ÔĽŅ Carlos Conrado critica projeto que pode criar 400 novos Munic√≠pios - Di√°rio do Vale
s√°bado, 18 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Carlos Conrado critica projeto que pode criar 400 novos Municípios

Carlos Conrado critica projeto que pode criar 400 novos Municípios

Matéria publicada em 20 de maio de 2018, 18:51 horas

 


Volta Redonda e Brasília

O Plen√°rio da C√Ęmara dos Deputados aprovou (16/05), por¬†337 votos a 36¬†e 2 absten√ß√Ķes, o regime de¬†urg√™ncia¬†para o Projeto de Lei Complementar (PLP)¬†137/15, que regulamenta a cria√ß√£o de munic√≠pios no Brasil. Para ser aprovado, um texto de projeto de lei complementar precisa do apoio de 257 deputados.

‚ÄúMais uma vez o que ocorre em Bras√≠lia √© para indignar a popula√ß√£o brasileira. Essa farra significa a cria√ß√£o de mais 400 cargos de prefeitos, 400 de vice-prefeitos, 4000 secret√°rios municipais,¬†4.000 vereadores, um absurdo! E quem vai pagar essa conta? √Č o trabalhador, quem produz e paga impostos‚ÄĚ, assegurou Conrado.

Para Carlos Conrado, o rombo no or√ßamento federal dos novos 410 munic√≠pios seria de R$ 8 bilh√Ķes por ano. A¬†grande maioria dos munic√≠pios a serem criados n√£o ter√£o autonomia financeira e dependeriam da cria√ß√£o de novos impostos pra se sustentarem.

A aprova√ß√£o da urg√™ncia, no entanto, teve grande apoio dos parlamentares. Alguns deputados chegaram a pedir que a vota√ß√£o do m√©rito fosse realizada na sequencia, mas n√£o houve consenso.”A urg√™ncia do projeto tem clara inten√ß√£o de privilegiar as elei√ß√Ķes do ano que vem. √Č um¬†¬†grande acordo pol√≠tico com prov√°veis candidatos desses novos munic√≠pios. V√£o tirar dinheiro da educa√ß√£o, sa√ļde, um desperd√≠cio do dinheiro p√ļblico”, disse Conrado

No entanto, a cria√ß√£o de novos munic√≠pios interessa a muita gente no mundo pol√≠tico. Basta ver que existe uma Associa√ß√£o Nacional de Apoio √† Cria√ß√£o de Novos Munic√≠pios, como se esta atividade fosse de grande interesse p√ļblico. E mais: a entidade diz ter o apoio de 350 deputados federais de diferentes partidos, entre os quais o autor do PLC, Jos√© Augusto Maia (PTB-PE).

‚ÄúO que precisamos mesmo √© diminuir a burocracia, menos de deputados, menos senadores,¬†¬†menos vereadores e de mais professores, mais m√©dicos nos hospitais e mais policiais nas ruas‚ÄĚ, disse Carlos Conrado.

Carlos Conrado, pré-candidato a Deputado Federal pelo DC-Partido Democrata Cristão, defende a diminuição da  quantidade de políticos em Brasília , cortando pela metade  as vagas de deputados federais . Hoje existem  513 deputados federais, sendo 46 representantes do Estado do Rio de Janeiro.

7 coment√°rios

  1. Jo√£o Lino torres Jr.

    Pouco sabem que milhares de povoa√ß√Ķes vivem abandonadas pelo poder p√ļblico por as prefeituras est√£o a centenas e milhares de kilometros distante e por isso a prefeitura n√£o gere esses povoados n√£o tem assist√™ncia a sa√ļde, seguran√ßa, educa√ß√£o desqualificada falta tudo,n√£o tem estradas n√£o tem porra nenhuma e na opini√£o de muitos nem direito.
    Imagina que tenha que resolver uma formalidade na prefeitura que est√° a 300 km e a estrada √© uma trilha de lama voc√™s nunca passaram por tais situa√ß√Ķes sen√£o teria outra vis√£o do assunto.
    Nós precisamos sim tem leis rigorosas e fiscalização, mas também precisamos da emancipação.
    As pessoas que falam que emancipa√ß√£o √© a farra certamente nunca transportou doentes em rede durante pelo menos 20 km, nunca soube o que √© deixar uma mulher em trabalho de parto nas m√£os de uma pessoa sem forma√ß√£o, jamais abandonou sua propriedade em tempos de chuva por falta de acesso, nunca sentiu c√≥lica a noite toda sem ambul√Ęncia pra levar ao hospital, nunca soube o que √© lampi√£o a querosene. E outras desgra√ßadas que mt gente Brasil afora vive.
    √Č esse povo todo tamb√©m paga imposto caros da suas contribui√ß√Ķes atrav√©s do consumo e est√£o em solo brasileiro, ou ser√° que estes n√£o s√£o brasileiros?
    O Brasil precisa mesmo e dividir os cargos políticos e fiscaliza-los para possamos ter orgulho de ser cidadãos legitimamente brasileiros.

  2. Desnecess√°rio, invi√°vel e extremamente burro fazer esse tipo de coisa. J√° n√£o basta a m√°quina p√ļblica n√£o fechar as contas querem aumentar ainda mais? Como pode um pais ser tao miseravel, tenho vergonha desse lugar serio.

  3. liberdade e propriedade

    Essa quest√£o √© muito subjetiva. Os deputados que defendem a cria√ß√£o de novos munic√≠pios, citaram casos de distritos com mais de 100 mil habitantes, visto isso merecem emancipa√ß√£o. Ent√£o a zona oeste pode se emancipar do Rio? “Mas a zona oeste n√£o √© distrito √© bairro.” O que ou quem define quando √© bairro ou distrito?? Penedo era distrito de Resende, mas para Itatiaia ele √© considerado bairro. Ent√£o Penedo n√£o pode se emancipar? Ent√£o um munic√≠pio pode classificar todos seus distritos como bairros para se proteger da emancipa√ß√£o? E os tais distritos dos deputados com mais de 100 mil habitantes, se forem classificados como bairros, perdem o direito de emancipa√ß√£o. Vou dar um exemplo da subjetividade: Buenos Aires e Rio de Janeiro, tem suas regi√Ķes metropolitanas com mesma popula√ß√£o, no entanto, somente a cidade, Buenos Aires tem metade da popula√ß√£o do Rio. Ou seja, afastando-se pouco do centro de Buenos Aires, j√° entra em outro munic√≠pio. Ou seja, zona norte, oeste, sul (de botafogo em diante), tudo pode se emancipar, ficando o Rio somente o centro.

  4. Realmente é um absurdo esse projeto. Bom que alguém tem a coragem de criticar isso. Não podemos mais pagar impostos e ver esses desmandos.

  5. A democracia no Brasil n√£o deu certo, s√≥ projetos louco nos √ļltimos 25 anos, o Falecido En√©as Carneiro alertou o pa√≠s e n√£o adiantou nada.

  6. Smilodon Tacinus - O Emir Cicutiano

    √Č por essas e outras que cada vez menos acredito no Brasil… O cara quer que seu curral eleitoral vire munic√≠pio para encaixar mais apadrinhados nos cargos p√ļblicos, qui√ß√° eleger-se prefeito, quando no munic√≠pio de origem seria mais dif√≠cil. S√£o mais fatias para dividir um mesmo bolo…

    Aqui mesmo na regi√£o, temos Pinheiral e Quatis, cidades-dormit√≥rio que dependem de repasse do governo via FPM para manter sua estrutura administrativa. Este pa√≠s √© vergonhoso!!!…

Untitled Document