terça-feira, 17 de julho de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / PPL tem Executiva em Volta Redonda e lançará candidato a deputado federal

PPL tem Executiva em Volta Redonda e lançará candidato a deputado federal

Matéria publicada em 28 de março de 2018, 19:41 horas

 


Partido tem Vivaldo Barbosa como presidente estadual e segue linha ideológica trabalhista de Leonel Brizola

Expectativa: Benevenuto acredita que desencanto com políticos tradicionais abre caminho para novas lideranças

Expectativa: Benevenuto acredita que desencanto com políticos tradicionais abre caminho para novas lideranças

Volta Redonda – O professor universitário Benevenuto Santos é o presidente da Executiva provisória do Partido Pátria Livre (PPL) em Volta Redonda. Ele afirmou que a agremiação, que é dirigida em nível estadual por Vivaldo Barbosa, que foi secretário estadual de Justiça durante o governo de Leonel Brizola, segue a linha ideológica do trabalhismo e nacionalismo adotada pelo ex-governador e seu grupo político. Benevenuto também é pré-candidato a deputado federal pela legenda.

– Acredito nessa herança ideológica do brizolismo e estou tendo a ajuda de um pedetista histórico de Volta Redonda, o ex-prefeito e ex-deputado federal Marino Clinger, para organizar o PPL aqui.  Clinger não faz parte do partido, mas é um colaborador importante. Já formamos a Executiva provisória e estamos trabalhando agora na montagem do diretório – disse Benevenuto, acrescentando que a agremiação defende a manutenção do patrimônio nacional, sem necessariamente ser a favor de estatizações.

De acordo com analistas políticos com quem o professor universitário conversou, as eleições gerais de outubro representam uma grande chance para os partidos menores e menos conhecidos. Um dos motivos está ligado à indicação de que haverá um alto índice de ausência e de votos nulos ou brancos.

– Em geral, a soma das abstenções com os votos nulos e brancos não ultrapassa 25% do eleitorado. Desta vez, os analistas estão esperando que o percentual de votos válidos não chegue nem a 60% do eleitorado. Quatro em cada dez eleitores ou deixaria de comparecer ou votaria nulo ou branco. Com isso, o coeficiente eleitoral – índice calculado pela divisão da quantidade de votos válidos pelo número de cadeiras parlamentares a serem preenchidas de forma proporcional em uma eleição – ficará mais baixo. Assim, legendas que antes não atingiam esse coeficiente poderão consegui-lo -afirma Benevenuto.

No entanto, se o coeficiente ficará mais baixo, os votos também deverão ser mais difíceis de conseguir, já que haverá menos eleitores dispostos a votar. Nesse aspecto, Santos conta exatamente com o fato de o eleitorado estar cansado dos políticos tradicionais.

– As pessoas estão em busca de caras novas. Então, candidatos menos conhecidos podem ter mais chance, se souberem levar boas propostas ao eleitor – avalia.

A nominata (relação de candidatos) do PPL ainda está sendo fechada, mas o partido espera contar com os trabalhistas da capital do Estado do Rio e com um grupo proveniente de Campos, no Norte do Estado.

A executiva do PPL em Volta Redonda

Benevenuto Santos (Presidente)

Carlos Teobaldo (Vice-presidente)

Raphael Junqueira (Tesoureiro)

Ângela Pereira Pinto (Secretária de Organização)

Emanuel Tejerina (Secretária de Formação)

Humberto Brito (Secretário de Relações Comunitárias)

Eduardo Ribeiro (Secretário de Acessibilidade e Igualdade)

Elisabete Gomes (Secretária de Assuntos da Mulher)

Adriane Costa e Francisco Godinho (Vogais)

6 comentários

  1. Kkkkk. Tá de brincadeira.

  2. O Samuca tbm era cara nova em VR (diga-se passagem ganhou a eleição MENTIDO que era “gestor público” e que a PMVR tinha dinheiro), e deu no que estamos vendo.

    A primeira oportunidade se associou aos vereadores. Na segunda se associou aos empresários. Na terceira aumentou impostos e criou mais um. Na quarta…vou parar porque senaõ irei encher aqui de desilusão com o candidato novo e com cara nova. Temos as boas tbm, como a devolução do empréstimo da CAIXA de 60 milhões que o PT estava louco para colocar a mão, a liberação da Rodovia do Contorno, o OPDgital, e só. Não vejo mais.

    Na ALERJ temos vários professores. Professor na política é tão bom que a educação no Brasil está de mal a pior a cada ano, pior ainda a educação estadual. Fora outros profissionais que entendem e são exemplares em suas áreas de atuação, MAS uma vez na política são uma tragédia.

    EM VR tbm temos a secretária de educação que não sabia o que os professores comunistas, e suas ideologia dos gêneros, estavam fazendo dentro de sala de aula, e teve de dar satisfação aos vereadores.

    VAI VENDO aí o que dá votar em candidatos que NÃO CONHECEM a Administração Pública e NÃO ENTENDEM de Gestão Pública. Eles consideram “caras novas” e desprezam a competência na Administração Pública.

    • Gostaria de parabenizá-lo pelo comentário!!!!!Disse tudo,infelizmente a população de Volta Redonda ainda não acordou para a realidade.

  3. Eleitores de Volta Redonda, não se dizem enganar ele na matéria usa o nome do avô dele, o saudoso ex.Prefeito Benevenuto, este ai neto dele vamos respeitar primeiramente o eleitor antes de tudo. Agora saiba vender seu peixe conquista o eleitor primeiramente fale o porque votar em você oque você trará de bom para nossa cidade sem blablabla.

  4. Não passa de um esquerdista.

    • Não conheço. Se ele escreve “Alun@s” no lugar de estudante, então já podemos considerar um esquerdista a princípio.

Untitled Document