quinta-feira, 15 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Mais uma ONG contra a escória

Mais uma ONG contra a escória

Matéria publicada em 29 de junho de 2018, 21:31 horas

 



O Movimento Baía Viva enviou nota ao DIÁRIO DO VALE afirmando que vai entrar com representação junto ao Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente do Mniistério Público Estadual e aos núcleos da Procuradoria Geral da República no Rio de Janeiro e em Volta Redonda pedindo que os órgãos entrem com ação judicial pedindo “providências imediatas e urgentes” para o que eles consideram um risco de suspensão do abastecimento de água de dezenas de cidades no Vale do Paraíba do Sul, de municípios da Baixada Fluminense e da Capital.
***
Motivo: eles temem que uma possível chuva forte ou tromba d’água, durante o inverno, leve escória para o leito do Rio Paraíba do Sul.
***
Segundo eles, isso poluiria quimicamente a água do Rio, gerando a suposta interrupção no tratamento de água das cidades abastecidas pelo rio, a jusante de Volta Redonda.

Pedido
Na representação, será solicitada uma medida judicial para a interdição imediata do depósito de escória de aciaria.

Vendeu
A CSN comunicou á Bovespa que concluiu nesta sexta (29) a venda da totalidade da participação societária na Companhia Siderúrgica Nacional, LLC, empresa localizada nos Estados Unidos, para a Steel Dynamics, Inc. O valor da venda foi de US$ 400.000.000,00 (quatrocentos milhões de dólares), os quais, ao câmbio da data equivalem a, aproximadamente, R$ 1.500.000.000,00 (um bilhão e quinhentos milhões de reais), sendo que o valor final ainda estará sujeito a um ajuste pósfechamento de acordo com o capital de giro na data do negócio, a ocorrer em até 100 dias.

Expectativa
Espera-se que o resultado da Transação, considerando-se a somatória do valor recebido no fechamento e o ajuste de capital de giro, seja uma redução total do endividamento líquido da CSN de aproximadamente R$ 1.800.000.000,00 (um bilhão e oitocentos milhões de reais), considerando-se a taxa de câmbio atual.

Plano
A Transação faz parte do plano de desinvestimento e desalavancagem da CSN, conforme já divulgado pela Companhia. A CSN manterá suas atividades comerciais de importação e distribuição no mercado norte-americano por meio de outra subsidiária constituída para este fim.

De olho
A secretaria de Desenvolvimento Econômico (SMDET) da prefeitura de Volta Redonda já cadastrou quase mil vendedores ambulantes do município e agora vai intensificar a fiscalização dos ambulantes que vem de outros municípios para vender seus produtos na cidade.

Objetivo
“O objetivo da ação é coibir esses ambulantes irregulares de outras regiões que vem para Volta Redonda e tiram o espaço de trabalho dos vendedores locais”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Joselito Magalhães. A ação vai acontecer, mais uma vez, em parceria entre as secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Fazenda e Guarda Municipal.

Fiscaliza
O município vem fazendo fiscalizações dos ambulantes locais, conforme prevê a lei municipal 5.302, de janeiro de 2017, que dispõe sobre a regulamentação do comércio ambulante, que pode ser executado mediante regularização.

Apreensão
Quando as fiscalizações resultam na apreensão de alguma mercadoria por irregularidade, o comerciante ambulante tem um prazo para procurar a secretaria de Fazenda e recuperar essas mercadorias. Os prazos variam de acordo com o tipo de mercadoria recolhida. Caso o ambulante não procure da Fazenda ou não queria recuperar esses produtos, os mesmo são doados a instituições de caridade.

Reclama
“A gente estava lutando para regularizar a nossa situação, e agora estamos conseguindo. Isso tem ajudado muito o nosso trabalho. Os ambulantes das outras cidades atrapalham a gente que é de Volta Redonda e já tem ponto fixo. Porque eles vêm com mercadoria sem procedência”, contou o ambulante Gerdil Coutinho.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Depósito de escória de aciaria entre os bairros Volta Grande e Brasilândia. Acabou com toda área verde e fica à beira do rio Paraíba do Sul. ABSURDO, isto é uma VERGONHA.

Untitled Document