terça-feira, 22 de Maio de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Após debater situação das Santas Casas, Deley diz ter pouco para se comemorar no Dia Nacional da Saúde

Após debater situação das Santas Casas, Deley diz ter pouco para se comemorar no Dia Nacional da Saúde

Matéria publicada em 6 de agosto de 2015, 08:30 horas

 


Deley

Defesa: Deley conversa com o vice-presidente da federação das santas casas, Milton Tedde

 

Brasília –  O deputado federal Deley de Oliveira (PTB) participou na última terça-feira do ato público promovido pela Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), que avaliou a situação e cobrou melhores condições financeiras para tais entidades. O encontro ocorreu na véspera do Dia Nacional da Saúde, comemorado nesta quarta-feira, e despertou insatisfação no deputado diante do tratamento que as Santas Casas vêm recebendo dos governos.

– Hoje é o Dia Nacional da Saúde, mas após o ato público com a CMB temos muito pouco o que celebrar nesta data. Ao que pese os avanços destacados pelo governo e mesmo sabendo que no Sul Fluminense ainda temos uma Saúde Pública com mais qualidade que o quadro geral brasileiro, não há o que celebrar. O que posso dizer é que vou trabalhar ainda mais para mudar essa realidade – disse Deley.

O movimento contou com o apoio da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas da Câmara. O presidente da CMB, Edson Rogatti, assinalou que os hospitais filantrópicos atendem a mais de 50% dos pacientes que procuram o Sistema Único de Saúde (SUS) e que por isso o governo deveria dar mais atenção a essas instituições.

– Se nós somos parceiros teríamos que ter um atendimento diferente, mas infelizmente não temos. Nós precisamos receber aquilo que custa (atender a população) e é isso que queremos – disse ele ao site da Câmara dos Deputados.

Rogatti afirmou ainda que o movimento procurou o ministro da Saúde, Arthur Chioro, sobre o aumento do repasse para as entidades e sobre a dívida das instituições. O presidente da Frente Parlamentar a Favor das Entidades Filantrópicas, deputado Antonio Brito (PTB-BA), explicou que é necessário cerca de R$ 4 bilhões a mais no orçamento da saúde.

Segundo ele, a dívida das Santas Casas com bancos, fornecedores e impostos é de mais de R$ 15 milhões. “Precisamos melhorar também o financiamento com bancos para poder ter condição de obter financiamento subsidiado”. O parlamentar também defendeu a reabertura do Prosus, para toda dívida tributária das Santas Casas, porque os impostos acabam se atrasando: “Sem isso, quem sofre é a população”.

Criado em 2013, o Prosus é um programa de fortalecimento das entidades privadas filantrópicas e das entidades sem fins lucrativos que atuam na área da saúde, e que participam de forma complementar do Sistema Único de Saúde. Foi criado com o objetivo promover a recuperação de créditos tributários e não tributários devidos à União.

 

Tabela do SUS

 

Celso Zanuto, presidente da Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos, no interior de São Paulo, afirmou que há mais de dez anos não é reajustada a tabela do SUS e que, por conta disso, mais de 1.700 instituições estão falidas e com dívidas, que se somadas, chegam a R$ 20 bilhões. “O governo tem que olhar com mais carinho para esse povo, para essas entidades, que fazem realmente filantropia no Brasil”.

No fim da tarde, deputados e representantes das entidades filantrópicas se reuniram no Auditório Nereu Ramos para discutir um financiamento por meio do BNDES para o setor e a necessidade de reabertura do Prosus.

5 comentários

  1. PLATÃO, O FILÓSOFO

    Realmente! E essa situação das santas casas já veio à tona através do próprio Deley, isso há alguns anos atrás. Mas pelo visto, não foi feito nada. Agora novamente a mesma notícia, com a mesmíssima situação. Deley faz parte do poder. Ele quer, pelo visto, ter seu nome associado a esta causa, mas parece que não fez absolutamente nada pela situação lamentável das santas casas. Será que irá levar esse situação até o próximo ano, que será ano eleitoral? Vamos acompanhar…

  2. Emmanuel Alves Md.

    Me permita caro debatedor ETA POVINHO a seguinte colocação : países que deram certo são aqueles que escolheram a DEMOCRACIA como forma de governo e o capitalismo como alternativa econômica. TODAS AS ECONOMIAS CENTRALIZADAS, COM O ESTADO DONO DE TUDO, FALIRAM E MANTÉM SUAS POPULAÇÕES NA MISÉRIA. Sub censura.

    • Concordo plenamente contigo, porém deve perceber que o capitalismo deu certo somente nos países, cujo povo tem uma única cultura e Ensino de Qualidade, que assim controlam os capitalistas.

      No Brasil, onde somos multicultural e multiplural e multi alguma coisa, tem o POVINHO que não lê jornal (mais de 90% deles segundo informação aqui mesmo pelo DV), e que gosta de futebol, novelas e horóscopo, assim os capitalistas sugam o que podem, eles e nós tbm. srsrs

  3. ÊTA POVINHO corrupto

    Infelizmente esse é o objetivo dos capitalistas e dos comunistas, ora um, ora outro no governo federal. Eles não reajustando a tabela do SUS afogam esses instituições que “Nós precisamos receber aquilo que custa (atender a população) e é isso que queremos – disse ele ao site da Câmara dos Deputados.”

    Capitalistas no governo quer afogá-las para alçar os hospitais particulares que certamente investiram nas campanhas.

    Comunistas no governo quer afogá-las para tomar a propriedade alheia.

    E tem eleitor que apoia os candidatos dos capitalistas ou dos comunistas (bandeiras vermelhas). Como podemos melhorar a saúde no MEU BRasil?

  4. Emmanuel Alves Md.

    É muita cara de pau o Brasil é uma Pais rico basta ver o rapinagem ocorrida no Mensalão, PETROLÃO, EletroNuclear, Receita Federal. Infelizmente somos geridos por homens sapiens e mulheres sapiens ( dito pela Presidenta@!!!!) ao fazer aquela homenagem a mandioca e ao milho infelizmente são totalmente sem consciência e tratantes que de acordo com o Houaiss o sinônimo é LADRÃO.

Untitled Document