interno queremos criar este prazo para a resposta, padronizando este atendimento. A Ouvidoria não vai agir como salvadora da pátria, mas como uma referência para as unidades nesta padronização do atendimento”, argumentou Luiz.

Ouvidoria Digital
A Ouvidoria Digital é uma das metas do setor, que deve ser implantada no segundo semestre de janeiro. “A Ouvidoria Digital trará uma série de benefícios aos cidadãos, que poderá de casa ou do celular realizar sua reclamação ou sugestão”, acrescentou Luiz.

Na seca
A bomba da elevatória que abastece a Rua Albo Chiesse, no Centro de Barra Mansa, e os bairros Monte Cristo, Apóstolo Paulo e Jardim América apresentou problemas na tarde desta sexta-feira (6) e precisa ser substituída, podendo comprometer o abastecimento nos próximos dias. O Saae da cidade recomenda aos moradores que economizem água.

Mudando
A prefeitura de Barra do Piraí iniciará, em breve, uma força-tarefa para a instalação de hidrômetros em várias residências da cidade. A notícia foi dada na manhã desta sexta (6), depois que o chefe da pasta, Wanderson Luís Barbosa Lemos, se reuniu com o gerente regional da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae), Sandro Arantes Drumond Coutinho. O encontro aconteceu no Palácio 10 de Março, sede do governo municipal.

Motivo
A decisão de promover o mutirão se deve porque, hoje, grande parte da população usa, ainda, as penas d’água, o que encarece os valores com a distribuição dos recursos hídricos. Com os hidrômetros instalados, segundo Wanderson, os usuários poderão sentir no bolso a diminuição dos tributos com o pagamento de água, já após a instalação do mecanismo.

Preocupação
“Há certa preocupação da população em não trocar as penas d’água pelo hidrômetro, achando que a conta de água ficará mais cara. Muito pelo contrário, com o novo mecanismo, é possível sentir no bolso a redução dos valores quanto ao pagamento desse tributo. Os barrenses precisam entender que, com o hidrômetro, a população paga pela água que utiliza, não pela metragem do imóvel, como é feito com a pena d’água”, esclareceu.

Parceria
Wanderson relatou que, por conta de a população ter realizado vários pedidos para a instalação do hidrômetro, a Cedae será parceira na empreitada. Outro assunto pautado foi a realização de um plano de ação para a substituição das redes de distribuição de água dos bairros.
“Isso porque uma das grandes deficiências no abastecimento de água em Barra do Piraí está relacionada à incompatibilidade dos dutos para atender à demanda. Assim, tendo a Cedae como parceira, vamos poder buscar meios de trocar a canalização muito antiga em nossa cidade, que dificulta na distribuição da água para as residências”, completou Wanderson.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document