ÔĽŅ Bandidos usam embarca√ß√Ķes para assaltar bancos na Costa Verde - Di√°rio do Vale
quinta-feira, 16 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Pol√≠cia / Bandidos usam embarca√ß√Ķes para assaltar bancos na Costa Verde

Bandidos usam embarca√ß√Ķes para assaltar bancos na Costa Verde

Matéria publicada em 13 de janeiro de 2018, 16:00 horas

 


Prática está cada vez mais comum na região da Costa Verde; tamanhos das baías e das orlas facilitam fuga

Angra dos Reis – A hist√≥ria conta que a Ba√≠a de Angra dos Reis foi cen√°rio para atos de pirataria, principalmente no s√©culo XVI. Cinco s√©culos depois, cors√°rios voltam a atacar a regi√£o. Sem o glamour dos filmes e v√≠deos de capa e espada, pois as explos√Ķes, tiros e inc√™ndios s√£o reais. Entre o meio do ano passado e o in√≠cio de 2018 foram quatro ataques em vilas da orla da regi√£o. Com um detalhe: o barco foi o meio de fuga.

O alvo dos piratas do passado eram embarca√ß√Ķes abordadas por carregarem ouro e prata vindos do Peru. Situa√ß√£o bem diferente da que ocorre agora. Os ‚Äúpiratas modernos‚ÄĚ atacam ag√™ncias banc√°rias instaladas nas vilas residenciais, atr√°s principalmente dos caixas eletr√īnicos. O objetivo final √© o dinheiro que fica √† disposi√ß√£o das fam√≠lias dos trabalhadores da central nuclear.

Explosivos, armas de grosso calibre e fugas cinematogr√°ficas com embarca√ß√Ķes velozes s√£o alguns dos itens que constam nos boletins de ocorr√™ncia dos assaltos. O caso mais recente se deu na madrugada do dia 08, numa segunda-feira, quando uma a√ß√£o surpreendeu moradores da Vila Residencial da Praia Brava, em Angra dos Reis. Dez homens armados com fuzis chegaram ao local em dois carros pela BR-101. Eles explodiram caixas eletr√īnicos em duas ag√™ncias banc√°rias diferentes, no Santander e no Sicoob.

De acordo com informa√ß√Ķes da Pol√≠cia Militar, o bando espalhou pregos fundidos e retorcidos para furar os pneus das viaturas. Os ‚Äúpiratas‚ÄĚ ainda incendiaram os ve√≠culos usados para chegar √† vila e fugiram em seguida pelo mar, em uma lancha. Para onde foram √© um mist√©rio. Segundo a Capitania dos Portos, a Ba√≠a de Angra dos Reis possui 365 ilhas. O √≥rg√£o da Marinha Brasileira tem um efetivo de cerca de 60 militares e oito embarca√ß√Ķes para fiscalizar a regi√£o.

Paraty conta com uma unidade pr√≥pria da Capitania dos Portos, mas tamb√©m n√£o escapa das a√ß√Ķes piratas. No dia 10 de dezembro de 2017, criminosos fortemente armados chegaram pelo mar e invadiram a Vila Residencial de Mambucaba. No local, explodiram o caixa eletr√īnico de uma ag√™ncia no banco Santander e fugiram pelo mar.

Outra a√ß√£o parecida ocorreu no dia 10 de outubro do ano passado, quando criminosos chegaram pelo mar na madrugada e explodiram um caixa eletr√īnico dentro de um hotel de luxo, em Angra dos Reis. A fuga, novamente, se deu pelo oceano.

A Vila Residencial de Mambucaba já tinha sido palco de outra ação criminosa no dia 10 de abril de 2017. Na ocasião, funcionárias de uma loja de material de construção tiveram o seu malote roubado por dois homens. E após serem surpreendidos, eles fugiram em direção à praia, onde uma lancha aguardava para a fuga. Com a aproximação da polícia, a lancha os deixou para trás.

Destruição: Agências ficaram parcialmente destruídas por conta da ação dos bandidos (Foto: Divulgação)

Destruição: Agências ficaram parcialmente destruídas por conta da ação dos bandidos (Foto: Divulgação)

 

Na PM, falta barco e pessoal capacitado para atuar no mar

Comandante do 33¬ļ Batalh√£o da Pol√≠cia Militar (Angra dos Reis), o coronel Dami√£o Luiz Portella pregou uma uni√£o de esfor√ßos entre as for√ßas de seguran√ßa para que a a√ß√£o dos ‚Äúpiratas modernos‚ÄĚ seja combatida com efici√™ncia. ‚Äú√Č preciso engajamento de outras for√ßas para tentar coibir este tipo de atua√ß√£o criminosa na orla mar√≠tima. Em outras localidades do Rio t√™m ocorrido a√ß√Ķes semelhantes‚ÄĚ, disse.

Segundo o comandante, é inegável que o uso de lanchas facilita a ação dos bandidos.

– Pelo tipo de mobilidade e desenvolvimento dos envolvidos nos crimes √© poss√≠vel que sejam as mesmas quadrilhas. Nossos recursos s√£o escassos e no momento o nosso batalh√£o n√£o tem nenhuma embarca√ß√£o, como tamb√©m faltam equipamentos e policiais capacitados para atuar no mar. A √°rea de atua√ß√£o do batalh√£o, que abrange desde Trindade at√© Itacuru√ß√°, √© constantemente patrulhada, mas como eles chegam pelo mar fica dif√≠cil surpreend√™-los. O ideal √© a popula√ß√£o ficar atenta a qualquer movimenta√ß√£o diferente nas Vilas Residenciais e entrar em contato com a PM ‚Äď recomenda.

Sem segurança, bancos suspendem movimentação de dinheiro na área  

Todas as ag√™ncias banc√°rias e caixas eletr√īnicos localizados na central nuclear de Angra e nas vilas residenciais da Eletronuclear suspenderam as transa√ß√Ķes que envolvem movimenta√ß√£o de dinheiro em esp√©cie. A decis√£o j√° vale para o fim de semana vigente.

A decis√£o foi tomada, em comum acordo, pela empresa e os bancos que atuam nestas localidades ‚Äď Banco do Brasil, Caixa Econ√īmica Federal, Santander e Sicoob ‚Äď em reuni√£o realizada nesta ter√ßa-feira (9) em Angra dos Reis. Uma nova reuni√£o ser√° realizada em 1¬ļ de fevereiro para avaliar a situa√ß√£o e decidir pela continuidade ou n√£o da medida.

Durante a semana que passou, foi distribu√≠do um comunicado interno para os colaboradores da empresa informando sobre a mudan√ßa no funcionamento dos bancos. Al√©m disso, est√£o sendo fixados cartazes com essas informa√ß√Ķes nas ag√™ncias e em locais de grande circula√ß√£o nas vilas, de forma a dar ci√™ncia a moradores, comerciantes e frequentadores destes locais.

Essa resolu√ß√£o foi motivada pelos assaltos a ag√™ncias banc√°rias ocorridos nas vilas de Mambucaba, em 9 de dezembro, e Praia Brava, na madrugada desta segunda-feira (8). ‚ÄúMesmo ciente de que isso resultar√° em transtornos para os colaboradores da empresa e os moradores e frequentadores das vilas, a Eletronuclear n√£o pode se omitir diante dos atos de viol√™ncia urbana praticados em √°reas de sua propriedade. Para a empresa, a seguran√ßa e a integridade das pessoas vem em primeiro lugar‚ÄĚ, frisa o presidente da companhia, Leonam dos Santos Guimar√£es.

 

Por Rafael de Paiva e J√ļlio Amaral

Um coment√°rio

  1. Mar quem cuida é a Marinha e eles tem armamento para combater esse tipo de bandidos.

Untitled Document