sexta-feira, 20 de outubro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Barra Mansa registra alto índice de queimadas

Barra Mansa registra alto índice de queimadas

Matéria publicada em 23 de setembro de 2017, 18:00 horas

 


Somente em setembro, 7º Grupamento do Corpo de Bombeiros recebeu mais de 70 chamados para este tipo de ocorrência

Barra Mansa – Problema comum nesta época do ano, as queimadas em diferentes regiões de Barra Mansa vêm sendo motivo de reclamações diárias de internautas, nas redes sociais. Além de ser um crime ambiental, independente da prática ser feita em propriedade particular, ou não, o fogo em vegetação causa danos irreversíveis ao meio ambiente e pode provar acidentes graves.

Um exemplo foi o caso de uma família do bairro Vila Coringa, que no mês passado perdeu a casa e todos os objetos pessoais depois que um fogo de vegetação acabou atingindo o imóvel. Já outra situação, ainda mais grave, ocorreu no município de Jacareí, em São Paulo, onde a fumaça de uma queimada, às margens da Rodovia Carvalho Pinto, acabou provocando um acidente envolvendo 36 veículos, com duas mortes fatais.

Em Barra Mansa, diversos são os bairros onde é maior a incidência de queimadas. Em um balanço feito pela a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, dez casos foram registrados de agosto até setembro nos seguintes bairros: Centro, Getúlio Vargas, Monte Cristo, Apóstolo Paulo, Vila Independência, Vila Ursulino, Vila Coringa e no distrito de Floriano. Já os dados fornecidos pelo 7º Grupamento do Corpo de Bombeiros apontam 30 chamados para controle de fogo em vegetação, somente em agosto. Neste mês de setembro foram 72 casos, até o momento, sendo os bairros Verbo Divino, Santa Rosa e Barbará apontados como as principais localidades onde vem ocorrendo o problema.

Sem chuva há mais de um mês – a última foi registrada dia 21 de agosto pela Defesa Civil – o tempo seco é o que vem contribuindo para o aumento das queimadas na cidade. Segundo a bióloga da Secretaria de Meio Ambiente, Lívia Costa, as ocorrências acontecem em áreas descampadas na zona rural e urbana. “O vento aliado à falta de chuva contribui para que o fogo se alastre com facilidade no mato seco”, afirma a bióloga, ao destacar que as maiores causas das queimadas são desencadeadas com o auxílio da atividade humana.

“A queima de lixos domésticos, como folhas secas, por exemplo, também são causadores de focos de incêndio ou o descarte de vidros em locais inapropriados, que no campo seco e com a umidade baixa, provocam o fogo, além das guimbas de cigarros na beira de estradas e rodovias”, afirma.

Lívia disse ainda que a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realiza um projeto de reflorestamento no município. “Em áreas com árvores, o risco de queimadas diminui consideravelmente, aumentando assim a qualidade de vida e segurança dos moradores ao redor”.

População deve denunciar

Para evitar acidentes graves, as famílias que moram próximo a morros ou terrenos com risco de queimadas, a orientação do Corpo de Bombeiros é que sejam construídos aceiro ao redor das residências.. Outro conselho da corporação é que as população denuncie os responsáveis pelos terrenos baldios, assim como os incendiários, para que órgãos como a Guarda Ambiental possam tomar as medidas cabíveis.

O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Cláudio Cruz (Baianinho), também orienta as pessoas a denunciarem, levando em consideração que a fumaça das queimadas  atrapalha a visibilidade dos motoristas nas estradas e rodovias, além de causar problemas respiratórios, poluir o meio ambiente e causar a morte de animais silvestres. . De acordo com ele, o apoio da população no sentido de denunciar a autoria de quem coloca fogo em vegetação é essencial.

“Em Barra Mansa, o telefone para denunciar os casos de queimadas e as pessoas que provocam esses crimes é o 2106-3406. As denúncias devem conter provas, como fotos e vídeos do executante no ato do crime. E em caso de focos de queimadas, é preciso acionar o Corpo de Bombeiros, no telefone 193”, sugere o secretário.

Fogo: Sem chuva há mais de um mês o tempo seco é que vem contribuindo para alta (Foto: Paulo Dimas)

Fogo: Sem chuva há mais de um mês o tempo seco é que vem contribuindo para alta (Foto: Paulo Dimas)

 

Lei específica tipifica tipo de crime ambiental

A Lei 9.605/98 de crimes ambientais, no Artigo 41, diz que as pessoas que provocam incêndio em mata ou floresta, contribuindo negativamente para o aumento desse índice, são punidas com reclusão de dois a quatro anos e multa. O Código Penal também repreende na Lei 2848/40 a pessoa que causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem em lavoura, pastagem, mata ou floresta podendo pegar de três a seis anos de prisão e multa que varia de R$ 50 a R$ 50 milhões dependendo da área de extensão.

Conforme ressalta o secretário, a prefeitura vem intensificando o assunto em campanhas de conscientização dos moradores, pelos atendimentos na secretaria e no projeto de reflorestamento. “Nós iremos marcar uma reunião com o Corpo de Bombeiros para que sejam discutidas formas de prevenção e de diminuição do problema”, conclui.

Moradora do bairro Santa Maria II, a aposentada Nair da Costa Nascimento, de 35 anos, disse que perdeu a conta das queimadas que, somente neste mês, já ocorreram tanto no seu bairro, quanto em outros vizinhos como a Vila Ursulino, Colônia Santo Antônio e Siderlandia. “Aqui no bairro sempre tem alguém, sem consciência, para atear fogo em mato seco, o que acaba se alastrando devido a esse tempo. Minha filha mora na Vila Ursulino e também tem reclamado muito, principalmente pelo fato do meu neto, de sete  anos, ter problemas alérgicos”, comentou a aposentada.

No bairro Roselândia, nesta semana, o fogo que se alastrou em um morro causou pânico nos moradores, principalmente pela proximidade com algumas residências. O incêndio aconteceu à noite,  durou cerca de quarenta minutos e se alastrou por um longo trecho. Mesmo tendo cortado todo o mato em volta de sua casa, para evitar a proximidade do foto, a dona de casa Eliane da Silva, de 40 anos, ficou assustada com a situação. “Meu marido cortou o mato justamente para que, em caso de queimada, o fogo não se aproximasse, mas com fogo a gente não se brinca e fiquei receosa, principalmente porque ele estava trabalhando e eu sozinha com as crianças”, disse.

Perigo da fumaça nas estradas

Motoristas envolvidos no acidente na Carvalho Pinto, em Jacareí, relataram que uma fumaça branca, provocada por uma queimada às margens da via, impedia a visibilidade no trecho do engavetamento. Alguns veículos reduziram a velocidade e outros chegaram a parar na via, o que provocou um engavetamento. Um caminhão que transportava tintas não conseguiu parar e também se envolveu no acidente e pegou fogo. Um carro e outro caminhão bateram logo em seguida e diversos veículos não conseguiram parar e deram sequência ao engavetamento. Houve incêndio e explosões no local.

Conforme destaca o instrutor de trânsito, César Araújo, a principal preocupação do motorista no caso de fumaça na rodovia é a visibilidade. Nesses casos, segundo ele redobrar a atenção é fundamental para evitar acidentes. “A primeira atitude deve ser de avisar a concessionária da rodovia ou corpo de bombeiros sobre o fogo e a fumaça nas margens da estrada, identificando o quilômetro ou nome da via”, ressalta Araújo, ao explicar como o motorista deve agir nessa situação.

“Deve-se parar o carro em local seguro para fazer isso; reduzir a velocidade devagar e acione o farol baixo e, se houver, a luz de neblina. É preciso que motorista procure manter uma distância de segurança do veículo à frente e que nunca ligue o pisca alerta com o veículo em movimento”, detalhou o instrutor, ao acrescentar que para dar continuidade no trajeto o motorista deve avaliar se é possível prosseguir com segurança evitando se .arriscar se a visibilidade estiver muito prejudicada.

Outra medida de segurança para casos de fumaça nas estradas, de acordo com o instrutor, é fechar o vidro do carro para que os passageiros não respirem a fumaça. Se houver ar condicionado, o mesmo deve ser ligado, porém apenas a circulação interna deve ser ativada.

“É muito importante observar que essas situações podem ser evitadas, pois grande parte dos incêndios nas margens das estradas é causada por bitucas de cigarro atiradas pelos próprios condutores ou outros usuários da via. Uma postura responsável e comprometida com o meio ambiente faz toda a diferença para reduzir as queimadas nas rodovias e reduzir os riscos de acidentes”, finalizou o instrutor.

5 comentários

  1. O PODER PÚBLICO FECHA OS OLHOS. A POPULAÇÃO, DE UM MODO GERAL, É MAL INFORMADA E SEM CONSCIÊNCIA DO IMPACTO GERADO. TODOS SABEMOS QUE EM TEMPO DE ESTIAGEM OS CRIMINOSOS DO MEIO AMBIENTE ENTRAM EM AÇÃO. PORQUE NÃO SE FAZ CAMPANHAS, FISCALIZAÇÃO E MONITORAMENTO DAS ÁREAS CRÍTICAS? OS LOCAIS DAS QUEIMADAS SÃO SEMPRE OS MESMOS, TALVEZ SEJAM ATÉ AS MESMAS PESSOAS QUE ATEAM FOGO. ALGUNS PROPRIETARIOS GASTAM DINHEIRO COM ACEIROS E ROÇADAS E OS MALFEITORES COLOCAM FOGO NA ÁREA ACEIRADA. FATO É QUE A POPULAÇÃO ESTÁ A DERIVA. FALTA VONTADE, FALTA CONHECIMENTO, FALTA RECURSO, FALTA…

  2. A prefeitura de Barra Mansa tem que fazer uma sindicância e verificar de que ponto saiu esta queimada (23/09/2017), pois atingiu toda mata na parte de cima da Rua Rui Silvestre Henrique em direção a divisa com a mata do bairro Morada da Granja,
    Queimou as árvores, a fumaça e as brasas estão até agora na parte da manhã, por causa do vento. A Prefeitura não pode ser omissa, tem que se virar e resolver, enquanto a chuva não chega.

  3. A ignorância desse povo é um espanto! Um espanto!

  4. Aqui bairro Mangueira todo dia tem queimada,esse bando de preguiçosos em vez de limpar seus terrenos ficam fazendo queimadas hoje então o fogo estava imenso , na semana passada um desses incêndio atingiram a casa da minha irma destruindo toda rede de água e escoto e os fios de telefone e elétrico fora que tinha dois menores na casa junto com ela que por pouco não se machucaram no meio de tanto fogo e muita fumaça,temos que denunciar quem faz esse tipo de incêndio criminoso que alem da sujeira coloca em risco a vida de terceiros.

    • A prefeitura de Barra Mansa tem que fazer uma sindicância e verificar de que ponto saiu esta queimada (23/09/2017), pois atingiu toda mata na parte de cima da Rua Rui Silvestre Henrique em direção a divisa com a mata do bairro Morada da Granja,
      Queimou as árvores, a fumaça e as brasas estão até agora na parte da manhã, por causa do vento. A Prefeitura não pode ser omissa, tem que se virar e resolver, enquanto a chuva não chega.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document