terça-feira, 16 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Justiça manda arrolar bens do Hospital Vita

Justiça manda arrolar bens do Hospital Vita

Matéria publicada em 13 de abril de 2018, 16:47 horas

 


Grupo Vita diz que caso ainda está na Justiça e nega bloqueio de bens

Bloqueados: Justiça determina que Hospital Vita não pode dispor dos bens que tem em Volta Redonda

Bloqueados: Justiça determina que Hospital Vita não pode dispor dos bens que tem em Volta Redonda

Volta Redonda – A Justiça Estadual de Volta Redonda mandou arrolar e penhorar os bens móveis do Hospital Vita, como mobiliário e equipamentos. Com isso, o material ficará indisponível, a fim de que seja garantida parte da dívida que o Grupo Vita tem com a CSN, em decorrência da falta de pagamento dos aluguéis referentes ao imóvel de propriedade desta onde o Vita explora a sua atividade hospitalar. A empresa já conseguiu em primeira e segunda instâncias o despejo do hospital. O juiz que conduz o caso determinou que oficiais de justiça fossem ao hospital, na Vila Santa Cecília, e relacionassem todos os bens móveis que lá se encontrassem. Com isso, o hospital não pode dispor deles sem autorização do juiz.

O trabalho de arrolamento dos bens começou no dia 07 de março e terminou no dia 10 de abril. O Auto de Arrolamento de Bens tem vinte e cinco anexos com aproximadamente quatrocentas páginas contendo as identificações de todos os bens móveis do Vita,  dos bisturis cirúrgicos até os filtros de água.

A Justiça já tinha mandado avisar as empresas e operadoras de planos de saúde que têm convênio com o Vita para que encontrassem alternativas de atendimento a seus clientes. O estabelecimento está sob administração judicial enquanto o despejo não é completado.

O Grupo Vita terá que sair do prédio e a CSN vai fechar com outra empresa para operar o hospital. Os aluguéis atrasados são estimados pela CSN em R$ 58 milhões.

O Grupo Vita apresentou uma proposta para quitar as pendências com o pagamento de R$ 30 milhões. A oferta foi rejeitada, por ser correspondente a pouco mais do que a metade do valor apurado pela siderúrgica.

Vita diz que caso ainda está na Justiça

O Grupo Vita enviou nota ao DIÁRIO DO VALE,  afirmando que não houve bloqueio de bens e que os valores citados pela CSN na reportagem não estão de acordo com a realidade. Ainda de acordo com a nota, o imbróglio entre o Hospital Vita e a CSN ainda está na Justiça, aguardando julgamento do Superior Tribunal de Justiça, e o que aconteceu foi o arrolamento, elemento que faz parte do processo.

– O Grupo Vita reitera que está dedicando seus esforços junto com a CSN a fim de encontrar a melhor solução para a população do Sul Fluminense, ciente da importância do hospital para o atendimento da população na região – conclui a nota.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Os antigos trabalhadores da CSN lembram, com saudade, da construção do hospital CSN em um barracão de madeira no Jardim Paraíba na década de 1940. Mais tarde foi construído o prédio atual, hoje sob administração do Grupo Vita. É com tristeza que os trabalhadores, aposentados e seus familiares vêem o seu hospital servindo de joguete nas mãos de pessoas que demonstram não ter o mínimo compromisso com o passado histórico do hospital e da sua importância para nossa cidade. É mais um preço que estamos pagando pela privatização da CSN.

  2. Antonio Carlos Peludo

    lamentavel a situação

  3. Só para esclarecer, o Hospital VITA só atende Plano de Saúde, não atende ” a população” como quis dizer o Rr indiguinado. Se não paga tem mais é ser despejado, e outro grupo entra, ou Unimed ou D’OR , o que será muito bom para nós empregados/e dependentes da CSN.

    • O desinformado, o Vita atende a população encaminhada do SUS tbem.
      E quem plano de saúde também é população.

      O que é População:
      População é o conjunto de todos os habitantes de determinado local. Também pode estar relacionado com os indivíduos de mesma espécie que coexistem em um mesmo lugar ou região

    • A prefeitura optava pelas cirurgias coronárias do SUS no Vita, não encaminhava nenhum paciente para São Paulo.
      Mas essas cirurgias eram pagas pela prefeitura. Seus familiares ficavam mais perto do paciente, e também não tinham despesas de deslocamento para outra cidade.
      Vamos ser mais solidários, provavelmente o hospital passará por reformas, levará alguns meses. Os funcionários do Vita dependem dos empregos. Toda a população sairá ganhando, quem tem plano de saúde e quem não tem, e depende das cirurgias coronárias.

  4. Me parece que o interesse da CSN nunca foi de negociar…com isso tudo a população que sempre sai perdendo

  5. Justiça rápida pra cliente rico. Pobre só se …

Untitled Document