ÔĽŅ Ap√≥s debater situa√ß√£o das Santas Casas, Deley diz ter pouco para se comemorar no Dia Nacional da Sa√ļde - Di√°rio do Vale
quarta-feira, 15 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Pol√≠tica / Ap√≥s debater situa√ß√£o das Santas Casas, Deley diz ter pouco para se comemorar no Dia Nacional da Sa√ļde

Ap√≥s debater situa√ß√£o das Santas Casas, Deley diz ter pouco para se comemorar no Dia Nacional da Sa√ļde

Matéria publicada em 6 de agosto de 2015, 08:30 horas

 


Deley

Defesa: Deley conversa com o vice-presidente da federação das santas casas, Milton Tedde

 

Bras√≠lia –¬† O deputado federal Deley de Oliveira (PTB) participou na √ļltima ter√ßa-feira do ato p√ļblico promovido pela Confedera√ß√£o das Santas Casas e Hospitais Filantr√≥picos (CMB), que avaliou a situa√ß√£o e cobrou melhores condi√ß√Ķes financeiras para tais entidades. O encontro ocorreu na v√©spera do Dia Nacional da Sa√ļde, comemorado nesta quarta-feira, e despertou insatisfa√ß√£o no deputado diante do tratamento que as Santas Casas v√™m recebendo dos governos.

– Hoje √© o Dia Nacional da Sa√ļde, mas ap√≥s o ato p√ļblico com a CMB temos muito pouco o que celebrar nesta data. Ao que pese os avan√ßos destacados pelo governo e mesmo sabendo que no Sul Fluminense ainda temos uma Sa√ļde P√ļblica com mais qualidade que o quadro geral brasileiro, n√£o h√° o que celebrar. O que posso dizer √© que vou trabalhar ainda mais para mudar essa realidade ‚Äď disse Deley.

O movimento contou com o apoio da Frente Parlamentar de Apoio √†s Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantr√≥picas da C√Ęmara. O presidente da CMB, Edson Rogatti, assinalou que os hospitais filantr√≥picos atendem a mais de 50% dos pacientes que procuram o Sistema √önico de Sa√ļde (SUS) e que por isso o governo deveria dar mais aten√ß√£o a essas institui√ß√Ķes.

– Se n√≥s somos parceiros ter√≠amos que ter um atendimento diferente, mas infelizmente n√£o temos. N√≥s precisamos receber aquilo que custa (atender a popula√ß√£o) e √© isso que queremos – disse ele ao site da C√Ęmara dos Deputados.

Rogatti afirmou ainda que o movimento procurou o ministro da Sa√ļde, Arthur Chioro, sobre o aumento do repasse para as entidades e sobre a d√≠vida das institui√ß√Ķes. O presidente da Frente Parlamentar a Favor das Entidades Filantr√≥picas, deputado Antonio Brito (PTB-BA), explicou que √© necess√°rio cerca de R$ 4 bilh√Ķes a mais no or√ßamento da sa√ļde.

Segundo ele, a d√≠vida das Santas Casas com bancos, fornecedores e impostos √© de mais de R$ 15 milh√Ķes. “Precisamos melhorar tamb√©m o financiamento com bancos para poder ter condi√ß√£o de obter financiamento subsidiado‚ÄĚ. O parlamentar tamb√©m defendeu a reabertura do Prosus, para toda d√≠vida tribut√°ria das Santas Casas, porque os impostos acabam se atrasando: ‚ÄúSem isso, quem sofre √© a popula√ß√£o”.

Criado em 2013, o Prosus √© um programa de fortalecimento das entidades privadas filantr√≥picas e das entidades sem fins lucrativos que atuam na √°rea da sa√ļde, e que participam de forma complementar do Sistema √önico de Sa√ļde. Foi criado com o objetivo promover a recupera√ß√£o de cr√©ditos tribut√°rios e n√£o tribut√°rios devidos √† Uni√£o.

 

Tabela do SUS

 

Celso Zanuto, presidente da Santa Casa de Miseric√≥rdia de Ourinhos, no interior de S√£o Paulo, afirmou que h√° mais de dez anos n√£o √© reajustada a tabela do SUS e que, por conta disso, mais de 1.700 institui√ß√Ķes est√£o falidas e com d√≠vidas, que se somadas, chegam a R$ 20 bilh√Ķes. “O governo tem que olhar com mais carinho para esse povo, para essas entidades, que fazem realmente filantropia no Brasil”.

No fim da tarde, deputados e representantes das entidades filantrópicas se reuniram no Auditório Nereu Ramos para discutir um financiamento por meio do BNDES para o setor e a necessidade de reabertura do Prosus.

5 coment√°rios

  1. PLAT√ÉO, O FIL√ďSOFO

    Realmente! E essa situa√ß√£o das santas casas j√° veio √† tona atrav√©s do pr√≥prio Deley, isso h√° alguns anos atr√°s. Mas pelo visto, n√£o foi feito nada. Agora novamente a mesma not√≠cia, com a mesm√≠ssima situa√ß√£o. Deley faz parte do poder. Ele quer, pelo visto, ter seu nome associado a esta causa, mas parece que n√£o fez absolutamente nada pela situa√ß√£o lament√°vel das santas casas. Ser√° que ir√° levar esse situa√ß√£o at√© o pr√≥ximo ano, que ser√° ano eleitoral? Vamos acompanhar…

  2. Emmanuel Alves Md.

    Me permita caro debatedor ETA POVINHO a seguinte coloca√ß√£o : pa√≠ses que deram certo s√£o aqueles que escolheram a DEMOCRACIA como forma de governo e o capitalismo como alternativa econ√īmica. TODAS AS ECONOMIAS CENTRALIZADAS, COM O ESTADO DONO DE TUDO, FALIRAM E MANT√ČM SUAS POPULA√á√ēES NA MIS√ČRIA. Sub censura.

    • Concordo plenamente contigo, por√©m deve perceber que o capitalismo deu certo somente nos pa√≠ses, cujo povo tem uma √ļnica cultura e Ensino de Qualidade, que assim controlam os capitalistas.

      No Brasil, onde somos multicultural e multiplural e multi alguma coisa, tem o POVINHO que não lê jornal (mais de 90% deles segundo informação aqui mesmo pelo DV), e que gosta de futebol, novelas e horóscopo, assim os capitalistas sugam o que podem, eles e nós tbm. srsrs

  3. ÊTA POVINHO corrupto

    Infelizmente esse √© o objetivo dos capitalistas e dos comunistas, ora um, ora outro no governo federal. Eles n√£o reajustando a tabela do SUS afogam esses institui√ß√Ķes que “N√≥s precisamos receber aquilo que custa (atender a popula√ß√£o) e √© isso que queremos ‚Äď disse ele ao site da C√Ęmara dos Deputados.”

    Capitalistas no governo quer afogá-las para alçar os hospitais particulares que certamente investiram nas campanhas.

    Comunistas no governo quer afog√°-las para tomar a propriedade alheia.

    E tem eleitor que apoia os candidatos dos capitalistas ou dos comunistas (bandeiras vermelhas). Como podemos melhorar a sa√ļde no MEU BRasil?

  4. Emmanuel Alves Md.

    √Č muita cara de pau o Brasil √© uma Pais rico basta ver o rapinagem ocorrida no Mensal√£o, PETROL√ÉO, EletroNuclear, Receita Federal. Infelizmente somos geridos por homens sapiens e mulheres sapiens ( dito pela Presidenta@!!!!) ao fazer aquela homenagem a mandioca e ao milho infelizmente s√£o totalmente sem consci√™ncia e tratantes que de acordo com o Houaiss o sin√īnimo √© LADR√ÉO.

Untitled Document