segunda-feira, 29 de maio de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Delegacia vai investigar e combater o tráfico de armas

Delegacia vai investigar e combater o tráfico de armas

Matéria publicada em 21 de abril de 2017, 09:44 horas

 


Rio – A Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) foi inaugurada nesta quinta-feira (20) na Cidade da Polícia. Os objetivos são investigar e combater o tráfico de armas de fogo. Além da alta cúpula da Segurança, estiveram no evento representantes do Drug Enforcement Administration (DEA) e o Escritório de Segurança Diplomática dos Estados Unidos e da Polícia Nacional do Paraguai.

Para o secretário de Segurança, Roberto Sá, mais do que combater o tráfico de armas, é preciso implantar penas mais duras para criminosos que portem armas de fogo. Segundo ele, o percentual hoje de morte por armas de fogo passa dos 70%.

– A Desarme vai fazer ainda mais do que era feito, porém é preciso ter consciência de que não está apenas nas nossas mãos e que a Legislação para esse tipo de crime precisa mudar. As penas são brandas. No Estado do Rio de Janeiro, a polícia apreende 25 armas por dia e um número absurdo de fuzis por ano. São nove mil armas por ano só no Rio de Janeiro – explicou o secretário.

A Desarme prevê parceria com agências internacionais e a Polícia Federal.

– O intercâmbio com outras Forças de Segurança nacionais e internacionais irá reforçar os esforços de Inteligência sobre o tema – disse o chefe de Polícia Civil, Carlos Leba.

A nova especializada – que tem como missão qualificar a investigação e o combate ao tráfico de armas de fogo no estado – terá 15 policiais, podendo chegar a até 35 em alguns meses.

– A investigação é a principal ferramenta para o combate ao crime organizado. Um trabalho integrado trará resultados impensáveis e proporcionará a preservação de vidas – afirmou o delegado da Desarme, Fabricio Oliveira.

Apreensões

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), somente em janeiro e fevereiro deste ano foram apreendidas 1.322 armas. Destas, 78 eram fuzis, 552 pistolas e 530 revólveres.

6 comentários

  1. Mais um policial com sindrome de mandar nos outros, quando na verdade ele nao decide nada

  2. Armas pra se proteger de quem? De quem também as têm? Então vamos fomentar uma guerra? É mais fácil, menos trágico e mais barato desarmar. Além disso não cabe comparações com outros países. Nós não temos educação, cultura, economia e decência, para ter o direito a uma arma de fogo. Brasileiro tem como senso de justiça o que lhe convém, a interpretação é sempre a meu favor, o outro sempre esta errado e, somado a isso, customizamos a lei, o que pode ou não pode, depende do momento, lugar e pessoa segundo a interpretação pessoal de cada um. Não queremos a lei, não queremos justiça, queremos estar acima de tudo. Se pra me dar bem, tiver que morrer mil pessoas, que elas morram. A PENA TEM QUE SER TRIPLICADA, SEM POSSIBILIDADE DE FIANÇA.

  3. A policia nao tem que decidir se o povo tem direito a ter armas ou nao. A policia eh empregada do povo. Se o povo quiser ter o direito a portar armas, a policia tem que acatar e pronto. Quando os ditos especialistas da policia vem a publico propagandear o desarmamento, me parece que eles apenas nao querem ter trabalho ou, ainda, que existe lobby a favor das empresas de seguranca privada. Pense nisso. Em todos os paises do mundo em que a populacao tem direito a andar armada, a taxa de homicidios cai. Isso e estatistica mundial. Nao tragam exemplos de cingapura, que e uma ilha e com territorio minusculo, populacao inferior ao Rio. Comparem com paises de porte e verao que arma para o cidadao = seguranca.
    O discurso desarmamentista me lembra o conto “mito da caverna”, que somente cola em quem nunca viajou pelo mundo.

  4. Nada funciona nesse Brasil de merda não acredito em mas nada

  5. Quero ver desarmar o vagabundo! Pq o cidadão de bem está á mercê deles!

  6. O Estatuto do Desarmamento já completa 14 anos e só atuou contra aqueles que não cometem crimes, que é o cidadão pacífico e trabalhador. Só agora criam um setor especializado em combater justamente aqueles que matam e delinquem no país, que são os bandidos. Esse país é muito engraçado…

Untitled Document