segunda-feira, 25 de junho de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / CNC afirma que Rio fechou quase 20 mil postos de trabalho no turismo

CNC afirma que Rio fechou quase 20 mil postos de trabalho no turismo

Matéria publicada em 24 de fevereiro de 2018, 13:00 horas

 


Rio – No ano passado, o Rio de Janeiro fechou 19.628 postos de trabalho no setor turístico, que, em 2016, já tinha perdido 18.591 vagas. No entanto, em 2017, estados como São Paulo, Goiás e Paraná criaram vagas no setor de turismo.  Os dados fazem parte de pesquisa divulgada na quinta-feira (22) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Para a CNC, a violência e a crise financeira no Estado afetaram o setor.

Em todo o país, o turismo emprega 2.921.314 pessoas. O setor perdeu 12.690 postos de trabalho no ano passado no Brasil, mas a queda foi bem menos intensa que nos anos anteriores. Em 2015, o setor perdeu 51 mil funcionários e, em 2016, 87 mil.

Além do Rio de Janeiro, perderam mais de mil postos de trabalho no turismo os estados do Pará (-1.916), da Bahia (-1.644) e do Rio Grande do Sul (-1.541). Acre, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas, além do Distrito Federal,, tiveram perdas que não chegaram a mil vagas.

O estado que mais criou vagas foi São Paulo, com 7.481 trabalhadores contratados a mais. De 2015 para 2016, o turismo paulista havia fechado 20.057 vagas.

Goiás gerou 1.864 vagas; o Paraná, mais 1.301 postos de trabalho; e Santa Catarina, mais 1.092. Os demais estados tiveram crescimento no número de vagas inferior a mil.

O segmento econômico que mais empregou no turismo em 2017 foi o de hospedagem e alimentação, com 1.907.086 trabalhadores. O transporte de passageiros ocupou 869.443; as atividades de cultura e lazer, 75.016; e as agências de viagens, 69.769.

De acordo com o CNC, o setor de transporte de passageiros foi o que mais fechou vagas (-14.008) no ano passado, seguido dos serviços de cultura e lazer (-1.183).

Já o segmento de agentes de viagens (+1.701) e de restaurantes e similares (+1.890) beneficiaram-se da recuperação do consumo e do crescimento econômico.

Untitled Document