segunda-feira, 25 de setembro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Arimateia adere a campanha em defesa de universidades públicas

Arimateia adere a campanha em defesa de universidades públicas

Matéria publicada em 10 de setembro de 2017, 21:27 horas

 


Objetivo do ex-prefeito de Pinheiral é chamar a atenção dos moradores da região para o ensino público de nível superior

Necessidade: Campus Pinheiral do IFRJ precisa de serviços de manutenção

Necessidade: Campus Pinheiral do IFRJ precisa de serviços de manutenção

Pinheiral – O ex-prefeito de Pinheiral e professor Arimateia de Oliveira intensificou nesta sexta-feira, 8, a campanha de adesão à Petição em Defesa das Universidades Públicas que, podem encerrar atividades devido a crise econômica no estado do Rio de Janeiro. O objetivo do professor é chamar atenção dos moradores da região, onde pelo menos 1,5 mil alunos, são beneficiados pelo ensino superior e técnico público, ofertados por universidades em Volta Redonda, Resende e Pinheiral.

O documento, que será enviado a políticos do estado e governo federal, enfatiza a importância deste ensino para o equilíbrio social, econômico e político do país. Ao pedir o apoio da população, o ex-prefeito, lembra que, atualmente, Volta Redonda, pode ser considerada uma Cidade Universitária, devido a grande oferta de cursos implantados no município, com a expansão do campus da UFF (Universidade Federal Fluminense), no Aterrado, onde há ofertas de vagas para diversas áreas, entre elas, direito, uma das mais disputadas pelos estudantes.

A cidade conta ainda com mais dois cursos universitários ofertados pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, que atende alunos de graduação nas áreas de física e matemática. Para o ano que vem, o IFRJ tem programado ainda a implantação do curso superior de engenharia em agronomia.

– O fechamento ou o funcionamento precário das universidades e institutos de pesquisa públicos geram prejuízos imensuráveis para a nossa população – ressaltou Arimateia, lembrando que ao reduzir as despesas com o ensino público, o governo interfere ainda em pesquisas avançadas, em andamento, que uma vez interrompidas podem levar a perda total do experimento.

Um exemplo próximo citado pelo professor é o fechamento de quatro laboratórios do Campus do IFRJ, em Pinheiral, que enfrenta ainda dificuldades para manter o funcionamento por falta de pessoal para serviços de apoio, manutenção e segurança. As visitas técnicas, que são fundamentais para inserção do profissional ao mercado de trabalho, também foram suspensas, após o governo deixar de enviar recursos para gasolina e pagamento de motorista que atendia o Campus.

A situação se agrava ainda mais devido a falta de manutenção das áreas internas da Fazenda-escola do IFRJ, em Pinheiral, que no período de seca, precisa de profissionais de apoio disponíveis a fim de evitar incêndios nas matas próximas, comprometendo, principalmente, os trabalhos de pesquisa que vem sendo realizados há vários anos no local.

– No governo do Sérgio Cabral houve incentivo para implantação de diversas fundações de amparo à pesquisa científica no estado, que podem se perder, agora por falta de recursos – completou Arimatéia, listando uma série de itens da Petição em Defesa das Universidades Públicas.

PETIÇÃO – Um dos principais argumentos do documento ressalta o nível de excelência alcançado pelas universidades estaduais – UERJ, UENF e UEZO – na formação de profissionais altamente qualificados, nos mais diversos campos do conhecimento, com  reconhecimento nacional e internacional. A petição cita ainda que a UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), com Campus em Resende, é reconhecida como uma das principais universidades brasileiras e latino-americanas.

Outro item que ganha apelo popular é a importância dessas universidades para a economia do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil, seja pela formação de profissionais qualificados, seja pelo incentivo ao desenvolvimento de técnicas, processos e soluções de problemas regionais, estaduais e nacionais, bem como o pregresso nas pesquisas de extensão comunitária. Por fim, o documento repudia o sucateamento dessas instituições e sustenta a decisão contrária a proposta de privatização ou desativação dessas universidades ou institutos federais.

– Estou nas redes sociais pedindo o apoio da população, trazendo esta questão para a nossa região que também será profundamente afetada com a falta de recursos destinados ao ensino público  – concluiu o professor.

7 comentários

  1. TÔ SENTINDO UM CHEIRO DESAGRADÁVEL, OPS É UM PETISTA NA ÁREA.

  2. Temer golpista, com a colaboração do governador jegue de Piraí, quer acabar com a UERJ.

  3. Convém ressaltar que a sombra paira sobre as instituições estaduais, não sobre as federais. Ao menos por enquanto.

  4. Um ex petista que ajudou a afundar o pais, conta agora outra piada.

  5. Ué, o professor ajudou o Pezão na campanha e o apoiou enquanto prefeito de Pinheiral agora está defendendo a educação? Por que não pediu ajuda a sociedade antes dessa tragédia acontecer?

    Se tivesse levado a sério a campanha pra ninguém votar no PMDB, talvez isso não aconteceria agora. Eu alertei aqui.

    Estou achando que o professor já está entrando em campanha para 2018 para enganar os eleitores desatentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document