sexta-feira, 19 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Deley critica Temer e Meirelles por proposta da Reforma da Previdência

Deley critica Temer e Meirelles por proposta da Reforma da Previdência

Matéria publicada em 22 de novembro de 2017, 22:11 horas

 


Deley: ‘Eu venho de uma cidade operária. Sei de trabalhadores que, pelo local onde são lotados, com 20 anos de ação já é muito tempo’

Deley: ‘Eu venho de uma cidade operária. Sei de trabalhadores que, pelo local onde são lotados, com 20 anos de trabalho já é muito tempo’

Brasília – O clima nos bastidores políticos de Brasília esquentou nesta quarta-feira com reuniões e debates em torno da Reforma da Previdência. Enquanto o presidente Michel Temer (PMDB) se reunia com governadores e parlamentares da base aliada no Palácio Jaburu para garantir apoio ao projeto, o deputado federal Deley de Oliveira (PTB) usou o expediente do Congresso para criticar a proposta. O recado de Deley foi diretamente a Temer e ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

– Quero mais uma vez externar minha posição quanto a esta reforma que se propõe para a Previdência. Sou contra e espero que isso seja uma pauta realmente lá da presidência (da República). Que fique por lá – disse Deley, nos microfones da Casa.

O deputadp federal criticou a forma “apressada” como um tema “tão delicado” está sendo tratado pelo governo.

– Já se esperou tanto tempo, então porque correr agora. Qual a razão, ministro Meirelles? Qual a razão, presidente Temer? Acho que é bom avisar ao mercado que essa não passa – afirmou o parlamentar.

Deley ressaltou que as origens em Volta Redonda reforçam sua convicção contra o projeto proposto pelo governo para rever aposentadorias no país.

– Eu venho de uma cidade operária. Sei de trabalhadores que, pelo local onde são lotados, com 20 anos de trabalho já é muito tempo. Essa reforma merece uma discussão mais ampla, não dessa maneira como governo está propondo, açodada – pontuou.

Fora dos microfones, Deley reforçou o discurso de que a reforma da previdência deveria ser discutida pelos presidenciáveis no ano que vem, quando eleições serão realizadas. “No apagar das luzes deste mandato é uma covardia se discutir isso. Que a reforma da Previdência seja tema de campanha, que todos os presidenciáveis falem sobre isso e a população saiba exatamente o que está em jogo”, disse.

Temer articula

Com a proximidade do recesso parlamentar, que começa oficialmente no dia 23 de dezembro, o presidente da República, Michel Temer, teve ontem nova maratona de reuniões em busca de apoio para aprovação – ainda este ano – da reforma da Previdência, pelo menos na Câmara dos Deputados.

Desde o meio dia, Temer começou a receber no Palácio da Alvorada governadores de estados e do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), responsável por articular a reunião que será seguida de um almoço. A expectativa é de que, ao lado dos ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Ronaldo Nogueira (Trabalho) e do secretário nacional da Previdência, Marcelo Caetano, Temer apresentasse números e reforce a importância da reforma para todos. Também participam da reunião o relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA) e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR)

O dia de Michel Temer terminou em um jantar com deputados da base aliada. Em busca dos 308 votos necessários para aprovar a reforma, o presidente apresentou uma versão final da PEC e convencer os parlamentares da urgência da votação.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

15 comentários

  1. Nunca mais terá meu voto. Votei em você no passado, agora nunca mais e vou fazer propaganda. Golpista. Levou….

  2. Parabéns deputado por ter votado à favor do impeachment da Dilma, pois desde que ela saiu do poder o Brasil foi melhorando, lentamente, é claro, pois ela com a ajuda do PT construiu a MAIOR CRISE ECONÔMICA QUE JÁ HOUVE NA TERRA DE SANTA CRUZ!
    No entanto, começamos a melhorar, pois a inflação voltou a estar abaixo da faixa, os juros caíram a nível europeu, e já ganhamos mais de um milhão de novos empregos, ou seja, ainda há 13 milhões de desempregados, contudo se a Dilma estivesse ainda no poder, hoje, seríamos uma NOVA VENEZUELA, com todo mundo desempregado, buscando comida nos lixos….

  3. HAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!! AGORA TÁ CRITICANDO, COXINHA??????

  4. agafjgjjkWantuil fortes Silvério

    Há tem o Serfiotis + um golpista da região..

  5. agafjgjjkWantuil fortes Silvério

    É Derley ,0 teu erro foi ter votado á favor do golpe e contra Dilma. VC talvez não saiba , O Bolsonaro ,Caiu no mesmo erro . Votou á favor do golpe e contra á presidente Dilma Rousseff . Todos que votaram á favor do golpe , Estão correndo risco de não se reeleger. Bolsonaro Derley .e outros..

  6. Deley sempre é contra até entrar um no bolso dele.

  7. Feliciano Bolsonaro Jr.

    É, golpista arrependido?

  8. Aposentadoria boa é a dos funcionários públicos. Principalmente a da elite deles (os que recebem bons salários). Mantém o salário integral tal qual o do tempo em que trabalhavam. E tem direito a todos os reajustes (iguais) ao do pessoal da ativa. Também quero assim, eu que sou da iniciativa privada. Por que o privilégio para eles ?

  9. Esse homunculo é de matar de rir com suas críticas.

  10. A César o que é de César

    Deputado que votar a favor da reforma da previdência estará fora nas eleições de 2018, quem votar contra a reforma tem a chance de ficar.

    1) benefício integral só com 65 anos de idade e 40 de contribuição.
    2) aposentadoria em área insalubre só com 55 anos de idade ou mais.

    Tem trabalhador levandof erro grosso e quente no forevis e ainda defende esta reforma.

  11. Apoiou o golpe e tudo isso que está aí …eleição chegando tá querendo pagar de democrata. Sai fora!

Untitled Document